O novo Puy du Fou, lazer e cultura num parque genuinamente espanhol

O Puy du Fou levando a sua fé para Toledo

No próximo dia 27 de março, perto de Toledo, nos montes dominando o rio Tejo, os visitantes poderão viajar no tempo e reviver algumas das lendas e das glórias da história espanhola. A menos de uma hora de Madri, dois anos depois da abertura do espetacular e já famoso show noturno « El Sueño de Toledo », o Puy du Fou Espanha amplia suas instalações com a abertura de mais de 30 hectares de cultura e natureza, a inauguração de quatro aldeias combinando restaurantes, artesanatos e ateliês de artistas, bem como o lançamento de novos espetáculos.

Em Burgos, a estatua do Cid Campeador

Famílias de moradores e de turistas poderão mergulhar durante o dia em quatro das grandes epopéias que construíram a Espanha:

    • El Ultimo Cantar : um espetáculo épico e emocionante sobre a vida do Cid Campeador, o herói cujos amores com a Ximena e vitórias militares contre os mouros até depois de morto inspiraram cavalheiros e escritores durante séculos.
    • A Pluma y Espada : uma aventura emocionante inspirada das façanhas de Lope de Vega, imenso escritor espanhol do século XVI, que não somente teve uma contribuição impressionante a literatura mundial, mais ainda foi um ator importante da vida política e militar do Reinado.
    • Cetrería de Reyes : uma batalha aérea entre o Calife e um cavalheiro de Castille, unidos pela paixão dos pássaros e da falcoaria. Centenas de aves de rapina caíam do céu para desenhar entre os dois amigos e a cabeça dos espectadores um surpreendente balé.
    • Allende la Mar Oceana : a bordo da Santa Maria, os espectadores segue a odisséia autoritária e incerta de Cristóvão Colombo, saindo de Palos para Cipangó até chegar em Guanahani/São Salvador.

El Arrabal é uma das quatro aldeias do Parque

Quatro aldeias reconstruídas servem de palco para os espetáculos, e abrigam lojas, restaurantes ou galerias de arte.

    • L’Arrabal : Em frente a Puerta del Sol, perto das muralhas, os feirantes oferecem churrascos e mercadorias em um mercado medieval festejando a gastronomia espanhola .
    • La Puebla Real : Colado no « Castillo de Vivar », o castelo do espetáculo « El Ultimo Cantar », esse vilarejo do século XIII têm ruas estreitas e uma praça central onde os artesãos mostram os seus talentos.
    • La Venta de Isidro : Nesse fazenda do século XVIII, lavradores criam seus animais, cultivam seus legumes e preparam queijos que os visitantes podem saborear.
    • El Askar Andalusí : Em volta do espetáculo « Cetrería de Reyes », os Mouros instalaram seu acampamento, com barracas coloridas servindo de lojas de artesanato ou de restaurantes.

El Sueno de Toledo já foi visto por 120.000 visitantes

A noite, « El Sueño de Toledo », segue sua trajetória de sucesso. Mais de 120.000 espectadores já assistiram a essa reconstituição de grandes momentos da história da Espanha, através de personagens como o rei Al-Mamoun, a rainha Isabela, o imperador Carlos V, ou de grandes eventos como as Navas de Tolosa, a descoberta da América ou a chegada do trem. Inspirado dos 43 anos da experiência criativa do seu irmão da Vendée, o Puy du Fou Espanha soube virar um parque de cultura e de lazer genuinamente espanhol.  Impactando a economia local com um investimento de EUR 242 milhões e com 687 empregos, os dirigentes franceses e espanhóis acreditam no sucesso desse modelo original, com previsões de um milhão de visitantes em 2021, um e meio em 2025 e dois milhões em 2028. Uma visão e um otimismo que o turismo precisa.

Jean-Philippe Pérol

No castelo de Thoiry, nobreza e criatividade até no zoológico

A magia do solstício de verão no castelo de Thoiry

Ser o herdeiro de um castelo é um sonho que fascina, mas pode virar uma grande dor de cabeça quando a sua manutenção chega a custar centenas de milhares de euros . Foi assim para o Conde Paul de la Panouse, que teve em 1965, aos 21 anos, que encontrar meios de financiar o castelo de Thoiry, pertencendo a sua família há 400 anos. Começou recebendo visitantes, mas teve en seguido a ideia de aproveitar o parque de 40 hectares para abrir um zoológico. Com a ajuda de um amigo diretor de circo, arrumou os espaços, comprou um elefante, alguns ursos e duzentos animais vindo da África. Em maio de 1968, enquanto os estudantes parisienses construíam suas barricadas, os primeiros turistas descobriam a “Reserva africana de Thoiry”.

