O Royal Champagne reabrindo juntando Champagne, gastronomia e bem estar

A vista deslumbrante sobre os vinhedos, marca registrada do hotel

Depois de quatro anos de obras, e de muitas hesitações referente as bandeiras do spa e do próprio hotel, o Royal Champagne reabriu as suas portas no último dia 15 de julho. Antigo “relais de poste”, hotel tradicional e emblemático da Champagne onde até Napoleão teria sido hospedado, Relais & Châteaux de longa data, é herdeiro de uma longa tradição. Ele impressiona em primeiro lugar pela a vista deslumbrante que oferece sobre os vinhedos da Champagne tombados pela UNESCO, o vale do Rio Marne carregado de História, a abadia de Hautvillers assombrada por Dom Pérignon, e os telhados de Epernay, berço das marcas mais cotadas do famosíssimo espumante. Seja nos 1500 metros quadrados de terraços, nas varandas dos 49 quartos, nas mesas do restaurante Bellevue, ou na piscina do spa, essa paisagem continua sendo a marca registrada do hotel.

Luz e espaço nos quartos e nas suites

Foi também essa paisagem que convenceu em 2014 um casal de americanos, Denise e Mark Nunnely, de investir no hotel, valorizando sua fachada histórica mas construindo uma nova ala desenhada pelo o arquiteto Giovanni Pace. Já famoso na Champagne pelas suas obras vanguardistas com as casas Moët & Chandon e Janisson, ele desenhou um conjunto integrado nos vinhedos, combinando a pedra clara da Champagne e o vidro para respeitar a natureza do local. Com cores claras, carvalho e motivos vegetais, muita luz e design tradicional, a decoração interna leva o Champagne até na assinatura de Sybille de Margerie, arquiteta de interior cuja família é dona da casa Taittinger (e foi também proprietária dos saudosos Hotéis Concorde).

Nas paredes do restaurante, as mulheres do Napoleão lembram a Historia do hotel

Nos nomes dos espaços, na decoração do bar ou do restaurante e até na louça, o Royal Champagne quer lembrar as suas origens e a História da sua terra. A suite master de 107 m2 chama se Joséphine, primeira esposa e grande amor do Napoleão, o afresco do teto do bar representa tropas reais- talvez o próprio regimento chamado Royal Champagne – dos tempos da monarquia, e retratos das mulheres que influenciaram a vida do imperador vestem as paredes da espetacular sala do restaurante gastronômico.  A louça de Limoges, especialmente desenhada para o hotel,  foi decorada  pela Maison Fragile com as cartas escritas por ele para Joséphine e para a condessa polonesa Marie Walewska.

Na horta do Artur, um pique nique gastronômico

Com um bar e dois restaurantes, o Royal Champagne oferece varias opções gastronômicas e o chef Jean-Denis Rieubland tem muitas ambições, sempre combinando o savoir-faire francês com um toque de modernidade e a valorização dos produtos regionais. Queijos de cabra, lentilhas, aspargos e ervas aromáticas são produzidos a poucos quilômetros do hotel, dentro do parque regional da Montagne de Reims, na horta do Artur, um hortigranjeiro bio que pode até lhe organizar um piquenique  Com um menu começando a 39 Euros, Rieubland, ex chef do Negresco de Nice, já esta seduzindo os visitantes com pratos criativos em volta de cordeiro, foie gras ou lagostinhas.

La piscine intérieure, plein cadre sur la vallée de la Marne

A faixada de vidro da piscina do spa deixa também aproveitar a paisagem

Único na região, querendo aproveitar a proximidade de Paris, o spa quer posicionar o hotel como um verdadeiro destino de bem estar. Depois de difíceis negociações, é finalmente gerenciado pela Biologique Recherche, parceira da Air France nos salões de La Première. O spa dispõe de infraestruturas e equipamentos completos em todo o andar térreo, com uma piscina coberta, nove cabines de tratamento – sendo uma para duas pessoas, uma jacuzzi, uma sauna seca e outra úmida, uma sala de fitness, e um bar de sucos, sendo previsto em breve uma segunda piscina externa. Um espaço excepcional consagrado ao bem estar dos visitantes, perfeito para completar as suas experiências enológicas e gastronômicas.

