A França com menos turistas, mas uma liderança confirmada e muitos eventos pela frente!

Biarritz, o Vieux Port e a Pedra da Virgem

Biarritz, o Vieux Port e a Pedra da Virgem

Em visita oficial em Biarritz, no Pais Basco, o Ministro francês das Relações Internacionais e do Turismo divulgou os primeiros resultados do turismo para 2016. Confirmou a queda que os profissionais e a imprensa tinham antecipados tanto na França que nos grandes mercados emissores, inclusive no Brasil. Os números ainda não são definitivos, mas a estimativa é de 82,5 a 83 milhões de turistas estrangeiros, seja uma baixa de 2,3% a 2,9% sobre os resultados de 2015. O ministro confirmou que os trágicos atentados sofridos em Paris e em Nice foram os principais motivos dessa evolução, e que as greves do segundo trimestre e as chuvas do verão tiveram também um impacto negativo.
Na Riviera francesa, muitas esperanças para um grande ano turístico 2017

Na Riviera francesa, muitas esperanças para um grande ano turístico 2017

 Mas mesmo com a queda, o turismo francês tem boas razões para confiar no futuro. França  deverá guardar em 2016 a sua posição de primeiro e preferido destino dos turistas internacionais, na frente dos Estados Unidos, da Espanha e da China. Uma forte tendência de alta apareceu nos últimos meses do ano passado – os pernoites chegando a superar o nível recorde de 2014- e está se confirmando no inicio de 2017, especialmente nos mercados mais atingidos em 2016:  Russia, Japão, Brasil. Os brasileiros estão voltando mesmo em Paris, com 26,5% de alta das chegadas em Janeiro e uma expectativa de mais de 40% para os próximos meses.
A Torre Eiffel, garota propaganda de Paris para 2024

A Torre Eiffel, garota propaganda de Paris para 2024

As boas perspectivas ajudaram a reafirmar o objetivo de 100 milhões de turistas que a França definiu para 2020, aproveitando os seus importantes investimentos tanto para melhorar a segurança dos seus visitantes que para reestruturar a sua oferta nos seus grandes destinos já conhecidos internacionalmente. Na véspera de grandes eventos internacionais, da Ryder Cup até a Expo 2025, e poucos meses antes da decisão do CIO sobre a candidatura de Paris aos Jogos Olímpicos de 2024, Biarritz e o Pais Basco, conhecidos dos brasileiros tanto pelas suas ondas de surfe que pelos seus campos de golfe, eram sem dúvidas o perfeito local para passar uma mensagem de otimismo tanto aos profissionais franceses que aos turistas do mundo inteiro.

Jean-Philippe Pérol

O campo de golfe de Saint Quentin, pronto para Ryder Cup 2018

O campo de golfe de Saint Quentin, pronto para Ryder Cup 2018

Esse artigo foi inicialmente publicado no Blog “Points de vue do autor na revista profissional on line Mercados e Eventos

Tour de France 2017: Lascaux, Nuits Saint Georges, Marselha e um piscar de olho para os JO 2024!

P41_Dia02_

Nuits Saint Georges, uma das etapas mais esperadas do Tour 2017

Apresentado na ultima terça feira em Paris, o itinerário do 104º Tour de France  já leva corredores e seguidores a preparar esse evento tão especial do esporte popular francês. Saindo de Dusseldorf, na Alemanha, e passando pela Bélgica e pelo Luxemburgo, a maior prova do ciclismo mundial atravessará em 2017, pela primeira vez há 25 anos, os cinco maciços montanhosos da França: Vosges, Jura, Pirenéus, Maciço Central e Alpes. Concentradas no leste e no sul, as 21 etapas são bem equilibradas entre as planícies favorecendo os “sprinters” e as montanhas esperadas pelos “escaladores”.

O mapa do Tour 2017

O mapa do Tour 2017

Do ponto de vista esportivo, mesmo se o numero de ascensões diminui de 28 para 23, o Tour de France 2017 continua destacando a montanha. Três linhas de chegadas foram traçadas no final de subidas de dificuldade máxima, nos cumes dos Vosges (em Planche des Belles Filles), dos Pirenéus (em Peyragudes, onde foram filmadas cenas do James Bond “O amanhã não morre”), e dos Alpes (no lendário Passo do Izoard). Outros grandes passos estão no itinerário, incluindo o Galibier, perto de Serre-Chevalier nos Alpes, ou o  Balès nos Pirenéus. Os diretores do Tour lembraram também que o Jura será percorrido pela primeira vez com três passos e umas descidas espetaculares levando para Chambery.

A gruta de Lascaux IV

A gruta de Lascaux IV

Se o Tour é procurado por todos os municípios franceses pela sua poderosa atratividade, alguns pagando de 60.000 a 1.000.000 de Euros para ser escolhidos, quatro etapas turísticas vão especialmente agradar os espectadores: Lascaux, com a abertura do Centro Internacional da Arte Parietal de Lascaux IV no próximo mês de dezembro , Nuits Saint Georges, nos prestigiosos vinhedos da Borgonha, final de um percurso incluindo também Gevrey Chambertin e Clos Vougeot,  Marselha, capital européia  do Esporte em 2017, e Paris.

O Hall central do Grand Palais

O Hall central do Grand Palais

No percurso da ultima etapa em Paris, o Tour de France mostrará seu apoio a candidatura da cidade para os Jogos Olímpicos de 2024. Os corredores atravessarão o hall principal do “Grand Palais”, o lugar escolhido para hospedar as competições de esgrima e de taekwondo. Durante os Jogos, e para respeitar uma tradição já velha de 42 anos, as provas de ciclismo serão também nos Champs Elysées. A decisão do Comité Olímpico Internacional será anunciada dia 13 de Julho, o dia da etapa de Peyragudes, na véspera da festa nacional francesa. Um bom sinal para o Tour de France e para a candidatura de Paris?