Os ursos são a grande atração das noites nas tocas

O impressionante sucesso – 500.000 visitantes em 2019 para encontrar os 750 animais espalhados em 400 hectares -, é sem dúvidas o fruto das inovações que o Conde e sua esposa, Anabelle, sempre trouxeram para o parque: jantar dos leões,  abertura no inverno, caminhão-seva, festival das luzes selvagens, túnel dos tigres, tirolesa dos leões, Safari Air Park, ou Wild Forest. Essa criatividade não parou com a crise. Procurando experiências exclusivas, Thoiry está programando a abertura en maio das “tocas de Thoiry”, vinte bangalós, palafitas escondidas onde os hóspedes poderão deitar olhando a vida noturna dos ursos e dos bisões, e serão acordados pelos rugidos dos leões, os berros dos elefantes ou os uivos dos lobos em liberdade.

Os bangalós são simples, sem calefação ou ar condicionado mas com cama king size e banheiro completo, e janelas especiais para poder observar os animais com a devida discrição. Reservar uma toca dá também direito a uma programação privilegiada. O visitante é recebido por um guia que entrega o equipamento  de sobrevivência, lanternas, binóculos, aparelhos de visão noturna necessários para aproximar-se dos animais. Depois de uma visita exclusiva do parque, é hora do churrasco e, de volta no bangaló, de aproveitar o concerto mágico dos gritos e barulhos próprios a cada espécie presente no zoológico.  E acordando cedo, é possível ainda de aproveitar para se despedir dos seus animais favoritos antes da abertura aos outros visitantes.

História e genealogia, as outras paixões do Conde de la Panouse

Se o sucesso de Thoiry veio pelo parque, não se deve esquecer o castelo, ainda habitado pela família. Construído a partir de 1559, suas dimensões seguem o numéro de ouro utilizado nas pirâmides, en harmonia com os ciclos solares , a sala central marcando os solstícios de inverno e de verão. Tendo ficado na mesma familia desde 1612, Thoiry abriga uma excepcional coleção de arquivos que Paul de la Panouse mostra com muito orgulho. São milhares de documentos lembrando uma impressionante genealogia, onde constam o rei Luis XV, um deputado da Revolução e um calife de Cordoba , bem como milhares de livros alimentado sua paixão pela leitura. A sua segunda paixão talvez, sendo a primeira esse excepcional parque que ele construi com ousadia e criatividade, e onde ele gosta de caminhar olhando os animais, conversando com uma familia e até servindo como guia de um grupo de visitantes que terão vivido uma excepcional experiência.

Jean-Philippe Pérol

Castelo, parque -e nobreza- são um assunto de familia juntando o Conde, sua esposa Annabelle, e a nova geração agora no comando

Não faltam hospedes brasileiros no parque!

Capivara com filhote

Tamanduá bandeira

Mico leão

O Mickey, o herdeiro do Senhor d’Isigny promovendo as delicias dos queijos da Normandia

De Isigny a Disney, a epopeia normanda do Mickey

Quando embarcou com Guilherme o Conquistador para invadir a Inglaterra, o nobre francês Hugues Suhard, senhor d’Isigny, pensava provavelmente que suas façanhas militares ao lado do seu suserano normando iam dar uma grande fama a sua linhagem aristocrática. Mesmo depois de Hastings e da sua instalação na Inglaterra, tendo trocado a ortografia do apelido francês d’Isigny pela pronuncia inglesa Disney, a família dela não chegou porem a ser famosa. Com pouco dinheiro e muitos sonhos de aventura, um dos seus descendentes, Kepple Disney, acabou emigrando para os Estados Unidos em 1834, participando da corrida para o ouro da Califórnia. Não achou ouro, e seu filho Elias foi tentar a sorte em Chicago onde casou e teve um filho chamado Walt Disney.

O Jardim Disney de Isigny foi inaugurado em 2016

Genial invenção do Walt Disney, o Mickey nasceu em 1928 mas demorou para assumir suas origens normandas. O Walt tinha visitado a região durante a primeira guerra e fala-se que o castelo da Cinderela foi inspirado do Mont Saint Michel. Um primo da família, o general Paul Disney, participou do Dia D em Omaha Beach, e o sobrinho e herdeiro do Walt Disney, Roy, visitou Isigny em 1972. Foi porem somente em 2016 que o município d’Isigny e a Disney formalizaram o seu longo relacionamento com a inauguração de um “Jardim Disney”, na presencia do Mickey vindo especialmente de Disneyland Paris. Em 2018, ele voltou para  festejar seus 90 anos, apoiando o prefeito na inauguração de uma exposição de 6000 peças contando a historia de Disney na Normandia.