O arquiteto respeitou a natureza e a história do local

 

Degustação de Champagne nos terraços do hotel

VISIT FRENCH WINE, o novo site de encontros entre turismo e vinho!

route-des-vins-photo-aquitaine

Enoturismo na região de Bordeaux

Com os seus vinhos definidos pelos “terroirs”, a França é com certeza um dos países onde a combinação de um roteiro de viagem com uma descoberta de vinhedos é a mais atraente. O enoturismo da terra do Romanée Conti e do Beaujolais já atrai mais de 7,5 milhões de viajantes, sendo 3 milhões vindo do mundo inteiro – cerca de 30.000 do Brasil, mas ainda têm um extraordinário potencial de crescimento. EFlorence e Daniel Cathiardmpurrados pelo Conselho Superior do Enoturismo, presidido pela Florence Cathiard (dona do Château Smith Haut Lafitte), e pelo Cluster enoturismo da Atout France, liderado pelo Michel Bernard (do Château Beauchêne), 16 grandes marcas e 15 destinos vinícolas decidiram dar um novo impulso a essa atividade  que junta dois dos maiores sucessos da excelência francesa, o vinho e o turismo. Com uma oferta agora diversificada e consolidada, o lançamento do site visitfrenchwine.com mostrou a vontade dos vinhedos franceses de receber muito mais turistas internacionais.

cognac-st-brice-photo-dr

Os vinhedos de Saint Brice em Cognac

Vendo o sucesso de países concorrentes como os Estados Unidos na Napa Valley, Portugal no Vale do Douro ou a Argentina em Mendoza, um selo de qualidade “Vignobles et découvertes” foi lançado em 2009 para ajudar o visitante a escolher as vinícolas, as adegas, os passeios, os museus, os eventos, as festas, os Spas de “vinoterapia” e até os centros de congressos com as ofertas mais adaptadas para organizar os melhores roteiros de turismo e vinhos. logo_Vignobles et découvertes_pour plaque_0Outorgado pelo Conselho do Enoturismo para um prazo de 3 anos, o selo já é encontrado em 57 lugares da França. E se 61% dos visitantes ainda são franceses, todos eles já estão se preparando para um forte crescimento dos turistas vindo não somente da Europa mas também dos Estados Unidos, da China ou do Brasil. Profissionais desses países serão as vedetes do salão especializado, “Destination Vignobles”, que reunirá em Reims, dia 11 de Outubro, 120 expositores e 150 convidados.

Relais-Bernard-Loiseau-Jardin-vue-générale-@Anne-Demay-11

O Relais Châteaux Bernard Loiseau

No novo site www.visitfrenchwine.com, por enquanto em francês ou em inglês, mas em breve também em 17 idiomas, inclusive em português, os conteúdos serão selecionados para mostrar uma França calorosa, contemporânea, criativa, cultural, renovando sua oferta mesmo nas vinícolas ou no turismo. JPP ET ACHILLE NO SHLO site tem como ambição ajudar o visitante a definir e depois encontrar qual é a experiência que corresponderá melhor ao seu perfil e às suas vontades, levando ele em somente 3 cliques para uma seleção de ofertas dentro dos 18 vinhedos apresentados. Lugar de encontros entre o vinho, o turismo e os viajantes, o site vai também dar um destaque para as experiências de blogueiros convidados, bem como as opiniões de personalidades influentes no Facebook ou no Instagram (um hashtag #visitfrenchwine já está a disposição).

Jean-Philippe Pérol

Os vinhedos de Sainte Victoire

Os vinhedos de Sainte Victoire

Os 15 profissionais parceiros do projeto : AdVini (Gassier, Jeanjean, Ogier, Laroche, Cazes…), Gérard Bertrand, Château Smith Haut Lafitte, Château de Berne, Château Cordeillan Bages, Relais & Châteaux, Bernard Magret, Mumm, Perrier Jouet, Martell, Le Hameau Duboeuf, Le Château du Clos de Vougeot  , Rémy Martin,  Ackerman, Moet Hennessy (Moët&Chandon, Hennessy, Ruinart, Mercier, Dom Pérignon, Veuve Cliquot, Krug…).

