Viajantes, roteiros e enocultura, as novas rotas do enoturismo mundial olham para o Brasil!

A Napa Valley, região pioneira do enoturismo

Celebração do Dia do Vinho, multiplicação das rotas dos vinhos no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, em São Paulo ou no sertão de Pernambuco, assinatura de um convênio entre a Embratur e a Ibravin, wine tours, produtos vedetes na FITUR de Madrid, o enoturismo no Brasil está de vento em popa. Já sendo quase um milhão a visitar mais de 1.100 vinícolas brasileiras, os enoturistas brasileiros estão também chamando a atenção dos profissionais de muitas regiões do mundo. Tanto para o mercado doméstico que para o mercado internacional, o crescimento dessa temática de viagem no Brasil segue as novas tendências que surgiram em Napa Valley, na Toscana ou em Bordeaux, e que a Organização Mundial do Turismo (OMT) destaca agora no Uruguai, na Croácia ou até na Geórgia.

Arte nos vinhedos na “Floresta dos 5 sentidos” das Sources de Caudalie

A primeira tendência que impulsa o enoturismo é a diversificação de seus fãs. Antes quase exclusivamente enófilos – amadores de vinhos, conhecedores ou sócios de clubes de degustação -, os enoturistas não são hoje obrigatoriamente conhecedores, mas sempre bons vivants, cultos e curiosos, atraídos pela arte e pelos prazeres da mesa. Mesmo nas vinícolas, eles vão procurar por uma história, uma arquitetura, pelas tradições locais, as obras artísticas, ou por uma experiência com os moradores. As paisagens espetaculares – no Vale do Douro, em Mendonça, na Alsácia ou em Lavaux – são trunfos importantes, assim como características únicas: vinhedo mais setentrional em Sabile (Letônia), vinhedo mais velho em Maribor (Eslovênia), maior adega do mundo em Cricova (Moldávia), vinhedos dos “fins do mundo” na Patagônia (Argentina) ou em Rangiroa (Polinésia Francesa).

Adegas desenhadas pelo Santiago Calatrava, em Ysios

O novo enoturista procura também novidades arquiteturais, uma tendência que começou na Espanha com as adegas de Ysios, do Santiago Calatrava, e o Hotel Bodega de Marques de Riscal, do Gehry. Vários projetos de Museus do Vinho seguem a mesma tendência, o mais espetacular até hoje é a “Cité du Vin“, em Bordeaux. Às vezes chamado de Guggenheim do vinho, obra dos arquitetos Legendre e Desmazières, a Cité consegue unir uma espetacular localização na beira do Rio, uma construção emblemática, bem como um conteúdo pedagógico e lúdico. As construções que revolucionaram o enoturismo são também hotéis oferecendo hospedagem de qualidade, gastronomia estrelada e experiências do mundo do vinho, incluindo o bem-estar trazido pelas uvas. Além do pioneiro de Bordeaux, o Château Smith Haut Lafitte com o Hotel Palace Les Sources de Caudalie e o SPA Caudalie, o Yeatman Hotel do Porto ou o Meadowood da Napa Valley são alguns dos grandes estabelecimentos construídos em torno do vinho.

Adegas da LVMH em Reims

A ligação entre o enoturismo e a cultura é uma outra tendência forte, com uma importante contribuição da UNESCO que listou no Patrimônio da Humanidade os kvevris da Geórgia, os climats da Borgonha, a vite ad alberello de Pantelleri, os terraços de Lavaux e os coteaux, maisons et caves da Champagne. Em cada região produtora de vinho, cada vinícola, cada aldeia e cada produtor têm uma experiência para oferecer. Em sua história, em sua cultura, poderá contar e ensinar ao visitante não somente as especificidades de seu vinho, mas também o seu patrimônio enocultural único. O foco crescente dado pelos profissionais às possibilidades de compras nas próprias adegas aumenta ainda mais o impacto do enoturismo na economia da região, bem como das próprias vinícolas – que chegam a vender 15% e mais das suas produções aos enoturistas.

Vinhedos perto de Bento Gonçalves

Com um mercado em crescimento, o Brasil está mostrando sua nova força nos mercados mundiais do enoturismo, sediando encontros de especialistas, palestras abertas a públicos de profissionais ou de amadores, ou congressos nacionais ou internacionais, com um foco em Bento Gonçalves e na região pioneira do Vale dos Vinhedos.Em São Paulo, o INVINO Wine Travel Summit reunirá no dia 16 de Setembro, expositores vindos de todo o País e do mundo inteiro com agentes de viagem e operadores brasileiros cuidadosamente escolhidos. Alem de descobrir as grandes novidades dos melhores “wine tours”, será também uma verdade experiência enogastronômica com degustações e harmonizações. As novas rotas do enoturismo estão mesmo olhando para Brasil!

