Turismo em 2016: choques, mudanças e poucas saudades. Mas tendências e esperanças para 2017.

nice-a-cidade-do-garibaldi

Nice, a cidade de Garibaldi, lutando com garra para recuperar os seus turistas

Mesmo se a OMT está anunciando um crescimento de 4% do turismo internacional em 2016, o ano terá sido de dificuldades em muitos mercados, tanto receptivos como emissivos. Na França, pela primeira vez,  os atentados de Paris e Nice levaram a uma queda de 7% da clientela estrangeira, vindo tanto da Europa como do Japão, dos Estados Unidos e mais ainda dos mercados emergentes  que foram nos últimos anos o motor do crescimento do turismo francês. No Brasil, o segundo ano consecutivo de recessão levou o turismo emissivo a uma queda de quase 15% (e até mais para os dois grandes destinos tradicionais, Estados Unidos e França).

O esqui, um dos sucessos do turismo francês em 2016

O esqui, um dos sucessos do turismo francês em 2016

Se 2016 não deixará saudades, ele viu numerosas mudanças importantes no turismo internacional que impactarão, nos próximos anos,  não somente as decisões dos viajantes mas também o trabalho dos profissionais. Sem poder ainda fazer uma relação completa, três tendências estão se destacando. Os dramas de Paris, Bruxelas, Nice, Orlando e Berlim, os eventos na Turquia, na Tunísia ou no Egito fizeram da segurança um critério absoluto de escolha dos destinos. E enquanto no passado horrores similares tinha sido superadas em 3 a 4 meses, os viajantes esperam agora mais tempo para voltar, exigindo informação transparente, medidas concretas e resultados comprovados das autoridades ou dos profissionais dos destinos atingidos.

Guo Gang Chang, da Fosun, a nova cara do Club Med

Guo Gang Chang, da Fosun, a nova cara do Club Med

2016 confirmou a China como um dos maiores atores do turismo internacional. A OMT já tinha anunciado há quase vinte anos que a China se tornaria antes de 2020 um dos primeiros mercados emissores, ela já é o primeiro. Serão esse ano 128 milhões de turistas (mesmo se a metade viajam para Hong Kong, Macau e Taiwan) e US$420 milhões de despesas no exterior. A verdadeira surpresa foi a explosão dos investimentos chineses, com um impacto excepcional na França e no Brasil. Em pouco mais de um ano, vimos o Club Med, a Accor, a Wagons Lits e a Azul passar a ser controladas por gigantes da China que vão sem dúvidas influir nas estratégias desses grupos chaves do turismo nos dois países.

AirBnb parceira do Rio de Janeiro olímpico

AirBnb parceira do Rio de Janeiro olímpico

Foi esse ano também que as grandes empresas da economia colaborativa viraram atores incontornáveis da industria turística. Assim a AirBnb que conseguiu mostrar durante os Jogos Olímpicos do Rio que representava quase 25% da oferta de hospedagem da cidade maravilhosa. Sendo agora líder em muitos destinos, incluindo em Paris, AirBnb deve aceitar uma concorrência leal com os profissionais – pagando impostos e respeitando os códigos de consumidores-. Deve resolver a difícil coabitação entre seus clientes e os moradores das vizinhanças. Mas os seus sucessos de 2016 junto aos viajantes, os acordos passados com redes hoteleiras e o lançamento da operadora Trips, mostram que a AirBnb e os grupos da economia colaborativa são hoje atores profissionais do setor que vão contribuir a mudar o turismo mundial.

O impacto da eleição de Trump sobre o turismo preocupa os profissionais americanos

O impacto da eleição de Trump  preocupa os profissionais americanos

Outros eventos importantes que marcaram 2016 vão influenciar as viagens internacionais em 2017,:grandes mudanças políticas – Brexit, eleição de Trump ou Paz na Colombia- , evoluções do cambio – força do dolar, queda do Euro ou firmeza do Real, sem que seja ainda possível de medir os seus impactos. Mas é certo que desde o mês de setembro as tendências das viagens internacionais deram uma forte melhoria, projetando 15% de crescimento entre o Brasil e a França. Podemos assim desejar uma “Bonne Année” a todos os viajantes e a todos os profissionais do setor contando que 2017 vai ser mesmo um Feliz Ano Novo!

