Turismo para família combinando Disney, parques, outlets … e cultura? Paris Ile de France, claro!

Disneyland Paris, primeira atração turística da Europa

As comemorações dos 25 anos da Disneylândia Paris mostraram o sucesso desse empreendimento – hoje a atração turística mais visitada da Europa com 13,4 milhões de entradas -, bem como o impacto que ele teve sobre o turismo francês. O Mickey com sotaque atraiu novos perfis de visitantes e deu um novo impulso não somente nos mercados de proximidade mas também na Ásia e nas Américas. No Brasil, que até então dava para a Flórida a quase exclusividade dos parques de lazer, foram mais de 80.000 viajantes (um crescimento de quase 40%) que descobrirão em 2017 a Disney à francesa. A crescente presença de brasileiros nos grandes parques como Asterix, o Puy du Fou e o Futuroscope, ou nos 250 outros parques  espalhados na região Paris Ile de France e nas outras regiões francesas, mostram que a França é cada vez mais considerada no Brasil como um destino para famílias com crianças grandes ou pequenas.

A Fondation Vuitton, encostada no Jardin d’Acclimatation

Em 2018, a reabertura do saudoso Jardin d’Acclimatation, encostado na Fondation Vuitton e nas florestas urbanas do Bois e Boulogne, vai dar mais um impulso na atratividade da região para o turismo de famílias. O mais antigo parque de Paris, aberto em 1860 pelo Imperador Napoleão III, está sendo completamente renovado e o seu proprietário, o grupo de luxo LVMH, tem a ambição de atrair em breve mais de 2 milhões de visitantes. O projeto inclui a renovação do patrimônio arquitetural herdado do Império, dos estábulos, do pombal, e dos aviários, bem como a valorização das atrações mais queridas dos parisienses –  Trenzinho (aberto em 1878), Rio Encantado (aberto em 1927), ou Casa dos Espelhos. Além das 23 atrações já existentes, 17 serão abertas, todas no mesmo espírito “retro-futurista” inspirado em Jules Verne. Apostando na complementaridade com a Fondation Vuitton, combinando parque e cultura, a LVMH espera atrair turistas internacionais de todas as idades.

Grandes marcas e pequenos preços no outlet La Vallée Village

Não bastassem os parques, a região Paris Ile de France está agora seduzindo as famílias pelas opções de shopping. As medidas tomadas para facilitar as aberturas de loja nos domingos, bem como a simplificação dos procedimentos de reembolso de até 16 % de impostos já agradaram os turistas. A multiplicação dos outlets  foi mais um passo. A França tem hoje 21 “vilarejos de marcas”, sendo oito perto de Paris e três em Troyes, na Champagne vizinha. Os maiores, tais como o One Nation Paris, as Marques Avenues, o Usine Center, ou o Usine Mode et Maison, chegam a juntar lojas de fábricas, lojas de departamentos (inclusive cinco Galeries Lafayette) ou até lojas tradicionais, com preços de liquidações. Pela proximidade da Disney, ou talvez das 190 lojas do shopping Val d’Europe, hospedando 120 marcas francesas e internacionais, o La Vallée Village , que hospede 120 marcas francesas e internacionais, é o mais popular junto aos turistas brasileiros.

Em Vaux le Vicomte, cultura e diversão para toda família

Na concorrência com os grandes destinos de turismo em família curtidos pelos brasileiros, a região de Paris Ile de France tem acima de tudo um trunfo importante, um acervo cultural excepcional que surpreende pelas numerosas ofertas para crianças de todas as idades. Em Paris mesmo, a Cité des Sciences, o Palais de la découverte, o Musée des Arts forains são algumas opções para as famílias, bem como o Museu do Homem, o Museu da Marinha ou o próprio Louvre, se o roteiro escolhido for adaptado – mostrando que a cultura pode também ser atual e divertida. Nos arredores da capital, os mais prestigiosos castelos, incluindo Versalhes, Fontainebleau ou Vaux le Vicomte, oferecem animações ou eventos  para adultos e crianças. Para os turistas brasileiros, que exigem das suas viagens para França uma forte dimensão cultural, será talvez um argumento decisivo para escolher Paris e sua região como o outro destino para famílias juntando parques de lazer, shopping … e cultura.