Jean-Philippe Pérol

O Hotel Adega Marques de Riscal, obra do arquiteto Gehry

A “Cité du Vin” em Bordeaux

https://www.invino.travel/

 

5 dicas para aproveitar uma viagem numa região de vinhos

Degustação no Chateau Franc Mayne em Saint Emilion

De Bordeaux até a Toscana, ou do Vale do Douro até a Napa Valley, as regiões produtoras de vinho são cada vez mais procuradas para prazerosas experiências de viagem. Uma boa planificação é, porém, necessária para poder aproveitar ainda mais cada momento das férias. Segundo as operadoras especializadas, as regiões do mundo onde estão localizados os melhores vinhedos agradam a qualquer público e são geralmente extremamente pitorescas, sem precisar ser um enófilo experiente para aproveitar um roteiro de enoturismo. Conselheira em viagem “Food and Wine” na Alpine Travel of Saratoga, agência Virtuoso da Califórnia, Lynda Turley listou algumas dicas básicas para garantir o sucesso de uma viagem focada em vinhedos, vinícolas, adegas e vinhos.

A Napa Valley, região pioneira no enoturismo

Três é o limite

Para Lynda, mesmo os mais convictos conhecedores de vinhos não devem visitar mais de três vinícolas durante um dia. Se passar deste número e multiplicar as visitas, as lembranças vão se misturar e será difícil de se lembrar de cada um dos vinhos degustados.

Pensar em contratar um guia

Quase todas as regiões produtoras de vinho têm serviços de guias especializados que conhecem as vinícolas e têm laços de trabalho ou de amizade com os produtores. Alguns destes guias são também motoristas e poderão assim livrar o visitante do terrível dilema: beber ou dirigir. Mesmo que o custo possa parecer pesado – uma média de US$ 500 por dia -, é um excelente investimento, especialmente quando se trata de um pequeno grupo de amigos ou de colegas que podem dividir a despesa. Lynda lembra que os guias realçam a experiência dos viajantes, oferecendo uma visão local e contatos mais estreitos com os moradores. Eles podem ser reservados com antecedência com a agência de viagem ou no próprio destino com o concierge do hotel ou na vinícola.

Degustação na Vinícola Guaspari, em Espirito Santo do Pinhal

Regiões muito famosas, como a Toscana, a Provence ou Napa Valley podem ser invadidas pelos turistas. Se não for possível escolher uma época de baixa estação para viajar, é aconselhável agendar visitas em vinícolas menos conhecidas, onde os proprietários ou os enólogos terão mais disponibilidade para falar de seus vinhos e de seus segredos de fabricação. Uma outra opção interessante pode ser escolher regiões de vinhos menos conhecidas, como Santa Cruz Mountains, na Califórnia; Monticello, na Virgínia; Languedoc, na França;  ou Montevideu, no Uruguai.

Reservar antecipadamente

Muitas vinícolas famosas só aceitam visitas pré agendadas e as reservas devem ser feitas com algumas semanas de antecedência. Para evitar transtornos, e decepções, é importante reservar também um restaurante nas vizinhanças, em geral sempre lotado na alta estação.

Bodega do Borgo San Felice, Relais Châteaux na Toscana

Organizar outras atividades

Muitas destas regiões de vinhedos oferecem aos viajantes numerosas opções de lazer além do vinho, algumas são destinos turísticos perfeitos até para quem não bebe. Napa Valley tem uma rica oferta artística e muitas galerias de arte de alto nível. Alguns dos seus resorts, como o Meadowood Napa Valley, oferecem restaurantes estrelados, e spas com tratamentos à base de uvas. Em Bordeaux, a cidade brilha por sua arquitetura, sua vida cultural e sua gastronomia. Nos seus arredores o Sources de Caudalie tem o spa onde as sementes de uva são uma fonte de rejuvenescimento.  As colinas da Toscana ou da Borgonha atraem ciclistas, e muitas fazendas da Provence seduzem os turistas com degustações de azeites ou de queijos de cabra.

Esse artigo foi traduzido e adaptado de um artigo original de Shivani Vora no New York Times do 28 de Dezembro 2017

Muitas tendencias para o ano novo, e o robô com destaque do turismo em 2018?

A Islandia, um dos destinos de frio destaques de 2018

Com o ano novo, os viajantes procuram inspirações e ideias para definir quais são as tendências que guiarão nos próximos meses as suas escolhas de destinos, de temáticas ou de tipo de hospedagem. American Express, Booking, Virtuoso, Voyageurs du Monde, USA today, USTOA, Pinterest ou le Journal de Montréal, são muitos jornais, mídias, agencias de viagens, operadoras ou associações profissionais  divulgam listas prospectivas. As escolhas são as vezes esperadas, as vezes surpreendentes, devido não somente aos mercados onde são feitas, mas também as metodologias utilizadas: reservas já realizadas, pesquisas de opinião junto a turistas potenciais, mesas redondas de técnicos ou de profissionais, ou simplesmente  opinião pessoal dos editores ou dos promotores. Mas mesmo com bases nem sempre científicas, essas listas deixam aparecer tendências fortes que impactaraõ o turismo em 2018.

Malta, destino exclusivo e capital europeia da cultura em 2018

As primeiras tendências são os grandes destinos que vão se consolidar, voltar ou aparecer esse ano.  O Portugal, a Itália, a França, os EE UU, o Reino Unido e o Japão ficam assim na liderança, mas outsiders muito dinâmicos estão crescendo. É o caso dos destinos de clima frio, com um destaque para Islândia, mas também da Noruega, da Alaska, do Groenlândia, da Rússia, das Ilhas Feroé ou da Patagônia. Capital Europeia da cultura, Malta deve consolidar sua posição de destino sofisticado no Mediterrâneo, mas a Eslovénia e  o Montenegro, a Tunísia e Chipre se juntaram aos lugares do momento. Na Ásia outro evento – os Jogos de inverno- deve favorecer a Coreia do Sul, e nas Américas a onda do enoturismo explica o sucesso do Chile e da Napa Valley. 2018 deve consolidar vários destinos exóticos, do Omã ao Irã, do Vietnã a Bali, da Polinésia francesa até a Nova Zelândia e a Ilha Mauritius.

