Tour de France 2017: Lascaux, Nuits Saint Georges, Marselha e um piscar de olho para os JO 2024!

P41_Dia02_

Nuits Saint Georges, uma das etapas mais esperadas do Tour 2017

Apresentado na ultima terça feira em Paris, o itinerário do 104º Tour de France  já leva corredores e seguidores a preparar esse evento tão especial do esporte popular francês. Saindo de Dusseldorf, na Alemanha, e passando pela Bélgica e pelo Luxemburgo, a maior prova do ciclismo mundial atravessará em 2017, pela primeira vez há 25 anos, os cinco maciços montanhosos da França: Vosges, Jura, Pirenéus, Maciço Central e Alpes. Concentradas no leste e no sul, as 21 etapas são bem equilibradas entre as planícies favorecendo os “sprinters” e as montanhas esperadas pelos “escaladores”.

O mapa do Tour 2017

O mapa do Tour 2017

Do ponto de vista esportivo, mesmo se o numero de ascensões diminui de 28 para 23, o Tour de France 2017 continua destacando a montanha. Três linhas de chegadas foram traçadas no final de subidas de dificuldade máxima, nos cumes dos Vosges (em Planche des Belles Filles), dos Pirenéus (em Peyragudes, onde foram filmadas cenas do James Bond “O amanhã não morre”), e dos Alpes (no lendário Passo do Izoard). Outros grandes passos estão no itinerário, incluindo o Galibier, perto de Serre-Chevalier nos Alpes, ou o  Balès nos Pirenéus. Os diretores do Tour lembraram também que o Jura será percorrido pela primeira vez com três passos e umas descidas espetaculares levando para Chambery.

A gruta de Lascaux IV

A gruta de Lascaux IV

Se o Tour é procurado por todos os municípios franceses pela sua poderosa atratividade, alguns pagando de 60.000 a 1.000.000 de Euros para ser escolhidos, quatro etapas turísticas vão especialmente agradar os espectadores: Lascaux, com a abertura do Centro Internacional da Arte Parietal de Lascaux IV no próximo mês de dezembro , Nuits Saint Georges, nos prestigiosos vinhedos da Borgonha, final de um percurso incluindo também Gevrey Chambertin e Clos Vougeot,  Marselha, capital européia  do Esporte em 2017, e Paris.

O Hall central do Grand Palais

O Hall central do Grand Palais

No percurso da ultima etapa em Paris, o Tour de France mostrará seu apoio a candidatura da cidade para os Jogos Olímpicos de 2024. Os corredores atravessarão o hall principal do “Grand Palais”, o lugar escolhido para hospedar as competições de esgrima e de taekwondo. Durante os Jogos, e para respeitar uma tradição já velha de 42 anos, as provas de ciclismo serão também nos Champs Elysées. A decisão do Comité Olímpico Internacional será anunciada dia 13 de Julho, o dia da etapa de Peyragudes, na véspera da festa nacional francesa. Um bom sinal para o Tour de France e para a candidatura de Paris?

Jean-Philippe Pérol

Paris - France - wielrennen - cycling - radsport - cyclisme - Romain Bardet (FRA-AG2R-La Mondiale) - Christopher - Chris Froome (Norway / Team Sky) - Nairo Quintana (COL-Movistar) pictured during stage 21 of the 2016 Tour de France from Chantilly to Paris, 113.00 km - photo Cor Vos © 2016

Os vencedores do Tour de France 2016

PERCURSOS E DISTÂNCIAS  DAS ETAPAS DO TOUR 2017
Data. Etapa. Km
01-julho 1. Düsseldorf – Düsseldorf  13 km
02-julho 2. Düsseldorf – Liège 202 km
03-julho 3. Verviers – Longwy 202 km
04-julho 4. Mondorf-les-Bains – Vittel 203 km
05-julho 5. Vittel – La Planche des Belles Filles 160 km
06-julho 6. Vesoul – Troyes 216 km
07-julho 7. Troyes – Nuit-Saint-Georges 214 km
08-julho 8. Dole – Station des Rousses 187 km
09-julho 9. Nantua – Chambéry 181 km
10-julho Repos Repos
11-julho 10. Périgueux – Bergerac 178 km
12-julho 11. Eymet – Pau 202 km
13-julho 12. Pau – Peyragudes 214 km
14-julho 13. Saint-Girons – Foix 100 km
15-julho 14. Blagnac – Rodez 181 km
16-julho 15. Laissac-Sévérac l’église – Le Puy-en-Velay 189 km
17-julho Descanço
18-julho 16. Le Puy-en-Velay – Romans-sur-Isère 165 km
19-julho 17. La Mure – Serre-Chevalier 183 km
20-julho 18. Briançon – Izoard 178 km
21-julho 19. Embrun – Salon-de-Provence 220 km
22-julho 20. Marseille – Marseille  23 km
23-julho 21. Montgeron – Paris 105 km

