Luxo e vinho, boas opções e oportunidades para Natal, Reveillon e as ferias de verão!

O hotel Castilla Termal Monasterio de Valbuena

Com Natal e as ferias chegando, é tempo de programar suas próximas viagens, talvez uma “viagem-presente” inovadora como uma experiência de enoturismo juntando uma hospedagem de luxo e um grande vinhedo. Foi assim que a WinePaths, plataforma de acesso ao melhor do mundo dos vinhos e dos licores, selecionou sete ofertas exclusivas capazes de satisfazer os mais exigentes dos enoturistas brasileiros durante esse verão.

Uma grande oportunidade de se hospedar perto do pitoresco vilarejo de Montalcino na Toscana e de participar do concorrido « Benvenuto Brunello », evento de lançamento do novo Brunello de Montalcino

Benvenuto Brunello
15 de Fevereiro de 2019 – 19 de Fevereiro de 2019

Preços para 4 pessoas  €2990 por dia, incluindo 3 noites nas  Villas de Brunello, a visita da vinícola, uma degustação dos vinhos acompanhados de queijos, aceites e embutidos, e o acesso exclusivo para o evento e a festa Benvenuto Brunello para 4 pessoas

Reserva agora
.
Perto de Franschhoek, o canto mais francês da África do Sul, Mont Rochelle abra os seus vinhedos com 150 anos de tradições  para combinar enogastronomia, passeios e Spa.
.
Mont Rochelle 3 por 2
1 de Novembro 2018 – 30 de Abril 2019 

Preços a partir de €425 por quarto e por noite na base de duas pessoas, iincluindo 3 noites pelo preço de duas, a visita da vinícola e a degustação de vinhos premiados, o acesso a academia, ao campo de tênis e a piscina.
O final do ano é um dos momentos mais mágicos para visitar Meadowood, a propriedade icônica da Napa Valley, ganhando ainda um voucher de USD 100 por dia e por quarto para abater das atividades na região.
.
Experiências Natalinas
1 de Dezembro 2018– 31 de Dezembro 2018
Preços sob consultas, iincluindo as atividades Culinário da temporada de Festas, Decoração de biscoitos caseiros, Doces e sobremesas (pelo próprio chef de Meadowwod)

Hotel moderno desenhado pelo Jean Nouvel, o Saint James aproveita essa época do ano para levar seus hóspedes na feira livre onde o seu chef seleciona os seus produtos e conversa com os produtores.

Feria livre dos produtores
8 de Dezembro de 2018 até 6 de Abril de 2019

Preços sob consulta, incluindo o alojamento em quarto de luxo com café da manhã, visita guiada da feira livre e encontros com os produtores que abastecem o hotel, almoço no bistrô Le Café de l’Espérance

Reserva agora 

Primeiro hotel termal de 5 estrelas de Castela e Leão, o hotel Monasterio era um mosteiro cisterciense do século XII que foi convertido num exclusivo complexo turístico e termal, e que oferece um ambiente excepcional para o Reveillon de Natal.

Reveillon de Natal especial
24 e 25 de Dezembro de 2018
Preços sob consulta, incluindo o café da manha bem como a ceia de Natal, um acesso ilimitado a piscina termal e ao spa, bem como o play center para crianças

Reserva agora 

O Six Senses Douro Valley está situado numa quinta do século XIX, totalmente renovada, localizada numa colina, em pleno vale do Rio Douro, olhando para os morros cobertos de vinhas e para o rio Douro que corre a seus pés.

Presente dos seis sentidos
1 de Novembro de 2018 até 31 de Março de 2019
Preço sob consulta incluindo 2 ou 3 noites no hotel, um tratamento no Spa e uma degustação de vinho para duas pessoas.

Reserva agora 

_____________________________________________________________________

SOURCES DE CAUDALIE, BORDEAUX, FRANCE

No meio dos vinhedos do Smith Haut Lafitte, as Sources de Caudalie conseguem juntar o luxo e a perfeição de um Palace com o ambiente charmoso e aconchegante perfeito. Para Natal e o Reveillon, duas ofertas estão sendo propostas  para esses momentos especiais .
Natal em família a partir de 1.460 € para quatro pessoas:
– Uma noite na Grande Suite decorada com árvore de Natal
– Café da manhã para toda a família
– Ceia de Natal no restaurante La Table du Lavoir ou no duas estrelas Michelin, La Grand’Vigne (bebidas não incluídas)
– Café da manhã no La Grand’Vigne (bebidas não incluídas)
– Presentes surpresa para toda a família!
Saiba Mais >>
Ano Novo, a partir de 1.386 € para duas pessoas:
– Duas noites na Grande Suite
– Café da manhã
– Almoço no La Table du Lavoir, bebidas não incluídas
– Ceia de Réveillon no restaurante duas estrelas Michelin, La Grand’Vigne ou  La Table du Lavoir (bebidas não incluídas)
– Brunch no primeiro dia do ano, com taça de champanhe no La Table du Lavoir ou La Grand’Vigne
– Um presente surpresa para as festas!
Saiba Mais >>

Wine Paths trazendo experiências inovadoras para o mundo do enoturismo

 

Frente as Sources de Caudalies, as obras de arte dos vinhedos de Smith Haut Lafitte

Destacada nas pesquisas pelo seu vinho (o vinho francês mais popular no mundo e no Brasil, na frente do Champagne e do Bourgogne), Bordeaux sempre quis ser inovadora e multi cultural quando se tratou de enoturismo. Foi là que nasceu há quase 40 anos International Wine Tours, a primeira operadora especializada, então filial da Wagons lits, que oferecia roteiros em grandes regiões vinícolas dos cinco continentes. Agora na era das novas formas de distribuição e das plataformas receptivas,  esse pioneirismo se confirmou com a criação da Wine Paths, uma rede de profissionais do enoturismo oferecendo experiências personalizadas em 11 países do mundo.