As caixas de Camembert Isigny estampadas com o Mickey

Numa região famosa pelos seus queijos, e a primeiro lugar pelo seu Camembert, o Mickey não podia deixar de ser explorada pelos marqueteiros. Lembrar a ligação com a Normandia do mais famoso camundongo do mundo foi uma ideia  da cooperativa de laticínios de Isigny-Sainte-Mère, que reúne 650 pequenos produtores da região, e transforme um dos melhores leites da França em produtos de qualidade exportados no mundo inteiro, inclusive no Brasil. A empresa lançou na França uma campanha de promoção dos seus queijos colocando a cara do Mickey em oito dos seus mais famosos produtos: quatro Camemberts, duas Mimolettes, um  “Pont-L’Évêque AOP”  um “Petit Sainte-Mère”. Em cada caixa é também colocada uma história em quadrinhos chamada “De Isigny até Disney, a surpreendente epopeia”. Quem teria mesmo previsto que a fama de um nobre companheiro de Guilherme o Conquistador seria um dia contado por um rato sorrindo numa caixa de Camembert?

Jean-Philippe Pérol

O Mont Saint Michel teria inspirado o castelo da Bela Adormecida

Turismo para família combinando Disney, parques, outlets … e cultura? Paris Ile de France, claro!

Disneyland Paris, primeira atração turística da Europa

As comemorações dos 25 anos da Disneylândia Paris mostraram o sucesso desse empreendimento – hoje a atração turística mais visitada da Europa com 13,4 milhões de entradas -, bem como o impacto que ele teve sobre o turismo francês. O Mickey com sotaque atraiu novos perfis de visitantes e deu um novo impulso não somente nos mercados de proximidade mas também na Ásia e nas Américas. No Brasil, que até então dava para a Flórida a quase exclusividade dos parques de lazer, foram mais de 80.000 viajantes (um crescimento de quase 40%) que descobrirão em 2017 a Disney à francesa. A crescente presença de brasileiros nos grandes parques como Asterix, o Puy du Fou e o Futuroscope, ou nos 250 outros parques  espalhados na região Paris Ile de France e nas outras regiões francesas, mostram que a França é cada vez mais considerada no Brasil como um destino para famílias com crianças grandes ou pequenas.

A Fondation Vuitton, encostada no Jardin d’Acclimatation

Em 2018, a reabertura do saudoso Jardin d’Acclimatation, encostado na Fondation Vuitton e nas florestas urbanas do Bois e Boulogne, vai dar mais um impulso na atratividade da região para o turismo de famílias. O mais antigo parque de Paris, aberto em 1860 pelo Imperador Napoleão III, está sendo completamente renovado e o seu proprietário, o grupo de luxo LVMH, tem a ambição de atrair em breve mais de 2 milhões de visitantes. O projeto inclui a renovação do patrimônio arquitetural herdado do Império, dos estábulos, do pombal, e dos aviários, bem como a valorização das atrações mais queridas dos parisienses –  Trenzinho (aberto em 1878), Rio Encantado (aberto em 1927), ou Casa dos Espelhos. Além das 23 atrações já existentes, 17 serão abertas, todas no mesmo espírito “retro-futurista” inspirado em Jules Verne. Apostando na complementaridade com a Fondation Vuitton, combinando parque e cultura, a LVMH espera atrair turistas internacionais de todas as idades.

Grandes marcas e pequenos preços no outlet La Vallée Village

Não bastassem os parques, a região Paris Ile de France está agora seduzindo as famílias pelas opções de shopping. As medidas tomadas para facilitar as aberturas de loja nos domingos, bem como a simplificação dos procedimentos de reembolso de até 16 % de impostos já agradaram os turistas. A multiplicação dos outlets  foi mais um passo. A França tem hoje 21 “vilarejos de marcas”, sendo oito perto de Paris e três em Troyes, na Champagne vizinha. Os maiores, tais como o One Nation Paris, as Marques Avenues, o Usine Center, ou o Usine Mode et Maison, chegam a juntar lojas de fábricas, lojas de departamentos (inclusive cinco Galeries Lafayette) ou até lojas tradicionais, com preços de liquidações. Pela proximidade da Disney, ou talvez das 190 lojas do shopping Val d’Europe, hospedando 120 marcas francesas e internacionais, o La Vallée Village , que hospede 120 marcas francesas e internacionais, é o mais popular junto aos turistas brasileiros.