Jean-Philippe Pérol

Os Etangs de Corot, exemplo de canto escondido de Paris Ile de France

25 anos na França, Joyeux Anniversaire, Mickey!

Mickey promovendo Paris junto com Disneylandia Paris

Mickey promovendo Paris junto com Disneyland Paris

Para festejar os 25 anos da Disneyland Paris, o Presidente da Republica foi pessoalmente em Marne-la-Vallée para soprar as velas. Foi a ocasião de lembrar que o parque , com seus hotéis e suas atrações, era a primeira atração turística da França, na frente do Louvre ou de Versalhes com 320 milhões de visitas registradas desde 1992. Francois Hollande fez questão de lembrar que a Disneyland Paris gerava 50.000 empregos diretos e indiretos, e tinha paga desde a abertura o impressionante valor de 6 bilhões de Euros de impostos. O Presidente salientou também que o parque tinha atraído não somente franceses e europeus -principalmente ingleses e espanhóis-, mas também visitantes vindo do mundo inteiro – americanos e até brasileiros.

Para quem participou da inauguração, em Abril de 1992, o sucesso parecia muito distante. Os franceses eram horrorizados pela ideia de sofrer uma afronta aos seus 2000 anos de cultura instalado tão perto da Sorbonne, e meu pai achou chocante de saber que o filho dele confiava e trabalhava no sucesso desse empreendimento. A própria Disney não acreditava muito na França, a sua comunicação insistia na absoluto ausência de know-how francês no projeto, não tinha nenhum marketing previsto para os parisienses, e até o nome do parque ficou em EuroDisney, borrando a “francidade” do projeto.

Convidados mirim no dia da inauguração da Eurodisney

Convidados mirim no dia da inauguração da Eurodisney

Mesmo tendo no Brasil um dos seus maiores mercados para Orlando, Disney não acreditava também no potencial do mercado brasileiro para o seu parque francês. A então Maison de la France ficou sozinha em realizar uma pesquisa, mobilizar a imprensa brasileira – que respondeu acima das expectativas, ou em realizar e distribuir cartazes para as agencias de viagem. Os famtrips organizados com operadoras especializadas – a Stella Barros e a Tia Augusta-, e com o apoio de um fretamento da Varig, tiveram as maiores dificuldades em conseguir convites para a cerimônia inaugural. E as poucas agencias que se arriscar na época a lançar pacotes para a Disney francesa tiveram condições tão rigorosas que inviabilizaram os seus negócios.

Disneylandia Paris comemorando seus 25 anos com muitas novidades

Disneyland Paris comemorando seus 25 anos com muitas novidades

Na comemoração dos 25 anos da Disneyland Paris, os comentários negativos e até os prejuízos dos dois últimos anos ficaram para trás. Lembrando que o Walt Disney era um apaixonado pela França, o parque anunciou uma programação excepcional para esse aniversario: nova versão da Star Tours “A aventura continua” com viagem intergaláctica e pilotagem na Hyperspace Mountain, tudo em 3D; nova Disney Stars on Parade com impressionantes carros alegóricos e fantasias inéditas; novo show do Mickey ” Joyeux Anniversaire Disneyland Paris”; espetáculo a Valsa das Princesas. E a noite, nas muralhas do Castelo da Bela adormecida, a Disney Illuminations vai ressuscitar as historias da Pequena Sereia,  da Bela e da Fera ou da Rainha das Neves.