Passeios a cavala nos vinhedos de Diamandes

As inovações da Wine Paths começam pelo cuidado em escolher os vinhedos e as adegas, uma tarefa que contou com a expertise do premiadíssimo enólogo Michel Rolland. Tendo participado a criação de vinhos em mais de 250 vinícolas de 21 países, ele fez questão de colocar seus favoritos na seleção da Wine Paths. Os serviços escolhidos são também marcados pela experiência do fundador da empresa, Stephane Tillement. Com 30 anos no turismo de luxo, dono desde 2002 da Mauriac voyages – uma das mais conceituadas agências de Bordeaux, Stephane criou relações de confiança com exigentes e criativos parceiros dos mundos do turismo, do vinho, dos destilados e da gastronomia.

Piquenique nos vinhedos da Barossa Valley (Australia)

Combinando desde a sua origem em 2017 os dois “savoir faire” do vinho e do turismo, a Wine Paths oferece experiências nos mais procurados destinos de enoturismo. São 150 vinícolas nas regiões produtoras da Argentina, da Austrália, do Chile, da Califórnia, da Nova Zelândia, da África do Sul, da Itália, do Portugal, da Espanha e da França, escolhidas não somente pelos seus vinhos, mas também pela qualidade dos serviços oferecidos nos arredores pelos parceiros locais. Foram assim selecionados hotéis, restaurantes estrelados, ou adegas capazes de propor emoções ou surpresas, desde um rali nos vinhedos do Franschhoek até uma aula de empanadas na Argentina ou um circuito de mountain bike nas estradas da Alsácia.

O restaurante Conversa em Valbuena, no Ribera del Duero

Com ambição de ser a mais internacional e a mais sofisticada das plataformas de enoturismo, a Wine Paths quer oferecer serviços extremamente personalizados. Cada proposta, seja um voo de balão em Cognac, um passeio a cavalo na Sicília, um itinerário de bicicleta na Rioja, ou um safári aéreo na Austrália, deve se adaptar a cada cliente específico. Essa exigência de qualidade atraiu os 284 parceiros, inclusive alguns que nunca tinham sido presentes numa plataforma de enoturismo, por exemplo os Champagne de Bollinger ou os vinhos do Château Mouton Rothschild. Novos parceiros deveriam ser anunciados esse ano, reforçando as ambições dos fundadores de fazer de Wine Paths um verdadeiro “Guia Michelin” do enoturismo.

Descobrir os vinhedos com luxo e criatividade

Para responder aos pedidos de viajantes procurando as melhores experiências de vinhos, de destilados ou de harmonizações gastronômicas, Wine Paths continua a sua procura de novas  parcerias internacionais. A Escócia -e suas rotas de uísque- é um dos projetos mais adiantados. Com quase um milhão de enoturistas e centenas de vinícolas abertas a visitas, o Brasil deve em breve integrar esses novos rumos, acessando as viagens luxuosas e criativas desenhadas pelos especialistas do grupo, e talvez amanhã colocar suas próprias rotas de vinho a disposição dos enoturistas do mundo inteiro nessa plataforma inovadora.

Jean Philippe Pérol

Na África do Sul, vinhedos pode combinar com aventura

Viajantes, roteiros e enocultura, as novas rotas do enoturismo mundial olham para o Brasil!

A Napa Valley, região pioneira do enoturismo

Celebração do Dia do Vinho, multiplicação das rotas dos vinhos no Rio Grande do Sul, em Santa Catarina, em São Paulo ou no sertão de Pernambuco, assinatura de um convênio entre a Embratur e a Ibravin, wine tours, produtos vedetes na FITUR de Madrid, o enoturismo no Brasil está de vento em popa. Já sendo quase um milhão a visitar mais de 1.100 vinícolas brasileiras, os enoturistas brasileiros estão também chamando a atenção dos profissionais de muitas regiões do mundo. Tanto para o mercado doméstico que para o mercado internacional, o crescimento dessa temática de viagem no Brasil segue as novas tendências que surgiram em Napa Valley, na Toscana ou em Bordeaux, e que a Organização Mundial do Turismo (OMT) destaca agora no Uruguai, na Croácia ou até na Geórgia.