O enoturismo, uma temática destacada nas tendências 2018

Os mesmos analistas se arriscaram também a adivinhar as temáticas que vão atrair os viajantes. A cultura e a historia continuam a ser as maiores motivações, seguidas do culinário, e dos grandes eventos culturais ou esportivos. Ricos em experiências, o enoturismo, o ecoturismo, o turismo de bem-estar, o turismo religioso e os cruzeiros vão continuar em forte crescimento. Dando conteúdos emocionais as viagens, estão aparecendo e/ou reaparecendo o turismo genealógico – nos passos dos seus ancestrais-, o turismo “vintage” – nos passos da sua própria infância- , ou o turismo de “pop cultura” – nos passos dos seus personagens de filmes, de série ou de telenovelas. Para viver essas experiências, os viajantes vão cada vez mais privilegiar pequenos grupos de familiares, misturando até três gerações, ou grupos de amigos, esses incluindo as crescentes ” viagens de amigas”. 

O Glamping juntando glamour e camping, aqui na Australia

Se os profissionais do turismo deverão sem dificuldades se adaptar a esses  pedidos dos viajantes, duas novas tendências destacadas para 2018 vão exigir mais evoluções dos agentes e dos hoteleiros. Para esses, e mesmo com a grande criatividade que tiveram nos seus produtos, a diversificação da hospedagem segue crescendo. Mesmo com regras fiscais e operacionais cada vez mais rígidas, os alugueis de apartamentos e casas – AirBnb ou outros- está atraindo agora 33% dos viajantes, e novas ofertas – o glamping por exemplo- estão surpreendendo.

Robôs agora invadindo a industria do turismo

Mas o grande assunto para 2018 será talvez o Robô. Alguns analistas anunciam que eles vão tomar conta da industria do turismo. Os “bots” oferecem até serviços de concierge personalizados. Buscando informações na nossa intimidade no web, eles vão agora ir bem além das tradicionais reservas. Novos aplicativos como Google Trips são capazes de propor destinos, alojamentos, restaurantes ou atividades correspondendo ao perfil de cada viajante, e de planificar a viagem escolhida, oferecendo ainda apoio, dicas e serviços durante a viagem. Claro que essas novas tecnologias poderão tambem ajudar o proprio agente a melhorar os serviços dado a seus clientes. Mas a criatividade, a capacitação, e o domínio desses novos ferramentas  serão chaves para evitar que um Robô ganha o prêmio de agente de viagem 2018.

Jean-Philippe Pérol

Esse artigo foi inicialmente publicado no Blog “Points de vue” do autor na revista profissional on line Mercados e Eventos

Rangiroa, do outro lado do mundo, enoturismo com golfinhos e baleias!

Entre a lagoa e o Oceano, os vinhedos de Rangiroa

Para quem gosta de vinhos diferentes, o “Special Blend” da Bodega del fin del Mundo é sem dúvida uma excelente opção. Nos confins da Patagônia Argentina, em San Patricio del Chanar, alguns pioneiros conseguiram colher uvas dos melhores vinhedos da região – Malbec, Cabernet Sauvignon e Merlot – e compor o vinho único, aromático, tânico e sensual, que seduz não somente pela sua potência, mas também pela sua origem tão peculiar. Mas, pelo menos pela geografia, esse vinho da Patagônia tem agora um concorrente muito sério para o título de vinho proveniente da última adega do fim do mundo. Na ilha de Rangiroa, no arquipélago das Tuamutus, na Polinésia Francesa, um destemido empreendedor, Dominique Auroy, e um enólogo vindo da Alsácia, Sebastien  Thepenier, estão produzindo três brancos e um rosé, única vinícola num raio de 5 a 10 mil quilômetros nesses confins do mundo do Pacífico Sul.

Os quatro rótulos produzidos em Rangiroa

Depois de experimentar dezenas de uvas em várias ilhas da Polinésia, Dominique Auroy ficou convencido de que o terroir de coral de Rangiroa era o melhor lugar para implantação dos vinhedos, selecionando três variedades para compor o seu “Vin de Tahiti”: Carignan, Grenache e  Muscat. O clima regular e com pouca chuva oferece também a possibilidade de duas safras por ano. O sucesso foi rápido, e a produção subiu para 38.000 garrafas. Depois de descartar os tintos que não chegavam à qualidade requerida, quatro rótulos se destacaram: o “Blanc de Corail”, muito mineral mas com sabores de agrumas, e o “Clos du Récif” , com notas de baunilha, sendo os dois premiados em 2008 e 2009 com a medalha de prata das Vinalies Internationales. O rosé “Nacarat” tem sabores de frutas vermelhas, e o branco doce é um perfeito companheiro para um aperitivo ou um prato tahitiano de frutos do mar.