A Minnie fazendo compras

A Minnie fazendo compras nas Galeries Lafayette

Acreditando na volta dos brasileiros -já foram 70.000 no ano passado, orgulhosa de ser parisiense, e dando o maior apoio as iniciativas da Atout France, da Air France e das operadoras especializadas, a Disneyland Paris vai agora levar essa programação para as agencias e para os viajantes brasileiros. Junto com seus parceiros, vai mostrar que Mickey, o Louvre, Minnie, Versalhes, Cinderela e os Castelos do Loire podem muito bem conviver durante uma viagem para França. Merci, Mickey, e parabéns pelos seus 25 anos na França!

Jean-Philippe Pérol

O pin da inauguração da EuroDisney

O pin da inauguração da EuroDisney

Esse artigo foi inicialmente publicado no Blog “Points de vue” do autor na revista profissional on line Mercados e Eventos

#CotedAzurNow ou #ParisJeTaime, é só escolher!

http://www.cotedazur-now.com

Enquanto Paris e Nice estão tentando superar os dramas dos últimos atentados, o turismo para esses dois tão procurados destinos da França continuou a mover visitantes vindo dos quatro cantos do mundo, mas ainda não se recuperou completamente. Em Paris, apesar do sucesso do Euro 2016,  a frequentação caiu 6,4% no primeiro semestre. Em Nice, depois da terrível noite do 14 de Julho, a queda é de 20,5%, uma queda que atingiu também os outros destinos da Côte d’Azur. Em ambas cidades profissionais e autoridades se juntaram para lançar ações de promoções mostrando aos visitantes que são prontas a receber-los.

Terceira cidade turística da França com mais de 4 milhões de visitantes que contribuam com 1,5 bilhão de Euros para a economia da região, Nice  quer em primeiro lugar dar uma reviravolta na fuga da clientela internacional, lembrando seu charme a seus ricos habitués e até atraindo novos turistas.dpt06-actu-cotedazurnow-nice Aproveitando um financiamento de um milhão de Euros, uma campanha de comunicação foi lançada nas meadas de Setembro com o objetivo de divulgar uma imagem positiva da região, mostrando os moradores da Côte d’Azur orgulhosos de ser um grande e acolhedor destino turístico. Dando prioridade as mídias sociais, mas apoiado por anúncios nos grandes canais de televisão, ela seguirá o hashtag #CotedAzurNow, terá um vídeo viral e cartazes relembro esse video. Com o apoio da Atout France, Nice levará sua campanha de comunicação na Itália, na Alemanha, na Inglaterra, na Escandinávia, nos Estados Unidos, na Rússia, na China e no Brasil.

A criativa elegancia do clipe "Paris je t'aime"

A criativa elegancia do clipe “Paris je t’aime”

Para se reconciliar com os seus visitantes internacionais, Paris escolheu o romantismo e o sonho.  “Paris, je t’aime” é o nome do clipe de promoção que a prefeita da cidade luz, Anne Hidalgo, mostrou pela primeira vez no dia 22 de Setembro para imprensa internacional. logo-paris-je-taime-630x405-drObra do cineasta franco-argelino Jalil Jesper, que já visitou o Brasil em 2014 para promover o seu filme “Yves Saint- Laurent”, mostra Parisienses e turistas vivendo a cidade em alguns lugares emblemáticos. Em dois minutos e meia, com a musica “Just need your love” du grupo francês Hyphen Hyphen, o clipe mostra Paris com seus monumentos, suas lojas, seus restaurantes, mas também com o jeito de viver – ou de beijar- dos parisienses nos terraços  dos seus Cafés como nas beiras da Rio Sena ou do Canal Saint Martin. A divulgação já começou  essa semana nos aviões da Air France, nos Aeroportos de Paris, nas Galeries Lafayette de Paris, Berlin et Pequim, nos hotéis da Accor, bem como nas telas urbanas de JC Decaux de Milão, Xangai, Tóquio e Nova Iorque.

Então, para sua próxima viagem para França, vai ser só escolher entre a #CotedAzurNow  e #ParisJeTaime!

Jean-Philippe Pérol

Nice mostrando os momentos para compartir em família

Nice mostrando momentos para compartir em família

Os Champs Elysées so para pedestres?