Em Vaux le Vicomte, cultura e diversão para toda família

Na concorrência com os grandes destinos de turismo em família curtidos pelos brasileiros, a região de Paris Ile de France tem acima de tudo um trunfo importante, um acervo cultural excepcional que surpreende pelas numerosas ofertas para crianças de todas as idades. Em Paris mesmo, a Cité des Sciences, o Palais de la découverte, o Musée des Arts forains são algumas opções para as famílias, bem como o Museu do Homem, o Museu da Marinha ou o próprio Louvre, se o roteiro escolhido for adaptado – mostrando que a cultura pode também ser atual e divertida. Nos arredores da capital, os mais prestigiosos castelos, incluindo Versalhes, Fontainebleau ou Vaux le Vicomte, oferecem animações ou eventos  para adultos e crianças. Para os turistas brasileiros, que exigem das suas viagens para França uma forte dimensão cultural, será talvez um argumento decisivo para escolher Paris e sua região como o outro destino para famílias juntando parques de lazer, shopping … e cultura.

Jean-Philippe Pérol

Os Etangs de Corot, exemplo de canto escondido de Paris Ile de France

25 anos na França, Joyeux Anniversaire, Mickey!

Mickey promovendo Paris junto com Disneylandia Paris

Mickey promovendo Paris junto com Disneyland Paris

Para festejar os 25 anos da Disneyland Paris, o Presidente da Republica foi pessoalmente em Marne-la-Vallée para soprar as velas. Foi a ocasião de lembrar que o parque , com seus hotéis e suas atrações, era a primeira atração turística da França, na frente do Louvre ou de Versalhes com 320 milhões de visitas registradas desde 1992. Francois Hollande fez questão de lembrar que a Disneyland Paris gerava 50.000 empregos diretos e indiretos, e tinha paga desde a abertura o impressionante valor de 6 bilhões de Euros de impostos. O Presidente salientou também que o parque tinha atraído não somente franceses e europeus -principalmente ingleses e espanhóis-, mas também visitantes vindo do mundo inteiro – americanos e até brasileiros.

Para quem participou da inauguração, em Abril de 1992, o sucesso parecia muito distante. Os franceses eram horrorizados pela ideia de sofrer uma afronta aos seus 2000 anos de cultura instalado tão perto da Sorbonne, e meu pai achou chocante de saber que o filho dele confiava e trabalhava no sucesso desse empreendimento. A própria Disney não acreditava muito na França, a sua comunicação insistia na absoluto ausência de know-how francês no projeto, não tinha nenhum marketing previsto para os parisienses, e até o nome do parque ficou em EuroDisney, borrando a “francidade” do projeto.

Convidados mirim no dia da inauguração da Eurodisney

Convidados mirim no dia da inauguração da Eurodisney

Mesmo tendo no Brasil um dos seus maiores mercados para Orlando, Disney não acreditava também no potencial do mercado brasileiro para o seu parque francês. A então Maison de la France ficou sozinha em realizar uma pesquisa, mobilizar a imprensa brasileira – que respondeu acima das expectativas, ou em realizar e distribuir cartazes para as agencias de viagem. Os famtrips organizados com operadoras especializadas – a Stella Barros e a Tia Augusta-, e com o apoio de um fretamento da Varig, tiveram as maiores dificuldades em conseguir convites para a cerimônia inaugural. E as poucas agencias que se arriscar na época a lançar pacotes para a Disney francesa tiveram condições tão rigorosas que inviabilizaram os seus negócios.

Disneylandia Paris comemorando seus 25 anos com muitas novidades

Disneyland Paris comemorando seus 25 anos com muitas novidades

Na comemoração dos 25 anos da Disneyland Paris, os comentários negativos e até os prejuízos dos dois últimos anos ficaram para trás. Lembrando que o Walt Disney era um apaixonado pela França, o parque anunciou uma programação excepcional para esse aniversario: nova versão da Star Tours “A aventura continua” com viagem intergaláctica e pilotagem na Hyperspace Mountain, tudo em 3D; nova Disney Stars on Parade com impressionantes carros alegóricos e fantasias inéditas; novo show do Mickey ” Joyeux Anniversaire Disneyland Paris”; espetáculo a Valsa das Princesas. E a noite, nas muralhas do Castelo da Bela adormecida, a Disney Illuminations vai ressuscitar as historias da Pequena Sereia,  da Bela e da Fera ou da Rainha das Neves.