Le mur de requins de Rangiroa @GIE Tahiti tourisme/Philippe Bacchet

 Mas se Rangiroa pode ser colocada agora nos roteiros do enoturismo internacional, a fama da ilha vem em primeiro lugar pelos seus extraordinários spots de mergulho. Para principiantes ou profissionais, a lagoa oferece emoções múltiplas com muitos tipos de peixes, tubarões, barracudas, golfinhos, tartarugas, desde o spot tranquilo do “Aquarium” para um snorking em família, até a “parede de tubarões” que encontra-se a uns 50 metros de profundidade, perto da famosa passe de Tiputa. É nessa passe, bem como na segunda passe do atol – Avatoru -, que são organizadas as principais saídas dos seis clubes de mergulho. Qual que seja a excursão escolhida, e a hora do dia ou da tarde, a caçada dos tubarões (ponta negra, cinza, martelo, seboso ou limão) é sempre o momento mais espetacular, quando eles espalham as “perches pagaies”, os  “chinchars”, as  “caranges”, ou os “napoleões”.

Golfinho pulando na passe Tiputa

Além do enoturismo e do mergulho, Rangiroa, segundo maior atol de coral do mundo com mais de 250 quilômetros de circunferência, vale também pelas suas belezas naturais. A lagoa azul – uma pequena lagoa dentro da lagoa principal – ou as areias cor-de-rosa, são os passeios mais procurados pelos numerosos casais em lua-de-mel. E, para quem quiser mesmo descansar, que tal tomar um copo de “Blanc de Corail” nas famosas cadeiras laranja da Pousada “Le Relais de Josephine”, esperando uma baleia ou olhando para os golfinhos que brincam de entrar e sair pela passe de Tiputa.

Manuia!*

Jean-Philippe Pérol

*Saude em tahitiano

No Relais de Josephine, o lugar certo para esperar baleias e golfinhos

Harmonize um queijo francês com vinho francês

Brasil à Francesa

Com minha equipe, acabamos de escrever e divulgar um comunicado sobre harmonizações de queijos e vinhos que fogem da cartilha, para impressionar seus convidados nas festas do final do ano. Quero divulgar com vocês porque achei muito legal e passei muito tempo procurando essas harmonizações que no final são muito pessoais…;-)

É verdade que as comemorações do fim do ano são uma excelente ocasião para os apaixonados por vinhos e gastronomia degustarem um bom rótulo acompanhado por um delicioso queijo francês.

A recomendação para os dias mais quentes, como os nossos, são os vinhos mais leves e refrescantes. Brancos, rosés e espumantes são os mais indicados para nossa estação, pois em sua maioria oferecem maior frescor ao paladar.

Os deliciosos queijos da campanha “Abra Seu Paladar”, realizada pelo CNIEL (Centro Nacional Interprofissional da Economia Leiteira da França) e pela União Europeia, são excelentes opções para harmonizar com os vinhos que saem…

Ver o post original 202 mais palavras

VISIT FRENCH WINE, o novo site de encontros entre turismo e vinho!

route-des-vins-photo-aquitaine

Enoturismo na região de Bordeaux

Com os seus vinhos definidos pelos “terroirs”, a França é com certeza um dos países onde a combinação de um roteiro de viagem com uma descoberta de vinhedos é a mais atraente. O enoturismo da terra do Romanée Conti e do Beaujolais já atrai mais de 7,5 milhões de viajantes, sendo 3 milhões vindo do mundo inteiro – cerca de 30.000 do Brasil, mas ainda têm um extraordinário potencial de crescimento. EFlorence e Daniel Cathiardmpurrados pelo Conselho Superior do Enoturismo, presidido pela Florence Cathiard (dona do Château Smith Haut Lafitte), e pelo Cluster enoturismo da Atout France, liderado pelo Michel Bernard (do Château Beauchêne), 16 grandes marcas e 15 destinos vinícolas decidiram dar um novo impulso a essa atividade  que junta dois dos maiores sucessos da excelência francesa, o vinho e o turismo. Com uma oferta agora diversificada e consolidada, o lançamento do site visitfrenchwine.com mostrou a vontade dos vinhedos franceses de receber muito mais turistas internacionais.

cognac-st-brice-photo-dr

Os vinhedos de Saint Brice em Cognac

Vendo o sucesso de países concorrentes como os Estados Unidos na Napa Valley, Portugal no Vale do Douro ou a Argentina em Mendoza, um selo de qualidade “Vignobles et découvertes” foi lançado em 2009 para ajudar o visitante a escolher as vinícolas, as adegas, os passeios, os museus, os eventos, as festas, os Spas de “vinoterapia” e até os centros de congressos com as ofertas mais adaptadas para organizar os melhores roteiros de turismo e vinhos. logo_Vignobles et découvertes_pour plaque_0Outorgado pelo Conselho do Enoturismo para um prazo de 3 anos, o selo já é encontrado em 57 lugares da França. E se 61% dos visitantes ainda são franceses, todos eles já estão se preparando para um forte crescimento dos turistas vindo não somente da Europa mas também dos Estados Unidos, da China ou do Brasil. Profissionais desses países serão as vedetes do salão especializado, “Destination Vignobles”, que reunirá em Reims, dia 11 de Outubro, 120 expositores e 150 convidados.