Os 16 destinos participantes : Alsâcia, Armagnac, Beaujolais, Bergerac, Bordeaux, Borgonha, Champagne, Cognac, Languedoc, Pays d’Oc, Provence, Roussillon, Savóia, Sul Oeste, Vale do Loire, Vale do Rhône.

 o incrível panorama doRoyal Champagne


O incrível panorama do Relais & Châteaux Royal Champagne

Reveillon do Ano Novo, só com Champagne! … Mas qual ?

CHAMPAGNE PARA NOITE DE REVEILLON

Comemorado no Rio de Janeiro, em São Paulo, em Fortaleza, em Miami ou em Paris, um Reveillon a brasileira tem alguns itens básicos que não podem faltar: roupa branca, muitos amigos, lentilhas, uvas, romãs e Champagne francês.Reveillon no Rio Negro Essa primeira taça do Ano Novo é uma escolha importante, e vem sempre a pergunta: qual é a melhor Champagne para comemorar? Sendo que a resposta depende do paladar e da emoção de cada um, cada folião terá sem duvida sua própria resposta. Existem várias listas das melhores marcas de Champagne, nelas sempre constam Louis Roederer, Krug, Laurent-Perrier, Heidsieck, Veuve Clicquot, Taittinger, Perrier-Jouet, Pol Roger, Jacquesson, Moet et Chandon (com o Dom Perignon), Deutz e Ruinart. Mas é esse ultimo que sempre foi meu preferido,  especialmente para brindar no Ano Novo.

Ruinart-Blanc-de-Blancs

Essa paixão vem da historia peculiar e das características do próprio Ruinart. Fundada em 1729, quando o Louis XIV autorizou pela primeira vez o transporte do vinho espumante da região, Ruinart é a mais antiga “maison” da Champagne.  CARTAZ BELLE EPOQUEJá vendia mais de 30.000 garrafas em 1730, já estocava os seus vinhos nas “Crayeres” em 1750, e foi premiada pelo Rei Louis XVIII em 1817. Depois de dois séculos de prestigio, vieram as duas guerras que castigaram o leste da França, e ela quase desapareceu em 1946 quando o seu acervo se reduziu a 17 hectares de vinhedos e as 800 garrafas, sendo seus últimos dois clientes o famoso restaurante Maxim’s e a casa noturna Le Sphinx – o “Love Café” então favorito  dos políticos . A reconstrução demorou, e foi somente em 1963, depois da compra pela LVMH, que a marca começou a se reposicionar como um Champagne  de prestigio, com uma produção pequena atendendo um público de conhecedores. Nos anos setenta o Dom Ruinart já era, junto com o “Comtes de Champagne” e o “La Grande Dame”, Dom Ruinart Rosé 1998uma das Champagne servidos na Primeira Classe na Air France, e ela era encontrado também nos bares das melhores companhias de cruzeiro. O sucesso voltou mesmo nos anos 90 com um sabor consolidado em volta de uvas chardonnay, aromáticos e elegantes, vindo da Côte de Blancs e da Montagne de Reims, tanto nos R de Ruinart, no Rosé, no Blanc de Blanc que nos Dom Ruinart.

RELAIS CHATEAUX LES CRAYERES

Ter uma Champagne preferida é também muito influenciado pela emoções as quais ela foi associada, muitas vezes durante as viagens e mais ainda na própria região de Reims.Champagne de balão Brindar com uma taça de Ruinart para iniciar um jantar no Relais et Châteaux Les Crayeres, para comemorar com amigos, um passeio de balão em cima dos vinhedos, para acompanhar seus convidados numa noite de gala nas “crayeres” onde são guardadas as preciosas garrafas, ou para esperar  o por do sol desde a varanda do Royal Champagne, são experiências que ligam o viajante com a Champagne que presenciou esses momentos.  Agora, para acompanhar o seu próximo Reveillon, segue seus próprios gostos, e procure nas suas próprias lembranças e emoções de viagens qual é a sua melhor Champagne! Santé!

Jean-Philippe Pérol