Arte nos vinhedos na “Floresta dos 5 sentidos” das Sources de Caudalie

A primeira tendência que impulsa o enoturismo é a diversificação de seus fãs. Antes quase exclusivamente enófilos – amadores de vinhos, conhecedores ou sócios de clubes de degustação -, os enoturistas não são hoje obrigatoriamente conhecedores, mas sempre bons vivants, cultos e curiosos, atraídos pela arte e pelos prazeres da mesa. Mesmo nas vinícolas, eles vão procurar por uma história, uma arquitetura, pelas tradições locais, as obras artísticas, ou por uma experiência com os moradores. As paisagens espetaculares – no Vale do Douro, em Mendonça, na Alsácia ou em Lavaux – são trunfos importantes, assim como características únicas: vinhedo mais setentrional em Sabile (Letônia), vinhedo mais velho em Maribor (Eslovênia), maior adega do mundo em Cricova (Moldávia), vinhedos dos “fins do mundo” na Patagônia (Argentina) ou em Rangiroa (Polinésia Francesa).

Adegas desenhadas pelo Santiago Calatrava, em Ysios

O novo enoturista procura também novidades arquiteturais, uma tendência que começou na Espanha com as adegas de Ysios, do Santiago Calatrava, e o Hotel Bodega de Marques de Riscal, do Gehry. Vários projetos de Museus do Vinho seguem a mesma tendência, o mais espetacular até hoje é a “Cité du Vin“, em Bordeaux. Às vezes chamado de Guggenheim do vinho, obra dos arquitetos Legendre e Desmazières, a Cité consegue unir uma espetacular localização na beira do Rio, uma construção emblemática, bem como um conteúdo pedagógico e lúdico. As construções que revolucionaram o enoturismo são também hotéis oferecendo hospedagem de qualidade, gastronomia estrelada e experiências do mundo do vinho, incluindo o bem-estar trazido pelas uvas. Além do pioneiro de Bordeaux, o Château Smith Haut Lafitte com o Hotel Palace Les Sources de Caudalie e o SPA Caudalie, o Yeatman Hotel do Porto ou o Meadowood da Napa Valley são alguns dos grandes estabelecimentos construídos em torno do vinho.

Adegas da LVMH em Reims

A ligação entre o enoturismo e a cultura é uma outra tendência forte, com uma importante contribuição da UNESCO que listou no Patrimônio da Humanidade os kvevris da Geórgia, os climats da Borgonha, a vite ad alberello de Pantelleri, os terraços de Lavaux e os coteaux, maisons et caves da Champagne. Em cada região produtora de vinho, cada vinícola, cada aldeia e cada produtor têm uma experiência para oferecer. Em sua história, em sua cultura, poderá contar e ensinar ao visitante não somente as especificidades de seu vinho, mas também o seu patrimônio enocultural único. O foco crescente dado pelos profissionais às possibilidades de compras nas próprias adegas aumenta ainda mais o impacto do enoturismo na economia da região, bem como das próprias vinícolas – que chegam a vender 15% e mais das suas produções aos enoturistas.

Vinhedos perto de Bento Gonçalves

Com um mercado em crescimento, o Brasil está mostrando sua nova força nos mercados mundiais do enoturismo, sediando encontros de especialistas, palestras abertas a públicos de profissionais ou de amadores, ou congressos nacionais ou internacionais, com um foco em Bento Gonçalves e na região pioneira do Vale dos Vinhedos.Em São Paulo, o INVINO Wine Travel Summit reunirá no dia 16 de Setembro, expositores vindos de todo o País e do mundo inteiro com agentes de viagem e operadores brasileiros cuidadosamente escolhidos. Alem de descobrir as grandes novidades dos melhores “wine tours”, será também uma verdade experiência enogastronômica com degustações e harmonizações. As novas rotas do enoturismo estão mesmo olhando para Brasil!

Jean-Philippe Pérol

O Hotel Adega Marques de Riscal, obra do arquiteto Gehry

A “Cité du Vin” em Bordeaux

https://www.invino.travel/

 

5 dicas para aproveitar uma viagem numa região de vinhos

Degustação no Chateau Franc Mayne em Saint Emilion

De Bordeaux até a Toscana, ou do Vale do Douro até a Napa Valley, as regiões produtoras de vinho são cada vez mais procuradas para prazerosas experiências de viagem. Uma boa planificação é, porém, necessária para poder aproveitar ainda mais cada momento das férias. Segundo as operadoras especializadas, as regiões do mundo onde estão localizados os melhores vinhedos agradam a qualquer público e são geralmente extremamente pitorescas, sem precisar ser um enófilo experiente para aproveitar um roteiro de enoturismo. Conselheira em viagem “Food and Wine” na Alpine Travel of Saratoga, agência Virtuoso da Califórnia, Lynda Turley listou algumas dicas básicas para garantir o sucesso de uma viagem focada em vinhedos, vinícolas, adegas e vinhos.

A Napa Valley, região pioneira no enoturismo

Três é o limite

Para Lynda, mesmo os mais convictos conhecedores de vinhos não devem visitar mais de três vinícolas durante um dia. Se passar deste número e multiplicar as visitas, as lembranças vão se misturar e será difícil de se lembrar de cada um dos vinhos degustados.

Pensar em contratar um guia

Quase todas as regiões produtoras de vinho têm serviços de guias especializados que conhecem as vinícolas e têm laços de trabalho ou de amizade com os produtores. Alguns destes guias são também motoristas e poderão assim livrar o visitante do terrível dilema: beber ou dirigir. Mesmo que o custo possa parecer pesado – uma média de US$ 500 por dia -, é um excelente investimento, especialmente quando se trata de um pequeno grupo de amigos ou de colegas que podem dividir a despesa. Lynda lembra que os guias realçam a experiência dos viajantes, oferecendo uma visão local e contatos mais estreitos com os moradores. Eles podem ser reservados com antecedência com a agência de viagem ou no próprio destino com o concierge do hotel ou na vinícola.