Relais-Bernard-Loiseau-Jardin-vue-générale-@Anne-Demay-11

O Relais Châteaux Bernard Loiseau

No novo site www.visitfrenchwine.com, por enquanto em francês ou em inglês, mas em breve também em 17 idiomas, inclusive em português, os conteúdos serão selecionados para mostrar uma França calorosa, contemporânea, criativa, cultural, renovando sua oferta mesmo nas vinícolas ou no turismo. JPP ET ACHILLE NO SHLO site tem como ambição ajudar o visitante a definir e depois encontrar qual é a experiência que corresponderá melhor ao seu perfil e às suas vontades, levando ele em somente 3 cliques para uma seleção de ofertas dentro dos 18 vinhedos apresentados. Lugar de encontros entre o vinho, o turismo e os viajantes, o site vai também dar um destaque para as experiências de blogueiros convidados, bem como as opiniões de personalidades influentes no Facebook ou no Instagram (um hashtag #visitfrenchwine já está a disposição).

Jean-Philippe Pérol

Os vinhedos de Sainte Victoire

Os vinhedos de Sainte Victoire

Os 15 profissionais parceiros do projeto : AdVini (Gassier, Jeanjean, Ogier, Laroche, Cazes…), Gérard Bertrand, Château Smith Haut Lafitte, Château de Berne, Château Cordeillan Bages, Relais & Châteaux, Bernard Magret, Mumm, Perrier Jouet, Martell, Le Hameau Duboeuf, Le Château du Clos de Vougeot  , Rémy Martin,  Ackerman, Moet Hennessy (Moët&Chandon, Hennessy, Ruinart, Mercier, Dom Pérignon, Veuve Cliquot, Krug…).

Os 16 destinos participantes : Alsâcia, Armagnac, Beaujolais, Bergerac, Bordeaux, Borgonha, Champagne, Cognac, Languedoc, Pays d’Oc, Provence, Roussillon, Savóia, Sul Oeste, Vale do Loire, Vale do Rhône.

 o incrível panorama doRoyal Champagne


O incrível panorama do Relais & Châteaux Royal Champagne

Em Bordeaux, os ingleses premiam o “Guggenheim do vinho”

La Cité du vin em Bordeaux

“La Cité du Vin” em Bordeaux

Neste inicio de ano, muitos grandes jornais ou magazines de viagens indicam as principais tendências do turismo internacional e os destinos que devem se consolidar ou aparecer como os favoritos dos viajantes em 2016. O inglês “The Guardian” , na sua lista do “Where to go” seleccionou 40 lugares como sendo os novos “trends”. Num ano olímpico não faltou destacar o Rio de Janeiro onde as paisagens naturais devem fazer desse Jogos os mais fotogênicos da historia, com os remadores aproveitando a Lagoa cercada de morros pretos, os ciclistas pedalando nas florestas tropicais e os jogadores de volley batendo bola na praia de Copacabana. Longe do esporte, o novo Museu do Futuro, desenhado pelo Santiago Calatrava, apenas acabou de abrir que já virou um dos ícones da cidade.

Museu do Futuro no Rio de Janeiro

O Museu do Futuro no Rio de Janeiro

As recomendações do The Guardian  incluem a Índia, o Irã, o Yunnan, Sri-Lanka, o norte do Japão, os parques nacionais americanos, a Islândia e o Myanmar. As gastronomias dinamarquesa e peruana são homenageadas bem como os vinhedos do Chianti. EURO 2016 em BordeauxA cultura justificou as escolhas de Stratford na Inglaterra, da Cidade do Cabo na África do Sul ou de Wroclaw na Polônia.
O esporte está presente com  a Franca que vai hospedar o Euro 2016. O jogo de abertura ( França – Romênia) está marcado para o dia 10 junho em Saint Denis, a cidade que divide com Paris, Marselha, Lyon, Lille, Lens, Toulouse, Nice, Saint-Etienne e Bordeaux a organização do evento. E Bordeaux é justamente uma grande premiada dessa classificação, aparecendo em segundo lugar na lista dos destinos imperdíveis de 2016.

Os cais da Garonne em Bordeaux

Os cais da Garonne em Bordeaux

Com suas avenidas largas e seus prédios neoclássicos frente aos cais da Garonne, Bordeaux sempre teve muitas ambições. Capital da região que produz o maior volume de grandes vinhos franceses, a cidade quer agora ser reconhecida como a capital mundial do vinho, um titulo que quer conquistar com a abertura em Junho de um museu ultra moderno, La Cité du Vin, mostrando a evolução do vinho e homenageando todas as uvas do planeta. Cité des Civilisations et du Vin - Bordeaux Já chamado de “Guggenheim do vinho”, o museu se orgulha de uma arquitetura futurista, numa faixada de vidro com linhas curvas lembrando um vinho servido  numa taça, um brinde a uma nova visão mais aberta do turismo enológico.  Os dez níveis do prédio vão oferecer um verdadeiro mergulho no mundo da viticultura, incluindo um “teatro dos especialistas” onde profissionais conhecidos aparecerão como hologramas dando conselhos, ou uns “binóculos” mágicos onde será possível olhar todos os grandes vinhedos do mundo. Sentado no restaurante do último andar, a 55 metros de altura, os visitantes poderão aproveitar de uma vista excepcional sobre toda região. E depois da visita, tendo adquirido um bom conhecimento teórico do vinho, será possível pegar um barco na saída do museu e ir diretamente num dos castelos dos arredores para passar a prática.

O Guggenheim do vinho, um grande destino de viagem para 2016!