Jean-Philippe Pérol

Azul, agora não somente verde amarelo mas também vermelho

Azul, agora não somente verde amarela mas também vermelha

A França, mais segura e acolhedora para os seus visitantes

Policiais mais visíveis nos lugares mais turísticos da capital

Policiais mais visíveis nos lugares mais turísticos da capital

Quebrando com a tradição ufanista que caracteriza a comunicação do turismo, o primeiro ministro da França apresentou o seu plano para impulsionar o setor anunciando um recuo de 8,2% das chegadas internacionais. “É claro que com os atentados terroristas de novembro e julho, as greves, os assaltos a turistas asiáticos ou os roubos de personalidades, o turismo francês atravessa um momento difícil. No final de setembro, praticamente todos os mercados estavam em queda, seja os visitantes tradicionais da Europa (-10%), da América do Norte (-6,9%) ou do Japão (-39%), ou os mercados emergentes – Rússia, Brasil e China (de -15% a -30%) “.

O Castelo de Chambord, um dos 30 monumentos com segurança reforçada

O Castelo de Chambord, já com segurança reforçada

Lembrando a importância do turismo para França, 7,5% da economia nacional e 2 milhões de empregos,  o Primeiro Ministro fez questão de anunciar pessoalmente uma série de medidas para reforçar a segurança dos turistas, deslanchar uma campanha de promoção nacional e internacional e apoiar os profissionais nos investimentos necessários para melhorar a qualidade dos estabelecimentos e dos serviços. O objetivo será de recuperar o mais rapidamente possível os dois milhões de turistas e o bilhão de euros de faturamentos perdidos, especialmente nos hotéis e restaurantes de Paris.

A Cote d'Azur

A Riviera francesa, segunda região mais destacada do Plano

A segurança dos turistas vai ser tratada de forma específica, com um coordenador nacional. O patrulhamento dos metrôs e dos trens será ampliado, especialmente em Paris e na Côte d’Azur. Os 30 monumentos mais visitados vão ter os seus acessos monitorados com mais câmeras e uma verba especial vai ser distribuída para ajudar os grandes eventos culturais e os festivais a reforçar sua segurança. Para afastar os delinquentes, e para atender com mais rapidez eventuais vítimas, inclusive no registro de Boletim de Ocorrência, 30 postos móveis de polícia serão inaugurados. Um aplicativo com dicas de segurança em 30 idiomas será também colocado a disposição dos turistas.  Os profissionais serão sensibilizados sobre as precauções e as medidas que podem contribuir ao conforto e a segurança dos seus clientes, e um selo « SECURITE SITE TOURISTIQUE » será atribuído a aqueles que farão os investimentos necessários.

Criatividade cultural como forte temática das campanhas de promoção

O Primeiro Ministro anunciou também um reforço de 10 milhões de Euros na promoção internacional da Atout France, com destaque para os mercados mais atingidos, mas já dando sinais de recuperação, o caso do Brasil. Uma campanha direta para os consumidores, um investimento na “e-reputação” da França na internet e nas mídias sociais, a ampliação da nossa presença nos grandes encontros do trade, e uma promoção específica dos grandes eventos culturais de Paris  serão os eixos principais de um plano de marketing que será iniciado nas próximas semanas com a parceria dos principais destinos turísticos franceses. Devido a importância do turismo doméstico para esses destinos, estarão também incluídas algumas ações complementares no mercado francês.

Shopping mais fácil e detaxe mais rápida

Shopping mais fácil e detaxe mais rápida

Reforçar a confiança dos viajantes no turismo francês exige também de apoiar as melhorias necessárias nos produtos bem como no atendimento. O governo vai ajudar os investimentos no wifi grátis para os clientes dos restaurantes, nas melhorias nos sistemas de reserva on-line para os pequenos hotéis, bem como na capacitação profissional na hotelaria e no ensino de idiomas estrangeiros para os funcionários do setor. Para facilitar o shopping, as aberturas de lojas nos domingos serão ampliadas, as opções de pagamentos ampliadas e o processo da “detaxe”  será simplificado. Com essas medidas, a França quer continuar a merecer a sua posição de primeiro destino turístico mundial frente a seus concorrentes, hoje americanos e amanha chineses. Uma preferência que só pode ser conservada oferecendo aos visitantes não somente um belo patrimônio cultural e natural, mas também a segurança, o atendimento e a qualidade de infraestruturas que eles tem direito.