Da França para Suíça, as novas surpresas dos velhos caminhos!

saline-royale-arc-et-senans©cg25_lg

A França e a Suíça iniciaram no Brasil uma campanha para promover as muitas opções de viagens conjugando a Torre Eiffel e a Jungfrau, a Bahnhofstrasse e o Boulevard Haussmann, ou o Reno e o Rhône. Bale e Paris, o Reno e a SenaApoiada pelas empresas ferroviárias  francesas e suíças,  aproveitando o clima do Dia dos Namorados, a promoção “Paris- Suiça, c’est l’amour” oferece descontos e roteiros especiais para quem quer combinar os dois países durante esse verão. Mas alem das rotas tradicionais, será também para os brasileiros a ocasião de descobrir a região francesa fronteiriça , Castelo de Jouxo Franco Condado de Borgonha, que está inaugurando novos caminhos turísticos. Irmão caçula do Ducado de Borgonha – rico do seus vinhos – , o Franco Condado tem um patrimônio arquitectural surpreendente, herdado tanto do seu passado militar – como o famoso Fort de Joux onde foi encarcerado Toussaint Louverture, herói da independência haitiana – , que da sua riqueza mineira – o  sal, o outrora “ouro branco”.

A VIA SALINA

A Via Salina turística

Seguindo a antiga trilha dos vendedores de sal, a Via Salina que ligava as minas de Salins a capital da Suíça – Berna -, a associação Terra Salina recriou um itinerário turístico que pode ser percorrido de carro, de bicicleta, ou melhor ainda a pé, aproveitando. Atravessando as montanhas do Jura,  eles levem dos centro de produção (Arc et Senans ou Salins) até as cidades compradoras, (Berna ou Neuchâtel), passando pelos mercados, as vias comerciais, os lugares de transito e os centros termais onde eram utilizadas as águas salgadas.

A casa do diretor das salinas reais de Arc et Senans

O ponto mais espetacular do roteiro turístico é Arc et Senans, um pequeno Versalhes no meio do nada, aprovado em 1772 pelo Rei Luis XV e construído pelo arquiteto Claude Nicolas Ledoux. Salinas reais de Arc en senanNum lugar escolhido pela proximidade das minas e de grandes florestas, prédios industriais, escritórios, casa grande do diretor e senzalas de operários desenham um majestoso meio circulo de edifícios neoclássicos. Inspirado das grandes ideias dos filósofos do século das luzes, o projeto inicial incluía também uma cidade utópica, mas a Revolução de 1789 prendeu o Ledoux e parou as obras. SALINS LES BAINSMais majestosas que rentáveis, as Salinas Reais foram fechadas em 1895, e foram aberto para o turismo nos anos setenta. Primeiro sitio industrial declarado patrimônio da humanidade pela UNESCO em 1982, elas abrigam hoje um hotel, um restaurante, uma residência de artistas e muitos eventos culturais. O roteiro da Via Salina segue por Salins les Bains, também patrimônio mundial da UNESCO pelas suas minas de sal, suas fortalezas onde eram recolhidas as impopulares taxas ( a “gabelle”), e sua igreja coberta de telhas amarelas. Aproveitando as fontes de agua salgada, um centro termal oferece vários tratamentos a base de sal, grandes momentos de descanso para quem está fazendo a trilha caminhando…

640px-Gustave_Courbet_-_A_Burial_at_Ornans_-_Google_Art_Project_2

Antes de chegar em Pontarlier e de passar do lado suíço, o viajante ainda tem que fazer uma imperdível parada em Ornans. Esse linda vilarejo fique um pouco fora da rota, mas além de ser um notável conjunto de edifícios tombados, Restaurante O Courbet em Ornanscom casas e sobrados alinhados na beira do rio Loue, ele é o lugar onde nasceu e viveu o Gustave Courbet. O mestre pintou não somente a polêmica “Origem do Mundo”, mas também muitas telas retratando as paisagens e os moradores da região. E no restaurante da cidade, o “Courbet”, claro, não se deve esquecer de provar o famoso “vin jaune”, o vinho amarelo , o famoso vinho do Jura que acompanha com perfeição o Comté, o queijo dessas montanhas que unem a França e sua amada vizinha Suíça.