Degustação na Vinícola Guaspari, em Espirito Santo do Pinhal

Regiões muito famosas, como a Toscana, a Provence ou Napa Valley podem ser invadidas pelos turistas. Se não for possível escolher uma época de baixa estação para viajar, é aconselhável agendar visitas em vinícolas menos conhecidas, onde os proprietários ou os enólogos terão mais disponibilidade para falar de seus vinhos e de seus segredos de fabricação. Uma outra opção interessante pode ser escolher regiões de vinhos menos conhecidas, como Santa Cruz Mountains, na Califórnia; Monticello, na Virgínia; Languedoc, na França;  ou Montevideu, no Uruguai.

Reservar antecipadamente

Muitas vinícolas famosas só aceitam visitas pré agendadas e as reservas devem ser feitas com algumas semanas de antecedência. Para evitar transtornos, e decepções, é importante reservar também um restaurante nas vizinhanças, em geral sempre lotado na alta estação.

Bodega do Borgo San Felice, Relais Châteaux na Toscana

Organizar outras atividades

Muitas destas regiões de vinhedos oferecem aos viajantes numerosas opções de lazer além do vinho, algumas são destinos turísticos perfeitos até para quem não bebe. Napa Valley tem uma rica oferta artística e muitas galerias de arte de alto nível. Alguns dos seus resorts, como o Meadowood Napa Valley, oferecem restaurantes estrelados, e spas com tratamentos à base de uvas. Em Bordeaux, a cidade brilha por sua arquitetura, sua vida cultural e sua gastronomia. Nos seus arredores o Sources de Caudalie tem o spa onde as sementes de uva são uma fonte de rejuvenescimento.  As colinas da Toscana ou da Borgonha atraem ciclistas, e muitas fazendas da Provence seduzem os turistas com degustações de azeites ou de queijos de cabra.

Esse artigo foi traduzido e adaptado de um artigo original de Shivani Vora no New York Times do 28 de Dezembro 2017

Comprar vinhos na França, umas sugestões para 2017…

De Vinis Illustribus, 48, rue de la Montagne Sainte Geneviève

Se tem mil opções de shopping atraente na França, os vinhos são com certeza uma das mais vantajosas para os brasileiros que podem levar de volta até doze litros, dentro do limite dos USD 500 autorizados. Mas qual vinho escolher, e aonde comprar-lo? Claro que o mais divertido é de se informar e de comprar no próprio vinhedo.Sonhar em Saulieu ...Muitos Châteaux de Bordeaux, a maioria dos produtores da Borgonha, as grandes Maisons da Champagne e muitas pequenas propriedades de todas as regiões recebem os visitantes para degustações e vendas de vinho. É uma escolha gratificante, não somente pela compra, mas também pelo contato com o produtor, as explicações do processo de fabricação específico a cada “terroir” e as visitas das  adegas. Pela beleza do local, a atenção do atendimento e a qualidade dos vinhos, alguns vinhedos oferecem uma experiência inesquecível. PETIT HAUT LAFITTESmith Haut Lafitte e Lynch Bages em Bordeaux, Chateau La Coste na Provence, Ruinart e Moët et Chandon na Champagne, o Chateau de Pommard ou  Drouhin Laroze na Borgonha são alguns desses lugares excepcionais. Se os preços não são muito diferenciados, a descoberta de “deuxième” ou “troisième” vinho  sempre justifica a visita (por exemplo o Petit Haut Lafitte, o Hauts de Lagrange ou o La Goulée).

A sessão de vinhos de um hipermercado Leclerc

Lojas especializadas são sempre uma boa opção. Assim , em Paris , recomende-se a Lavinia, ou, em Bordeaux, a Vinothèque e a espetacular “L’intendant” que sempre têm ofertas interessantes. As ruas de Saint Émilion escondem varias pequenas lojas onde tem vinhos pouco conhecidos, e ótimos negócios para fazer. Na França inteira, as lojas Nicolas, os supermercados Monoprix tem sempre ofertas interessantes.  As promoções mais surpreendentes são porem encontradas durante as “Foire aux vins” , uma tradição dos armazéns Leclerc desde 1973. Assim em 2016 foi possível aproveitar um Saint-émilion grand cru Château Boutisse 2014 a EUR 15,95, um Graves Château de Chantegrive 2012  a EUR 12,50, um Bourgogne Santenay premier cru Muzard Les Cabottes Vieilles vignes 2014 a EUR 19,50, e mesmo um Saumur-Champigny Domaine Filliatreau Les Ecois 2015 a EUR 6,95 ou um Saint-Chinian-Roquebrune Col de l’Estrade 2014 a EUR 5,75!