Esse artigo foi traduzido e adaptado de um artigo original do The Guardian

Adegas de vinho branco de Smith Haut Laffite

Adegas de vinho branco de Smith Haut Laffite

Reveillon do Ano Novo, só com Champagne! … Mas qual ?

CHAMPAGNE PARA NOITE DE REVEILLON

Comemorado no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Fortaleza, em Miami ou em Paris, um Reveillon a brasileira tem alguns itens básicos que não podem faltar: roupa branca, muitos amigos, lentilhas, uvas, romãs e Champagne francês.Reveillon no Rio Negro Essa primeira taça do Ano Novo é uma escolha importante, e vem sempre a pergunta: qual é a melhor Champagne para comemorar? Sendo que a resposta depende do paladar e da emoção de cada um, cada folião terá sem duvida sua própria resposta. Existem várias listas das melhores marcas de Champagne, nelas sempre constam Louis Roederer, Krug, Laurent-Perrier, Heidsieck, Veuve Clicquot, Taittinger, Perrier-Jouet, Pol Roger, Jacquesson, Moet et Chandon (com o Dom Perignon), Deutz e Ruinart. Mas é esse ultimo que sempre foi meu preferido,  especialmente para brindar no Ano Novo.

Ruinart-Blanc-de-Blancs

Essa paixão vem da historia peculiar e das características do próprio Ruinart. Fundada em 1729, quando o Louis XIV autorizou pela primeira vez o transporte do vinho espumante da região, Ruinart é a mais antiga “maison” da Champagne.  CARTAZ BELLE EPOQUEJá vendia mais de 30.000 garrafas em 1730, já estocava os seus vinhos nas “Crayeres” em 1750, e foi premiada pelo Rei Louis XVIII em 1817. Depois de dois séculos de prestigio, vieram as duas guerras que castigaram o leste da França, e ela quase desapareceu em 1946 quando o seu acervo se reduziu a 17 hectares de vinhedos e as 800 garrafas, sendo seus últimos dois clientes o famoso restaurante Maxim’s e a casa noturna Le Sphinx – o “Love Café” então favorito  dos políticos . A reconstrução demorou, e foi somente em 1963, depois da compra pela LVMH, que a marca começou a se reposicionar como um Champagne  de prestigio, com uma produção pequena atendendo um público de conhecedores. Nos anos setenta o Dom Ruinart já era, junto com o “Comtes de Champagne” e o “La Grande Dame”, Dom Ruinart Rosé 1998uma das Champagne servidos na Primeira Classe na Air France, e ela era encontrado também nos bares das melhores companhias de cruzeiro. O sucesso voltou mesmo nos anos 90 com um sabor consolidado em volta de uvas chardonnay, aromáticos e elegantes, vindo da Côte de Blancs e da Montagne de Reims, tanto nos R de Ruinart, no Rosé, no Blanc de Blanc que nos Dom Ruinart.

RELAIS CHATEAUX LES CRAYERES

Ter uma Champagne preferida é também muito influenciado pela emoções as quais ela foi associada, muitas vezes durante as viagens e mais ainda na própria região de Reims.Champagne de balão Brindar com uma taça de Ruinart para iniciar um jantar no Relais et Châteaux Les Crayeres, para comemorar com amigos, um passeio de balão em cima dos vinhedos, para acompanhar seus convidados numa noite de gala nas “crayeres” onde são guardadas as preciosas garrafas, ou para esperar  o por do sol desde a varanda do Royal Champagne, são experiências que ligam o viajante com a Champagne que presenciou esses momentos.  Agora, para acompanhar o seu próximo Reveillon, segue seus próprios gostos, e procure nas suas próprias lembranças e emoções de viagens qual é a sua melhor Champagne! Santé!

Jean-Philippe Pérol

 

Les Sources de Caudalie, o charme e a inovação do enoturismo de Alice Tourbier!

rouge-sources-de-caudalie

– Alice, você é proprietária do “les Sources de Caudalie”, um hotel de luxo no coração dos vinhedos de Bordeaux, e, mais do que isso, um novo conceito de enoturismo inventado pela sua família. Photo AT Nov 12[1]Desde 1990, seus pais Florence e Daniel Cathiard revolucionaram o tradicional grand cru Smith Haut Lafitte, sua irmã desenvolveu uma nova linha de produtos de beleza baseados no “paradoxo francês” da vinoterapia. E você e seu marido inventaram esse hospedagem luxuoso e aconchegante que combina tão bem com a fascinação e o bem estar do vinho. Você vai participar esse ano pela primeira vez a um grande Salão de turismo no Brasil. Jà está recebendo muitos brasileiros no Les Sources de Caudalie?

– O hotel recebe hoje uma maioria de clientes franceses, mais de 60% . Os brasileiros já estão em torno de 6%.AMIGOS VINHO São clientes que vieram especificamente para descobrir a região de Bordeaux, que são muito entusiastas, e que eu e todos meus funcionários adoramos receber. Eles são “bons vivants”, amadores de produtos e serviços de qualidade, sempre atentos a novidades. E são fãs do conceito de arte de viver no coração dos vinhedos que inventamos no Les Sources de Caudalie. Acho também que eles são muito sensíveis a historia da nossa família, tanto no Chateau Smith Haut Lafitte que no empreendimento hoteleiro.