Pintora nos Champs Elysées

Pintando os campos de trigo nos Champs Elysées

A partir do próximo  dia 1 de Maio, a avenida dos Champs Elysées, a mais famosa avenida do mundo, será exclusiva dos pedestres cada primeiro domingo do mês. As oito pistas de asfalto poderão acolher barracas, bares, espetáculos, concertos ou exposições, num ambiente de festa que alegrará turistas e moradores. Os Champs Elysées na Belle ÉpoqueAbertos em 1667 durante o reinado do Luis XIV, o Rei-Sol, os quase dois quilómetros dos  “Campos Eliséus”  e seus vinte milhões de visitantes já viram acontecer muitos momentos excepcionais. Eles são o palco da linha de chegada do Tour de France, o campo de Marte dos desfiles do 14 de Julho, a praça de comemoração do Ano Novo. Eles já foram plantações de trigo para apoiar os camponeses ou transformados em estacionamento de aviões para celebrar os cem anos da industria aeronáutica francesa.

A Paulista entrega a pedestres e ciclistas

A Paulista entrega a pedestres e ciclistas

Paris não vai ser a primeira cidade a entregar aos pedestres a sua mais bela avenida. A primeira foi Copenhague com o Stroget em 1962, depois copiada por Londres (Barnaby Street), Amsterdam (Leidsestraat), Tokyo (Cat Street), Nova York (Times Square) e, desde o ano passado, São Paulo com a Paulista. Adotando essa ideia, Paris mostra que a festa não é somente algo excepcional para comemorar grandes eventos, mas também uma realidade rotineira para moradores e turistas, uma homenagem perene à modernidade da cidade, à sua criatividade e à sua audácia.  Devolver os Champs Elysées aos parisienses e aos turistas vai também ajudar a revalorização do bairro, uma forte reivindicação dos moradores que ajudou o famoso restaurante Fouquet’s a não desaparecer em 1988, empurrou a abertura de vários novos hotéis de luxo, e devolveu à avenida numerosas lojas de artigos de luxo.

O Restaurante Fouquet’s nos Champs-Elysees

As opções de shopping nos “Champs” vão se multiplicar nos próximos dois anos. Desde 1996, o ponto mais quente era a Sephora, propriedade do grupo LVMH. Com 15.000 produtos e 250 marcas, investindo nos serviços aos consumidores, atraindo ricos e famosos, a loja recebe 6 milhões de visitantes por ano. Os relógios têm agora o seu endereço na loja Dubail onde são encontrados Rolex, Cartier, Piaget e todos as grandes marcas da relojoaria mundial, bem como séries especiais ou peças únicas. Sephora Champs ElyseesMas, as maiores novidades são previstas para 2018. Na frente do Fouquet’s, a Apple inaugurará sua quarta loja na capital francesa num prédio de 6200 metros quadrados redesenhado pelo arquiteto americano Norman Foster. Com um aluguel previsto de um milhão de euros por mês, a futura Apple Store deve com certeza virar um dos “flagships” dos Champs Elysées. A outra grande novidade prevista para 2018 será a chegada das Galeries Lafayette na antiga Virgin Megastore, pioneira da abertura nos domingos.GL nos Champs Elysées O projeto deve incluir muitas surpresas e será o maior espaço de shopping da avenida. Mais que uma nova loja, a abertura das Galeries Lafayette será também um símbolo do sucesso dos esforços  para fazer os Champs Elysées voltar como símbolo do luxo a francesa. Em 1927, o fundador das Galeries, Théophile Bader, já tinha comprado o local para abrir uma grande loja no estilo americano, mas a crise de 1929 acabou com seu sonho. Nos Champs Elysées renovados, alem do primeiro domingo do mês reservado para pedestres, ainda tem muito o que acontecer!

Jean-Philippe Pérol

 

Os Champs Elysees verde

Os Champs Elysées festejando a natureza em Maio 2010

Menos Euros, mas com mais viagens e mais compras?