A charmosa e excepcional adega de De vinis illustribus

Entre a possibilidade de provar os vinhos, de encontrar garrafas excepcionais e de conseguir preços em conta, vale a pena experimentar uma pequena loja em Paris chamada “de Vinis Illustribus”. No coração do Quartier Latin, o enólogo Lionel Michelin começou sua atividade oferecendo “vinhos de aniversario” , vinhos de safra correspondentes ao ano de nascimento da pessoa presenteada. Continuou ampliando a oferta para vinhos raros, e acabou decidindo de dividir a sua paixão pelo vinho oferecendo degustações para grupos ou individuais. Com um serviço muito personalizado, ele tenta também oferecer para cada cliente uns vinhos combinando com seus gostos, sua carteira, e sua personalidade. Esse ano, ele aceitou mais uma vez de fazer uma sugestão da melhor cesta de vinhos combinando com as quotas da alfândega brasileira (comprando duas garrafas de cada vinho selecionado dará exatamente USD 500!).

A seleção 2017 de DE VINIS ILLUSTRIBUS:

 Château Jean FAURE 2009 : USD 48 Um Grand Cru Classé, localizado perto do prestigiosos CHEVAL BLANC . Um Saint-Emilion  2009, rico e profundo, que pode ser bebido logo, mesmo se é melhor esperar.De_Vinis_Illustribus-Lionel_Michelin_commenting_a_wine_tasting

Domaine TEMPIER 2012 : USD 33 Contando com três uvas, 75% de Mourvèdre, 15% de Grenache e 10% de Cinsault, esse Bandol é frutado e generoso, ideal para carne ou pratos temperados.

 Domaine LA BARROCHE 2013 : USD 48 Um grande Châteauneuf-du-Pape, cheio de frutas maduras com notas de cacau, para beber com comidas fortes.

 Château LES ORMES DE PEZ 2002 : USD 48  Do mesmo dono que o LYNCH BAGES, esse Saint-Estephe é um grande clássico do vinhedo de Bordeaux, com sabores de moka, de tabaco, e de torrado, redondo e com lindos taninos.

 Meursault “Les Petits Charrons” 2014 : USD 43  um Bourgogne branco, um chardonnay excepcional com vindimas feitas a mão. De cor dourada, com sabores de torrado, de manteiga fresca, e toques de cítricos no final.

 Marsannay “Les Longeroies” 2014 : USD 30 um raro vinho branco da Côte de Nuits, um Marsannay 100% chardonnay elaborado par um jovem produtor muito talentoso. De cor clara e brilhosa, sabores minerais e  aromas de flores brancas. A saborear com peixes, com aves ou com queijos de massa dura.

Então Boas compras e “à  votre santé”!

Jean-Philippe Pérol

 Esse artigo foi publicado pela primeiro vez nesse Blog no dia 26 de Julho de 2014, e foi atualizado em 2015 e agora em 2017  para levar em consideração novas propostas do Lionel Michelin.

De_Vinis_Illustribus-Old_wines

Os vinhos raros do Lionel Michelin

VISIT FRENCH WINE, o novo site de encontros entre turismo e vinho!

route-des-vins-photo-aquitaine

Enoturismo na região de Bordeaux

Com os seus vinhos definidos pelos “terroirs”, a França é com certeza um dos países onde a combinação de um roteiro de viagem com uma descoberta de vinhedos é a mais atraente. O enoturismo da terra do Romanée Conti e do Beaujolais já atrai mais de 7,5 milhões de viajantes, sendo 3 milhões vindo do mundo inteiro – cerca de 30.000 do Brasil, mas ainda têm um extraordinário potencial de crescimento. EFlorence e Daniel Cathiardmpurrados pelo Conselho Superior do Enoturismo, presidido pela Florence Cathiard (dona do Château Smith Haut Lafitte), e pelo Cluster enoturismo da Atout France, liderado pelo Michel Bernard (do Château Beauchêne), 16 grandes marcas e 15 destinos vinícolas decidiram dar um novo impulso a essa atividade  que junta dois dos maiores sucessos da excelência francesa, o vinho e o turismo. Com uma oferta agora diversificada e consolidada, o lançamento do site visitfrenchwine.com mostrou a vontade dos vinhedos franceses de receber muito mais turistas internacionais.

cognac-st-brice-photo-dr

Os vinhedos de Saint Brice em Cognac

Vendo o sucesso de países concorrentes como os Estados Unidos na Napa Valley, Portugal no Vale do Douro ou a Argentina em Mendoza, um selo de qualidade “Vignobles et découvertes” foi lançado em 2009 para ajudar o visitante a escolher as vinícolas, as adegas, os passeios, os museus, os eventos, as festas, os Spas de “vinoterapia” e até os centros de congressos com as ofertas mais adaptadas para organizar os melhores roteiros de turismo e vinhos. logo_Vignobles et découvertes_pour plaque_0Outorgado pelo Conselho do Enoturismo para um prazo de 3 anos, o selo já é encontrado em 57 lugares da França. E se 61% dos visitantes ainda são franceses, todos eles já estão se preparando para um forte crescimento dos turistas vindo não somente da Europa mas também dos Estados Unidos, da China ou do Brasil. Profissionais desses países serão as vedetes do salão especializado, “Destination Vignobles”, que reunirá em Reims, dia 11 de Outubro, 120 expositores e 150 convidados.