Jean-Philippe Pérol

Paris - France - wielrennen - cycling - radsport - cyclisme - Romain Bardet (FRA-AG2R-La Mondiale) - Christopher - Chris Froome (Norway / Team Sky) - Nairo Quintana (COL-Movistar) pictured during stage 21 of the 2016 Tour de France from Chantilly to Paris, 113.00 km - photo Cor Vos © 2016

Os vencedores do Tour de France 2016

PERCURSOS E DISTÂNCIAS  DAS ETAPAS DO TOUR 2017
Data. Etapa. Km
01-julho 1. Düsseldorf – Düsseldorf  13 km
02-julho 2. Düsseldorf – Liège 202 km
03-julho 3. Verviers – Longwy 202 km
04-julho 4. Mondorf-les-Bains – Vittel 203 km
05-julho 5. Vittel – La Planche des Belles Filles 160 km
06-julho 6. Vesoul – Troyes 216 km
07-julho 7. Troyes – Nuit-Saint-Georges 214 km
08-julho 8. Dole – Station des Rousses 187 km
09-julho 9. Nantua – Chambéry 181 km
10-julho Repos Repos
11-julho 10. Périgueux – Bergerac 178 km
12-julho 11. Eymet – Pau 202 km
13-julho 12. Pau – Peyragudes 214 km
14-julho 13. Saint-Girons – Foix 100 km
15-julho 14. Blagnac – Rodez 181 km
16-julho 15. Laissac-Sévérac l’église – Le Puy-en-Velay 189 km
17-julho Descanço
18-julho 16. Le Puy-en-Velay – Romans-sur-Isère 165 km
19-julho 17. La Mure – Serre-Chevalier 183 km
20-julho 18. Briançon – Izoard 178 km
21-julho 19. Embrun – Salon-de-Provence 220 km
22-julho 20. Marseille – Marseille  23 km
23-julho 21. Montgeron – Paris 105 km

Parabéns, Rio de Janeiro!

Os fogos da Ceremônia de abertura

Os fogos da cerimônia de abertura

Desagradando os (numerosos) pessimistas, os Jogos Olímpicos 2016 começaram impressionando o mundo. Se certos problemas organizacionais – apartamentos inacabados ou poluição das aguas- e falhas de comunicação – os cangurus dos australianos- ainda foram destaques de algumas mídias, a imprensa internacional é unânime a destacar um sucesso de organização e  de criatividade. E se o balanço geral do imenso investimento que o Brasil escolheu de fazer ainda demorará para ser feito, dois pontos positivos já parecem ganhos.

O New York Times destacando os pontos turísticos do Rio

O New York Times destacando os pontos turísticos do Rio

O primeiro é a impressionante renovação do Rio de Janeiro, simbolizada pela ousadia e a beleza do Museu do Amanhã. Alem da fascinante obra do Calatrava, os visitantes estão redescobrindo a beleza da Praça XV e de todo o centro da cidade, anotando que Copacabana levanta a saudade do seu passado glorioso, vendo que a Tijuca é a maior floresta urbana do mundo. Turistas e moradores aproveitam as novas infraestruturas e as vias de transportes alternativas. Com o acesso facilitado pelo BRT, novos hotéis e com uma verdadeira explosão imobiliária, a Barra da Tijuca é de repente vista como a oportunidade para o Rio se transformar num Miami da América do Sul. E os investimentos feitos em treinamento de pessoal ou ensino de idiomas estrangeiros contribuirão também a melhorar os serviços oferecidos  na cidade maravilhosa.

Artistas de Parintins dando um show na ceremonia de abertura

Artistas de Parintins dando um show na cerimonia de abertura

A festa de abertura é o segundo grande sucesso do Brasil nesses primeiros momentos dos Jogos. A criatividade , a profundidade, a alegria e a perfeita realização não deveria ter surpreendido ninguém num pais capaz de organizar o Carnaval do Rio ou o Festival de Parintins. A equipe criativa formada pelos cineastas Fernando Meirelles e Andrucha Waddington, a diretora e cenógrafa Daniela Thomas e a coreógrafa Deborah Colker  conseguiu imaginar e montar um evento com conteúdo e emoção. Com um orçamento muito controlado, foram não somente mandadas duas mensagens para o mundo – a importância da ecologia e da preservação do meio ambiente solenizada na COP 21, a força e o exemplo da tão peculiar miscigenação brasileira – mas onde a alegria da musica, da dança e dos visuais também  não faltaram em nenhum instante. A força dessas imagens será agora sem duvidas um dos grandes acervos do Rio de Janeiro, “lembrado por muitas gerações”, segundo o enviado especial do diário americano USA Today.

O espaço turismo do Club France

O espaço turismo do Club France no Rio 2016

No Club France, um espaço de lazer, de convivialidade e de imersão na cultura francesa, aberto ao publico pelo Comité Olímpico Francês, e inaugurado pelo Presidente da Republica que queria marcar seu apoio a candidatura de Paris para os Jogos de 2024, o turismo francês também quis marcar presencia. Um amplo estande de informação apresenta aos visitantes as novidades dos parceiros presentes – os hotéis Accor  bem como Nice, a Provence, os Alpes, a Borgonha ou Toulouse. Uma exposição de foto da fotógrafa Maia Flor mostra também vários monumentos através de um olhar artístico carregado de emoção. A excelente reatividade dos cariocas deixa a pensar que a França, e seus grandes destinos turísticos vão também tirar um excelente proveito do sucesso desses Jogos Olímpicos – talvez até 2024 !

Jean-Philippe Pérol

O Le Monde fascinado pelas praias de Troncoso

O Le Monde fascinado pelas praias de Troncoso