– Gastronomia, vinhedos, SPA, quais são as opções favoritas dos seus hospedes brasileiros?

Muitos dos brasileiros que recebemos são apaixonados pelos vinhos. Eles têm o calor dos latinos, gostam tanto do tinto com notas defumadas que do branco com notas de especiarias que combinam muito bem com o culinário nacional. São viagens de casais ou de famílias. caro Muitas mulheres já conhecem os cremes e produtos de beleza da Caudalie, e querem aproveitar os tratamentos da Vinotherapie do Spa. Os homens vão atrás dos grandes vinhos de Bordeaux, visitando as adegas e comparando as ultimas safras. Mas o mais comum é de ver os casais escolherem de irem juntos aproveitar as massagens, bem como de irem juntos fazer as degustações ou os passeios  nos vinhedos.

– Quais conselhos ou boas dicas você pode dar para os visitantes brasileiros?

Pegar um carro com motorista e visitar os vinhedos de Bordeaux. Les Sources de Caudalies ficam na encruzilhada dos vinhos ícones que devem ser visitados. Os concierges do hotel poderão organizar um wine tour personalizado, incluindo nos mais famosos castelos. Tem que visitar os vinhedos de Pessac Leognan que ficam bem perto, tem a região de Sauternes com seu famosíssimo Château d’Yquem a menos de 20 minutos. IMG-20120609-00273No oeste, na margem direita da Garonne, ficam  St Emilion e Pomerol, no Norte o Médoc, os três a menos de 40 minutos. Com um motorista, fica tudo mais simples, não precisa ficar preocupado com o bafômetro, e é mais fácil ter certeza de chegar no horário. Isso é muito importante porque as visitas tem hora marcada, geralmente com o próprio dono que estará mais a fim de abrir suas melhores garrafas se não ficar esperando.

hotel-chartreuse-thil8

– Quais são as novidades que vai anunciar aos agentes brasileiros durante o Salão?

Acabamos de abrir 12 novas suítes no Les Sources de Caudalies, assim como uma maravilhosa piscina coberta acessível a todos os clientes do hotel. Mas a novidade que os brasileiros vão adorar mesmo é o bar de vinhos ROUGE, espaço de liberdade para todos os “gourmets”. Poderão experimentar ou comprar  as riquezas do terroir do Sudoeste da França, foie gras e tradicionais produtos artesanais, confits e presuntos, com uma ampla seleção de vinhos de Bordeaux na taça a qualquer hora do dia. hotel-chartreuse-thil12Outra noticia em São Paulo vai ser a comercialização da Chartreuse du Château le Thil, um lindo castelo do século XVIII que acabamos de renovar. Os seus 9 quartos e 2 suítes podem ser alugados normalmente mas  podem também ser completamente privatizado para realizar  eventos especiais, casamentos, festas, seminários ou incentivos .

– O seu grupo hoteleiro tem novos projetos na França mas também no exterior. Já pensaram na América Latina e no Brasil?

Hoje estamos trabalhando na França em dois outros projetos. corotUm hotel restaurante spa,  Les étangs de Corot, que abrimos perto de Paris na cidade de  Ville-d’Avray. É um novo « les Sources de Caudalie » que deve abrir na Champagne em 2016. Temos também alguns Spa Caudalie em parceria no exterior. Estou pessoalmente trabalhando com a família Vik no Chile para a abertura dum pequeno Spa. Mas gostaria muito ter um projeto muito mais ambicioso no Brasil!

Alice Tourbier entrevistada por Jean-Philippe Pérol

 

Alice Tourbier-Cathiard é fundadora e proprietária do Les Sources de Caudalie***** e do Les Etangs de Corot****. Ela se criou nos vinhedos do Château Smith Haut Lafitte, um “Grand cru” de Bordeaux que seus pais, Florence e Daniel Cathiard, adquiriram em 1990. Enquanto sua irmã maior desenvolveu a marca de cosméticos cujo produtos são distribuídos em mais de 20 países, incluindo o Brasil, Alice e seu marido Jérôme fundaram o hotel de luxo Les Sources de Caudalie.

F. Vasseur MF CAUDALIE-06094-2[2]Alice e Jérôme Tourbier são ambos diplomados da Bordeaux Business School, e têm uma historia familiar marcada pela hospitalidade. Alice vem de uma família de empreendedores. A sua avó, dona de varias lojas, sempre lhe ensinou que um bom atendimento e um sorriso faziam toda a diferencia. Depois de se formar, Alice passou dois anos nos Estados Unidos trabalhando no setor de vendas dos cosméticos Caudalie . Como cliente, ela aprendeu muito sobre os hotéis e viu o quanto a sua avó estava certa!  

Em 2008, o casal abriu um segundo hotel perto de Versailles, o Les Etangs de Corot. Eles estão agora procurando novos projetos na França e no exterior, sempre com os padrões de bem estar, de generosidade, de autenticidade, de qualidade e de emoções que caracterizam os seus empreendimentos.

CAUDALIES GERAL

Enoturismo: os profissionais franceses e brasileiros na onda dessa paixão!