Relais-Bernard-Loiseau-Jardin-vue-générale-@Anne-Demay-11

O Relais Châteaux Bernard Loiseau

No novo site www.visitfrenchwine.com, por enquanto em francês ou em inglês, mas em breve também em 17 idiomas, inclusive em português, os conteúdos serão selecionados para mostrar uma França calorosa, contemporânea, criativa, cultural, renovando sua oferta mesmo nas vinícolas ou no turismo. JPP ET ACHILLE NO SHLO site tem como ambição ajudar o visitante a definir e depois encontrar qual é a experiência que corresponderá melhor ao seu perfil e às suas vontades, levando ele em somente 3 cliques para uma seleção de ofertas dentro dos 18 vinhedos apresentados. Lugar de encontros entre o vinho, o turismo e os viajantes, o site vai também dar um destaque para as experiências de blogueiros convidados, bem como as opiniões de personalidades influentes no Facebook ou no Instagram (um hashtag #visitfrenchwine já está a disposição).

Jean-Philippe Pérol

Os vinhedos de Sainte Victoire

Os vinhedos de Sainte Victoire

Os 15 profissionais parceiros do projeto : AdVini (Gassier, Jeanjean, Ogier, Laroche, Cazes…), Gérard Bertrand, Château Smith Haut Lafitte, Château de Berne, Château Cordeillan Bages, Relais & Châteaux, Bernard Magret, Mumm, Perrier Jouet, Martell, Le Hameau Duboeuf, Le Château du Clos de Vougeot  , Rémy Martin,  Ackerman, Moet Hennessy (Moët&Chandon, Hennessy, Ruinart, Mercier, Dom Pérignon, Veuve Cliquot, Krug…).

Os 16 destinos participantes : Alsâcia, Armagnac, Beaujolais, Bergerac, Bordeaux, Borgonha, Champagne, Cognac, Languedoc, Pays d’Oc, Provence, Roussillon, Savóia, Sul Oeste, Vale do Loire, Vale do Rhône.

 o incrível panorama doRoyal Champagne


O incrível panorama do Relais & Châteaux Royal Champagne

Em Bordeaux, os ingleses premiam o “Guggenheim do vinho”

La Cité du vin em Bordeaux

“La Cité du Vin” em Bordeaux

Neste inicio de ano, muitos grandes jornais ou magazines de viagens indicam as principais tendências do turismo internacional e os destinos que devem se consolidar ou aparecer como os favoritos dos viajantes em 2016. O inglês “The Guardian” , na sua lista do “Where to go” seleccionou 40 lugares como sendo os novos “trends”. Num ano olímpico não faltou destacar o Rio de Janeiro onde as paisagens naturais devem fazer desse Jogos os mais fotogênicos da historia, com os remadores aproveitando a Lagoa cercada de morros pretos, os ciclistas pedalando nas florestas tropicais e os jogadores de volley batendo bola na praia de Copacabana. Longe do esporte, o novo Museu do Futuro, desenhado pelo Santiago Calatrava, apenas acabou de abrir que já virou um dos ícones da cidade.

Museu do Futuro no Rio de Janeiro

O Museu do Futuro no Rio de Janeiro

As recomendações do The Guardian  incluem a Índia, o Irã, o Yunnan, Sri-Lanka, o norte do Japão, os parques nacionais americanos, a Islândia e o Myanmar. As gastronomias dinamarquesa e peruana são homenageadas bem como os vinhedos do Chianti. EURO 2016 em BordeauxA cultura justificou as escolhas de Stratford na Inglaterra, da Cidade do Cabo na África do Sul ou de Wroclaw na Polônia.
O esporte está presente com  a Franca que vai hospedar o Euro 2016. O jogo de abertura ( França – Romênia) está marcado para o dia 10 junho em Saint Denis, a cidade que divide com Paris, Marselha, Lyon, Lille, Lens, Toulouse, Nice, Saint-Etienne e Bordeaux a organização do evento. E Bordeaux é justamente uma grande premiada dessa classificação, aparecendo em segundo lugar na lista dos destinos imperdíveis de 2016.

Os cais da Garonne em Bordeaux

Os cais da Garonne em Bordeaux

Com suas avenidas largas e seus prédios neoclássicos frente aos cais da Garonne, Bordeaux sempre teve muitas ambições. Capital da região que produz o maior volume de grandes vinhos franceses, a cidade quer agora ser reconhecida como a capital mundial do vinho, um titulo que quer conquistar com a abertura em Junho de um museu ultra moderno, La Cité du Vin, mostrando a evolução do vinho e homenageando todas as uvas do planeta. Cité des Civilisations et du Vin - Bordeaux Já chamado de “Guggenheim do vinho”, o museu se orgulha de uma arquitetura futurista, numa faixada de vidro com linhas curvas lembrando um vinho servido  numa taça, um brinde a uma nova visão mais aberta do turismo enológico.  Os dez níveis do prédio vão oferecer um verdadeiro mergulho no mundo da viticultura, incluindo um “teatro dos especialistas” onde profissionais conhecidos aparecerão como hologramas dando conselhos, ou uns “binóculos” mágicos onde será possível olhar todos os grandes vinhedos do mundo. Sentado no restaurante do último andar, a 55 metros de altura, os visitantes poderão aproveitar de uma vista excepcional sobre toda região. E depois da visita, tendo adquirido um bom conhecimento teórico do vinho, será possível pegar um barco na saída do museu e ir diretamente num dos castelos dos arredores para passar a prática.

O Guggenheim do vinho, um grande destino de viagem para 2016!