Bienvenue en France!

A Ryder Cup 2018, evento de destaque do Plano de promoção

A Ryder Cup 2018, evento esportivo privilegiado do Plano de promoção

.

 

A França chora, mas será mais forte que os fanáticos que querem atingir-la

c8bbfd0f3468f9d4-2d390

Bandeira da França a meia haste na Embaixada em Brasília

O Embaixador da França Sr. Laurent Bili agradeceu de coração as inúmeras mensagens de condolências e de solidariedade recebidas pela Embaixada, por meio do governo brasileiro ou dos cidadãos brasileiros chocados como nós com esse ato bárbaro cometido em Nice. Essas mensagens mostram a profunda amizade que une os povos francês e brasileiro, amizade fundada nos valores partilhados de liberdade, igualdade e fraternidade e de recusa ao ódio e à intolerância. O Embaixador também desejou uma pronta recuperação ao cidadão brasileiro ferido em Nice ontem à noite. As famílias  sem notícias de seus familiares que estiverem em Nice podem contatar, do Brasil, o centro de ajuda às vítimas do Ministério francês das Relações Exteriores e do Desenvolvimento Internacional pelo número +33 1 43 17 56 46.

O Presidente François Hollande lembrou num discurso solene que a França foi atingida no dia da sua festa nacional, o 14 de Julho, símbolo da liberdade, porque os Direitos Humanos são negados pelos fanáticos, o que faz dela necessariamente um alvo. Nessas circunstâncias, a segurança de todos, moradores e visitantes, necessita apresentar uma vigilância absoluta e uma determinação inabalável.
Inúmeras medidas foram tomadas, mas devemos, aumentar ainda mais nosso nível de proteção, especialmente durante o verão. Assim nós iremos primeiramente manter em alto nível a Operação Sentinela, que permite a mobilização de 10 mil militares, além dos policiais que serão reforçados pela “reserva operacional” que será deslocada para onde for necessário, especialmente no controle das fronteiras. Por fim, o estado de emergência, que deveria terminar em 26 de julho, será prorrogado por mais três meses. O Presidente lembrou que nada enfraquecerá a vontade de lutar contra o terrorismo e que a França continuará a enfrentar os criminosos nos seus esconderijos. Um Conselho de Defesa será realizado amanhã. Ele examinará todas as medidas já tomadas ou que acabaram de ser anunciadas. Ele possibilitará, assim, o deslocamento das forças de segurança  necessárias nos locais precisando  de mais proteção ou vigilância.

A França se entristece com essa nova tragédia. Ela está chorando, ela sofre, mas é forte e será sempre mais forte que os fanáticos que hoje querem atingi-la.

13709907_985545671542919_1092217932571333087_n

Depois dos trágicos eventos de Paris, algumas informações para os viajantes

A Torre Eiffel solidaria

Depois dos eventos do dia 13 de Novembro em Paris, os responsáveis pelo turismo na cidade divulgaram algumas informações importantes para os profissionais e os viajantes. As fronteiras internacionais continuam abertas, e viagens de e para a Paris são normais. Os passageiros que precisam de vistos Schlengen (não é o caso dos brasileiros) podem pedir e usar-los sem problemas. A estação de trem Saint LazareAs chegadas internacionais, mesmo provenientes de países da Europa, podem ser controladas, sendo então necessários os documentos exigidos para viajar. Todos os aeroportos da capital bem como todas as estações de trem funcionam normalmente, sendo porem necessário de prever um pouco mais de tempo para passar os controles de segurança. Não tem também nenhuma restrição nas viagens entre Paris e qualquer outro destino na França.

Museu Rodin, a reabertura

Importantes medidas de segurança foram tomadas, a começar pelo estado de emergência. Esse não tem impacto direto sobre os visitantes franceses ou internacionais chegando em Paris, mas vai permitir de facilitar o trabalho dos policiais. Todos os protestos são proibidos até o dia 22 de Novembro, e os eventos particulares são autorizados sob a responsabilidade dos organizadores. Para reforçar a segurança publica, 3.000 soldados suplementares estão patrulhando a cidade, sendo triplicados nas maiores áreas turísticas como Montmartre, os Champs-Elysées, o Trocadero e a Torre Eiffel, o Museu do Louvre, Notre-Dame e a Opera. IMG_2732A policia dobrou as rondas no metro, e nas linhas de RER para Versalhes e para Disney. As autoridades lembraram também que são agora 5.000 funcionários que cuidam da segurança nos aeroportos que 16.200 cameras são instaladas nas ruas e nos transportes urbanos. Nesse ambiente de grande vigilância, os locais mais procurados pelos turistas estão quase todos abertos, inclusive os museus e os centros culturais. Os “grands magasins”, o Printemps, as Galerias Lafayette ou o Bon Marché, estão funcionando normalmente, bem como os jardins públicos e os parques de lazer.