A Minnie fazendo compras

A Minnie fazendo compras nas Galeries Lafayette

Acreditando na volta dos brasileiros -já foram 70.000 no ano passado, orgulhosa de ser parisiense, e dando o maior apoio as iniciativas da Atout France, da Air France e das operadoras especializadas, a Disneyland Paris vai agora levar essa programação para as agencias e para os viajantes brasileiros. Junto com seus parceiros, vai mostrar que Mickey, o Louvre, Minnie, Versalhes, Cinderela e os Castelos do Loire podem muito bem conviver durante uma viagem para França. Merci, Mickey, e parabéns pelos seus 25 anos na França!

Jean-Philippe Pérol

O pin da inauguração da EuroDisney

O pin da inauguração da EuroDisney

Esse artigo foi inicialmente publicado no Blog “Points de vue” do autor na revista profissional on line Mercados e Eventos

O Puy du Fou, o parque de lazer que tem História para contar

puy-du-fou-international-collabore-en-angleterre-sur-un-spectacle-nocturne-du-type-cinescenie-2

Recebendo quase 2 milhões de visitantes por ano, prestigiado com as duas maiores distinções do setor, o The Classic Award e o Applause Award em Orlando, o Puy du Fou, segundo parque francês, é muito orgulhoso não somente do seu sucesso mas da sua especificidade. A menos de 400 km de Paris, ou 300 de Bordeaux, o parque da Vendée abra 150 dias por ano, está chegando a 100 milhões de dólares de faturamento, e tem agora 1500 funcionários e 1200 voluntários para assegurar os 17 espetáculos e a  “Cinéscénie”, o grande show noturno que fez a fama do local.

Puy-du-Fou VIKINGS

Desde o inicio do projeto em 1978, a grande particularidade do parque é a sua ligação com a Historia da região, as lutas que os seus habitantes – chamados de “vendéens” desde a Revolução francesa – travaram pela suas liberdades. O fundador do Puy du Fou, Philippe de Villiers, politico conservador descendente duma velha família nobre, começou seguindo o seu sonho de fazer reviver a sua região. Os ChouansUtilizando o cenário do castelo do Puy du Fou, ele montou com alguns amigos benévolos  um espetáculo de som luzes relembrando a epopéia dos “Chouans”, esses guerrilheiros brancos que lutaram contra as tropas da Revolução em defesa do Rei e da Religião. “Foi um sucesso rápido,” conta o Philippe,” mas percebemos logo que para sobreviver, tinha que oferecer aos espectadores mais que algumas horas de lazer. Em Orlando, vimos o que a gente não queria fazer, mas aprendemos o funcionamento dos parques e percebemos a exigência de oferecer visitas de mais de um dia. Foi assim que criamos o parque atual inaugurado em 1989, bem como as inovações que começaram a partir de 1994 e continuam até hoje.»

CAVALEIROS DA TAVOLA REDONDA

No parque, os enredos, as fantasias, os animais, e os efeitos especiais estão ligados com a Historia da região.  Os espetáculos lembram desde os Romanos (O signo do triunfo) , as grandes invasões (Os vikings), a Idade Media (Os cavaleiros da Távola redonda), a época dos Mosqueteiros (O Mosqueteiro de Richelieu), e até a Revolução Francesa (a Cinéscenie)  que foi na Vendée uma trauma terrível . As proximas novidades do Parque homenageam também a historia da Vendée. Poilus da trincheira das baionetasA primeira se chamará « Le dernier panache », e contará num teatro de 2400 lugares a historia de “Charette” , as façanhas do mais famoso dos chefes militares do grande exercito católico e real, que foi derrotado durante as guerras revolucionárias. A segunda – que já começou a ser apresentada- é uma emocionante reconstituição da Primeira Guerra Mundial. Através de cartas de amor entre um pracinha e sua noiva, foi reconstituído o terrível quotidiano dos soldados e o episódio trágico dos 57 “vendéens” soterrados vivos  na Trincheira das Baionetas.

Parque de cultura e de memoria, enraizado numa região de forte personalidade, o Puy do Fou quer não somente continuar com seu modelo peculiar mas ainda exporta essa forma diferente de divertir os visitantes. O Puy du Fou na InglaterraForam assim montados um espetáculo para o Parque de Efteling nos Países Baixos bem como um som e luzes para o Castelo de Auckland na Inglaterra. Mas recentemente, a imprensa internacional deu uma grande repercussão a um acordo assinado entre o Philippe de Villiers e o Presidente Poutine prevendo a abertura de dois parques, um em Moscou e o outro na Crimeia, homenageando a Historia da Rússia. E se ainda não tem projeto na América Latina ou no Brasil, já está sendo estudado um projeto no Camboja, perto dos famosos templos de Angkor.

Jean-Philippe Pérol

au-puy-du-fou-la-pluie-et-la-foudre-font-annuler-la-cinescenie