Esse artigo foi traduzido e adaptado de um artigo original do The Guardian

Adegas de vinho branco de Smith Haut Laffite

Adegas de vinho branco de Smith Haut Laffite

Comprar vinhos na França, sempre, mas quais sugestões em 2015?

devinisillistrubus

Se tem mil opções de shopping atraente na França, os vinhos são com certeza uma das mais vantajosas para os brasileiros. Mas qual vinho escolher, e aonde comprar-lo? Claro que o mais divertido é de se informar e de comprar no próprio vinhedo. Sonhar em Saulieu ... Muitos Châteaux de Bordeaux, a maioria dos produtores da Borgonha, as grandes Maisons da Champagne e muitas pequenas propriedades de todas as regiões recebem os visitantes para degustações e vendas de vinho. É uma escolha gratificante, não somente pela compra, mas também pelo contato com o produtor, as explicações do processo de fabricação específico a cada “terroir” e as visitas das  adegas. Pela beleza do local, a atenção do atendimento e a qualidade dos vinhos, alguns vinhedos oferecem uma experiência inesquecível:PETIT HAUT LAFITTE Smith Haut Lafitte e Lynch Bages em Bordeaux, Chateau La Coste na Provence, Ruinart e Moët et Chandon na Champagne, o Chateau de Pommard ou  Drouhin Laroze na Borgonha são alguns desses lugares excepcionais. Se os precos não são muito diferenciados, a descoberta de “deuxième” ou “troisième” vinho  sempre justifica a visita (por exemplo o Petit Haut Lafitte, o Hauts de Lagrange ou o La Goulée). Lojas especializadas são sempre uma boa opção. Assim , em Paris , recomende-se a Lavinia, ou, em Bordeaux, a Vinothèque e a espetacular “L’intendant” que sempre têm ofertas interessantes. As ruas de Saint Émilion escondem varias pequenas lojas onde tem vinhos pouco conhecidos, e ótimos negócios para fazer. E na França inteira, as lojas Nicolas, os supermercados Monoprix ou os armazéns Leclerc surpreendem pelas suas promoções.

Entre a possibilidade de provar os vinhos, de encontrar garrafas excepcionais e de conseguir preços em conta, vale a pena experimentar uma pequena loja em Paris chamada “de Vinis Illustribus”. DSCN0107No coração do Quartier Latin, o enólogo Lionel Michelin começou oferecendo “vinhos de aniversario” , vinhos de safra correspondentes ao ano de nascimento da pessoa presenteada. 378052_221262494617124_152480064828701_485232_101858432_nContinuou ampliando a oferta para vinhos raros, e acabou decidindo de dividir a sua paixão pelo vinho oferecendo degustações para grupos ou individuais. Com um serviço muito personalizado, ele tenta também oferecer para cada cliente uns vinhos combinando com seus gostos, sua carteira, e sua personalidade. Assim, para os brasileiros, que podem importar ate 12 litros por 500 USD, ele tinha sugerido em 2014 duas opções, uma para amadores e uma só para mulheres!

A cesta de doze incluia 2 Château de Ferrand Grand Cru Saint-Emilion 2004, 2 Château La Parde de Haut-Bailly Pessac-Léognan 2009, 2 Fixin « Les Petits Crais » Fournier 2012, 2 Pouilly Fuissé « La Croix » Robert-Denogent 2011, 2 DomainGirls1e Saint-Préfert Châteauneuf-du-Pape 2011 et 2 Domaine Tempier 2010. A nosso pedido, inventou  para mulheres uma  seleção bem feminina de doze garrafas: 1 Champagne Mailly Blanc de Noirs, 1 Champagne Lanson « Extra Age » Rosé, 2 Banyuls « Quintessence » Coume del Mas 2011, 2 Meursault « Les Petits Charrons » Millot 2009, 2 Morgon « Côte du Py » Foillard 2011, 2 Château de Ferrand Grand Cru Saint-Emilion 2004, e 2 Folio Coume del Mas 2011.

Em 2015, pedimos para o Lionel de refazer uma cesta, essa vez com somente 8 vinhos afim de poder levar duas garrafas de cada.De_Vinis_Illustribus-Lionel_Michelin_commenting_a_wine_tasting A escolha  foi então a seguinte: 2 Meursault “les Terres Blanches” Domaine Millot 2011 (41 USD), 2 Beaune “Teurons” Morot 2009 (46 USD), 2 Château de Ferrand Grand Cru Saint-Emilion 2004  (46 USD), 2 Schistes Domaine de la Coume del Mas 2014 (23 USD), 2  Folio “Edition Spéciale” Domaine de la Coume del Mas Collioure 2013 (32 USD), 2 Marsannay “Saint-Urbain” Fournier 2013 ( 23 USD), 2 Saumur blanc “La Dame” Domaine de Rocheville 2011 ( 21 USD) e finalmente 2 Grenache de Sixte 2014 (18 USD). São muitos lugares para comprar e muitas sugestões par ser ouvidas, mas é bom lembrar que a sua melhor escolha será sempre de escolher os vinhos combinando com seu próprio gosto. 

Então Boas compras e “à  votre santé”!

Jean-Philippe Pérol

 Esse artigo foi publicado pela primeiro vez nesse Blog no dia 26 de Julho de 2014, e foi atualizado para levar em consideração novas ideias do autor e do Lionel Michelin.