Jean Philippe Pérol

Vinho Amarelo e Queijo Comté

Na França, quarenta destinos turisticos?

chenonceau_6565_cmouton_crtcentrevaldeloire

No mundo globalizado, são mais de 300 destinos que tentam seduzir o viajante, uma concorrência que os grandes lugares de destaque como Nova Iorque, DSCN0921Londres, Las Vegas, a Grécia ou a Flórida aprenderam a respeitar com novas tendências levando turistas para Dubai, o Vietnã, Istambul ou amanha Cuba. Os grandes campeões do turismo europeu já contam com vários destinos nos seus territórios: a Itália têm Roma, Veneza, a Toscana, Milão ou Nápoles, a Espanha tem Barcelona, Madrid, a Andaluzia e Santiago.

Na França, a força mágica de Paris esconde ainda hoje os outros destinos do primeiro pais turístico do mondo,20082691_800x533_0 especialmente para os visitantes vindo de longe – assim, 85% dos brasileiros não saiam da capital. Portanto, segundo o Laurent Fabius, ministro das Relações exteriores encarregado do turismo, 40 regiões, territórios, departamentos, municípios ou sítios, reuniam as 4 condições para ser destinos turísticos internacionais: atratividade de pelos menos uma temática forte, boas infraestruturas de acesso, hospedagens e equipamentos de lazer, e uma marca internacional reconhecida.

Mont_St_Michel_+_Jetée_par_Marée_haute

Com “contratos de destinos” reunindo profissionais da área, foram anunciados os onze primeiros destinos escolhidos. Vários deles se encaixam perfeitamente nas tendências, nos lugares e nas temáticas já antecipadas pelos viajantes brasileiros na França. Patrimônio com fama mundial justificou colocar nessa primeira lista o Mont Saint Michel, a maravilha do Ocidente cujas obras de renovação vão acabar esse ano, bem como o Val de Loire, com seus castelos, seu Rio classificado pela Unesco e seus vinhedos alegres.

restaurant_by_night_bordeauxPatrimônio e vinhedos justificaram a inclusão na lista de Bordeaux e da Borgonha que oferecem hoje o melhor do turismo enológico e da gastronomia, com os acervos arquiteturas e culturais de duas grandes marcas internacionais. Capital da gastronomia francesa, Lyon não podia deixar de constar como um dos grandes destinos apresentado pelo ministro. hotel_du_palais_-_biarritz_0Entre as ondas do Atlântico e as montanhas bascas, a cidade de Biarritz apostou com sucesso na temática do Golfe para reforçar a atratividade do seu litoral. E os brasileiros não serão surpresos de ver que a Normandia, saudosa terra dos contrabandistas do pau-brasil, também entrou nessa lista, escolhendo como temática principal os seus pintores e o impressionismo.

Os familiares do esqui já esperavam os Alpes como um grande destino turístico internacional. DSCN8898E os vulcões da Auvergne mostraram a força do turismo de bem estar que aproveita os espaços e as águas saudáveis dessa minha região. As surpresas ficaram com os últimos da lista, o Jura e os Vosges, mais virados para a clientela de proximidade vindo da Alemanha ou da Suíça.

Os outros destinos e marcas internacionais que vão completar essa lista de 40 serão publicados em breve. Se, em cada um dos lugares escolhidos, será necessário um trabalho de todos os profissionais para melhorar os serviços e ampliar a promoção, a mensagem ficou clara para todos.giverny3 A França não quer mais ser somente o maior destino turístico do mundo, centralizado em volta de Paris. A França quer ser a terra a onde cada viajante poderá encontrar o seu destino turístico, descobrir as paisagens e o patrimônio que ele procurava, viver a temática que ele escolheu, junto com profissionais e moradores comprometidos com a promessa feita.

Jean-Philippe Pérol

10847656_706620689435420_1434642805410591563_o