shopping montmartre

No site do turismo parisiense , onde a cidade-luz agradece também pelas inúmeras mensagens de solidariedade, consta a lista atualizada dos locais abertos aos visitantes, bem como a confirmação dos principais eventos programados, especialmente a famosa Conferencia das Nações Unidas sobre o clima. COP21A COP21, a qual devem participar mais de 120 responsáveis políticos, é confirmada do 30 de novembro ao 11 de dezembro. Falando para os congressistas franceses, o Presidente Francois Hollande lembrou : “Devemos continuar a trabalhar, continuar a sair, continuar a viver, continuar a trazer ideias para o mundo. O grande encontro da Conferencia sobre o clima deve não somente ser mantido, mas virar um grande momento de esperança e solidariedade”.

Cristo solidario

Turismo e liberdade

 

PARIS EST CHARLIE

Não é talvez por acaso que a o turismo moderno só nasceu quando triunfava, na Europa e nas Américas, as novas ideias de progresso e de liberdade.Cook's Timetable cover - Dec 1888 Foi em julho 1841, depois das revoluções americana e francesa, depois da independência das ex-colonias espanhois e do Brasil, depois dos movimentos de 1830 e antes da “primavera dos povos” de 1848, que o Thomas Cook comercializou a primeira viagem organizada entre Leicester e Loughborough . A liberdade nunca deixou de marcar a historia do turismo. Depois da primeira guerra, em 1919, quando os primeiros escritórios de turismo no exterior abriram para acompanhar o inicio dos grandes fluxos de viajantes internacionais. TRIGANODepois da segunda guerra, quando o Trigano fez do Clube “a mais bela ideia desde a invenção da felicidade”. Nos anos dourados das “30 gloriosas”, quando empreendedores do turismo fundaram as grandes operadoras que ajudaram milhões de pessoas a descobrir essa maravilhosa liberdade: viajar.

Assim que foi lembrado pela Organização mundial do turismo na sua Carta Magna, o turismo só existe com liberdade. TopSul Notícias - www.topsulnoticias.com.br - liberdade 4Para o viajante, tem que ter liberdade de sair, de passear, de cruzar as fronteiras. Ele precisa também ter liberdade de ir e vir no destino escolhido, falar ou fazer amizade com os outros turistas ou os moradores encontrados, ter acesso, quando querer, as informações ou meios de comunicações que precisa . E para os países receptores, o turismo responsável vira do mesmo jeito um extraordinário acelerador de progresso e de liberdade.

10361306_10205617442903323_7228106962450380119_n

Fanáticos não aceitam essas liberdades, deixando rastros de sangue que fizeram essa vez dezessete vitimas na França, tentando calar a imprensa e semear o ódio entre franceses de crenças diferentes. O imenso desfile de hoje , com mais de um milhão de participantes em Paris, Lyon, Bordeaux e Marselha, seguindo as marchas de ontem em milhares de cidades e de vilarejos, mostrou o quanto fracassaram. A França não vai renunciar a nenhuma das suas liberdades, nem para seus cidadãos, nem para seus moradores, nem para os seus visitantes.

Marche-republicaine

Os franceses estão ficando imensamente gratos pelas manifestações de solidariedade que chegaram do mundo inteiro, e, claro, especialmente do Brasil onde já recebemos no turismo francês mais de 400 mensagens de apoio de profissionais, de jornalistas ou de simples cidadãos.Génie_de_la_Liberté_973 A todos eles, queremos não somente transmitir nossos agradecimentos, mas também uma mensagem carregada por cada um dos participantes aos desfiles desse domingo. Com medidas de segurança reforçadas mas sem renunciar a esse clima de liberdade tão elogiado pelos nossos visitantes,  queremos continuar a dividir com eles esse jeito de viver. Bem vindo na Franca, et vive la Liberté!

Jean-Philippe Pérol