De_Vinis_Illustribus-Old_wines

Luxo em Bordeaux

Brasil à Francesa

Destino que sempre recomendo, Bordeaux, na França, oferece cada vez mais opções luxuosas. Em 2014, bastantes novidades apareceram, tendo em comum a personalização extrema e a procura de uma experiência mista, fruto de uma combinação entre arte, gastronomia e estética. Seguem três opções diferentes, cada uma envolvendo uma interpretação pessoal do luxo pelos próprios donos, que desejam compartilhar com o cliente suas escolhas.

1. “Buco-chic” na Sources de Caudalie

DSCN8717 La grappe de la terre promise – Yvan Theimer

Um dos lugares mais bonitos da França para descansar e sobre o qual já escrevi, Les Sources de Caudalie, perto de Bordeaux, inaugurou 12 novas suítes construídas no estilo de cabanas “sur pilotis” – sobre palafitas – em referência aos vilarejos de pescadores de ostras do Cap Ferret, no litoral atlântico.

DSCN8718

As suítes seguem no estilo “buco-chic”, tão curtido pela dona Alice Tourbier e verdadeira assinatura da propriedade que abriu em 1999. As novas suítes…

Ver o post original 361 mais palavras

O salão da Abav: uma longa historia e uns novos caminhos!

IMG_1482

Encerrando a Expo internacional 2014 da Abav, São Paulo mostrou pela terceira vez esse ano o quanto pode receber com sucesso um grande salão de turismo. Com  250 estandes e 3500 expositores, a feira registrou as entradas de mais de 41.000 profissionais, comemorando com recorde os seus 60 anos. foto 2Andando nos largos corredores, a beleza e até a imponência dos estandes deixavam aparecer algumas tendências. Os destinos de proximidade,  Argentina, Uruguai, Chile ou Colômbia, estão investindo com força no mercado Brasil e no seu potencial de novos viajantes. Os Estados Unidos, com os investimentos de Brand USA e  o dinamismo dos seus estados, estão mesmo querendo chegar em 2016 com 2 milhões de turistas brasileiros. Stand Saint-MartinAs grandes operadoras – CVC, Flytour, ou Hotel Urbano – mostraram a sua força exibindo não somente um leque de produtos cada vez mais amplo, mas também canais de distribuição diversificados – competindo tanto nas agencias tradicionais que nas vendas on-line. Primeiro mercado emissor do pais, São Paulo mostrou que reivindica agora com orgulho o seu primeiro lugar com destino de negócios e turismo, uma Nova Iorque latina com todos os trunfos para competir com os maiores destinos mundiais.

Se a Europa ficou mais discreta, a França fez questão de estar presente com seus parceiros tradicionais – Air France, Accor, Rail Europe – e uma delegação de profissionais num espaço VIP onde eram servidos Champagne e vinhos do Smith Haut Lafitte.IMG_2419 Prestigiada pela presença do ministro do turismo, Vinicius Lages, e do embaixador da França, Denis Pietton, Atout France animou um almoço debate sobre “investimentos turísticos e desenvolvimento regional”. Com palestra do Patrick Mendes da Accor, mostrou se, através do exemplo da Ibis ou das outras marcas do grupo, a importância dos investimentos hoteleiros para levar os turistas fora dos grandes eixos tradicionais, tanto na França que no Brasil.

Com um apoio excepcional do ministro Vinicius Lages que transferiu o seu gabinete no recinto do Anhembi, a Abav mostrou a sua força, e a presencia dos grandes lideres do turismo no Brasil foi impressionante. Mas, na concorrência entre os três grandes salões de turismo de São Paulo, os profissionais esperavam que o grande diferencial da Expo internacional fosse o comparecimento maciço dos agentes, a qualidade dos encontros e o apoio do publico durante os dois dias abertos a todos. Nesses três itens,  os participantes não foram unânimes, e ficou claro que ainda tem caminho para percorrer. Mesmo com um intensa programa de hosted buyers, os expositores nem sempre tiveram as visitas esperadas, e a interessante iniciativa da Vila do Saber ainda não atendeu as grandes expectativas. Sempre muito difícil a combinar, o atendimento a dois tipos de visitantes muito diferentes – profissional e publico – foi um desafio que muitos expositores não conseguiram vencer, muito estandes ficando vazios no final de semana.

?????

Na hora da Internet e do tempo contado, Expo internacional enfrenta os mesmos problemas que todos os grandes salões internacionais. Os organizadores do IFTM Top Résa de Paris, que encerrou dia 26 de Setembro, ficaram também preocupados pela dificuldade crescente de tirar os agentes de viagens das suas lojas, e pela concorrência de novos canais de comunicação B2B. IMG_2473Em Madrid ou em Berlin, os expositores se queixam cada vês mais da dificuldade de combinar os profissionais e o publico, sendo complicado de ter estandes, folhetos, animações e funcionários capazes de atender os dois. Evento do coração de todos os profissionais brasileiros, carregando a historia do turismo no Brasil, o salão da Abav, que mostrou na vinda para São Paulo todo o seu poder de rejuvenescimento, terá que encontrar suas próprias respostas e assim  continuar nos caminhos de sucesso.

Jean-Philippe Pérol

5173981-7720499 cópia

Quadro dos principais salões profissionais mundiais