1349948760 CHEVAL

Nas paixões que os franceses querem dividir com os brasileiros, a paixão pelo vinho é com certeza a que mais se destacou nos últimos anos. Nos cardápios e nas mesas dos restaurantes badalados, nas prateleiras ou nos sites dos grandes importadores, ou na oferta de cursos especializados, o vinho francês está na moda. No turismo, os roteiros das operadoras estão incluindo cada vez mais regiões como a Champagne, Bordeaux, o Vale do Loire, a Borgonha ou a Provence.

Para responder a esse novo fluxo, vindo do Brasil mas também da China, dos Estados Unidos e da própria Europa, as vinícolas francesas estão se organizando. LOGO VIGNOBLES ET DECOUVERTESTrata se de dois milhões de turistas estrangeiros, que compram em media 6 garrafas por visitante e pesam até 25% da economia de alguns produtores, especialmente na Provence. 40 destinos já receberam a certificação “Vignobles et découvertes”, dada pelo Conselho superior da Enologia, um órgão encarregado de selecionar os destinos turísticos e vinícolas com uma oferta completa de hospedagem, gastronomia, degustação e visitas a adegas. E, para o viajante internacional, a qualidade e a diversidade dos vinhos, a prática de idiomas estrangeiros, a abertura no mínimo seis dias por semana, e a possibilidade de compras e de despacho de vinhos são alguns dos serviços garantidos.

Para atrair esses amantes do vinho, a França investe também  no Salão especializado Destination Vignobles. COUV_DESTINATION_VIGNOBLES_2014No próximo mês de outubro, em Lyon, 148 expositores do mundo do vinho vão tentar convencer uns 150 operadores e agentes de viagens, vindos de 43 países. A força da delegação brasileira, a mais importante com 16 agentes convidados, mostra que o Brasil virou mesmo uma prioridade para os destinos de turismo enológico da França. Sabem que os brasileiros são ainda menos de 10.000 a visitá-los, mas com um potencial de crescimento impressionante, uma media de compras muito superior aos europeus, e grandes exigências de qualidade.

A presença de dois das mais prestigiados atores do enoturismo francês no grande encontro dos profissionais do turismo do Brasil, o Salão da ABAV, é outra mostra da vontade da França de dividir sua paixão do vinho com os brasileiros.LES OISEAUXO famosíssimo grand cru Smith Haut Lafitte, e o requintado Hotel SPA “Les sources de Caudalie” aproveitarão esse encontro para mostrar muitas novidades. No hotel, o terceiro restaurante, o Rouge, bem aconchegante e descontraído, as doze recém inauguradas suítes, e o novo anexo “Le Chateau Le Thil” vão com certeza agradar os viajantes querendo encontrar num mesmo destino o melhor dos vinhos de Bordeaux, o único SPA com produtos extraídos da uva,  e um dos mais premiados hospedagem enraizado nos vinhedos.

Na nova onda do enoturismo, as tradicionais confrarias estão encontrado uma nova vida.IMG-20120609-00465 Hoje são 214, estabelecidas em quase todas as regiões vinícolas, organizando eventos e iniciações. Os novatos do mundo inteiro, e especialmente do Brasil, são sempre muito bem vindos se souber achar o imprescindível padrinho e tomar o compromisso de virar, quando voltar nas terras tupiniquim, um propagandista convicto do “terroir” onde foi acolhido, e um embaixador dessa paixão franco-brasileira.

Jean-Philippe Pérol

Membro de honra da confraria dos “Hospitaliers de Pomerol”

IMG-20120607-00107 - copie

Os 40 primeiros destinos certificados Vignobles & Découvertes:

Alsácia Coeur d’Alsace
Alsácia Terre & Vins au Pays de Colmar
Beaujolais Le Beaujolais des Pierres Dorées
Bergerac Pays de Bergerac
Borgonha Beaune, de Corton en Montrachet
Borgonha Côte Chalonnaise
Borgonha Dijon Côte de Nuits
Borgonha Le vignoble de Chablis
Borgonha Le vignoble de l’Auxerrois
Borgonha Vignoble du Mâconnais
Champagne Côte des Bar
Champagne Côteaux du Sézannais
Champagne Côteaux Sud d’Epernay et Côte des Blancs
Champagne Massif de Saint Thierry, vallée de l’Ardre
Champagne Montagne de Reims
Champagne Vallée de la Marne
Cognac Vignoble de Cognac
Jura Vignoble du Jura
Languedoc La Narbonnaise en Méditerranée
Languedoc Pays de Thau
Provence Le Pays d’Aix – Sud Lubéron
Provence La Provence Verte
Roussillon Perpignan Méditerranée Rivesaltes
Savoia Coeur de Savoie
Savoia Savoie, Lac du Bourget
Sud-Ouest Pays des Bastides et Vignoble du Gaillac
Sud-Ouest Destination Cahors – Malbec
Vale do Loire Val de Loire, Amboise
Vale do Loire Val de Loire, Chenonceau
Vale do Loire Vallée du Loir
Vale do Loire Chinon, Bourgueil, Azay
Vale do Loire Saumur, Val de Loire
Vale do Loire Angers Loire Valley
Vale do Loire Vallée du Layon
Vale do Loire Muscadet Loire Océan
Vale do Rhône D’Hermitage en Saint-Joseph
Vale do Rhône De Cornas en Saint-Péray
Vale do Rhône Autour des Dentelles de Montmirail
Vale do Rhône Côtes du Rhône Gardoises
Vale do Rhône Condrieu, Côte-Rôtie