PL

De acordo com o Banco Central, as despesas de brasileiros em viagens internacionais somaram US$ 2,120 bilhões em janeiro, uma queda de 7,8% em relação ao mesmo período de 2013. Vindo depois da forte alta do IOF sobre as despesas feitas com cartão de crédito no exterior, essa mudança reforçou os temores daqueles que acreditam que a morosidade da economia, a paixão pela a Copa do mundo e as incertezas da eleição para presidente vão reduzir os fluxos de turistas brasileiros para o exterior.

É certo que o Real a 3,20 por um Euro, bem como a alta do imposto, terão um impacto sobre as viagens, mas as pesquisas de comportamento e as experiências anteriores mostram várias razões para ser otimistas, podendo até confirmar que 2014 verá um crescimento, mesmo que menor, do turismo brasileiro.

As viagens internacionais cresceram 140% nos últimos seis anos, e são a terceira grande atividade de lazer com 24% das preferências da classe média (atrás somente das saídas e das atividades culturais). 91% dos brasileiros das classes A e B querem viajar para o exterior nos três próximos anos e só 28% deles pensam que motivos econômicos podem impedir esse sonho.Bar à vins Bourgogne_Photo-Alain Doire_Bourgogne Tourisme E quando se pergunta qual é a sua reação frente a alta do dólar, o viajante coloca em primeiro lugar disparado a redução das compras (44%), depois a escolha de um hotel mais em conta (26%) e a diminuição dos gastos em restaurantes (22%). Alguns falam em encurtar a viagem (22%), em adia-la (21%), outros em mudar o roteiro (17%), mas só 1% em cancelar. Viajar virou uma necessidade.

Mais experiente hoje, o turista brasileiro sabe também achar as dicas para otimizar seu orçamento de viagem, especialmente para França. Tem que evitar a alta temporada (cuidado ela é diferente dependendo dos lugares, em Paris  julho e mais ainda agosto são baixa temporada, em Nice tem que fugir do verão até da primavera). Para se hospedar, hotéis tipo Íbis da Accor congress_hotel_venue_search_Ibis_Paris_Porte_D_orleans_0635v00_448913513 são cada vez mais populares. Outras tendências fortes, com mais de um terço dos brasileiros, são as escolhas por apart-hotéis, alugueis de apartamentos ou de casas para viver feito um francês. Vale a pena passar mais tempo no interior onde os hotéis são sempre mais baratos que na capital, mas mesmo em Paris pode se encontrar boas surpresas aceitando se hospedar fora das áreas turísticas ou nos subúrbios mas próximos. Para se deslocar, o sucesso do trem (TGV ou outros produtos da Rail Europe) é impressionante, são hoje quase 70.000 brasileiros que utilizam esse meio de transporte seguro e barato dentro do país.20097856

Mesmo com o real enfraquecido, dá para aproveitar melhor as compras. Tem, em primeiro lugar, que se lembrar de quando se vê um preço de 100 Euros, é o contrário dos Estados Unidos onde se paga  as taxas por cima disso (será 107 ou 108). Na França vai ser no final só 87 porque vai ter um reembolso de 13%, a famosa ‘detaxe’. Os Galeries Lafayette, o Printemps – o antigo e o novo Le Louvre-, o Bon Marché, bem como muitas lojas oferecem esse serviço. Os outlets estão crescendo, sendo o mais famoso o La Vallée perto da Disney. monoprix-rennesPara muitos produtos de beleza ou de gastronomia, os supermercados Monoprix são excelentes opções. E se for em setembro, não perca a fabulosa feira de vinhos dos supermercados Leclerc com preços e ofertas deslumbrantes.

Mesmo com menos Euros, podemos ter mais viagens e até mais compras na França em 2014!

Jean-Philippe Pérol

Bleu = crédit photo  Pôle d'images pour Yann Kersalé - AIK 2