Em Lourdes, as novas dimensões do turismo religioso

 

O santuário de Lourdes

O santuário de Lourdes

 

Enquanto o turismo moderno só começou no século XIX com o Thomas Cook e os viajantes ingleses, uma forma de turismo já existia há mais de três mil anos: as peregrinações e o turismo religioso. Começou na Antiguidade grega, em cidades como Delfi, Éfeso ou até Olímpia. SANTIAGO MATAMOUROSEm todos os continentes, de Teotiuacan a Jerusalém ou a Lhassa, a fé sempre foi uma forte razão para atrair viajantes vindo de longe, incentivando as infraestruturas de transporte, de hospedagem e de alimentação para receber-los. E desde as épocas mais remotas da Idade Media, o cristianismo foi em todo o mundo ocidental o primeiro motivo para viajar, primeiro para Roma e a Terra Santa. Depois da aparição do apóstolo Santiago na batalha de Clavijo, começaram as peregrinações para Santiago de Compostela, nos quatro caminhos  (Paris, Vezelay, Le Puy e Arles) descritos num dos livros do Codex Calixtino,  escrito em 1140 e considerado o primeiro guia de turismo. Na França o Mont Saint Michel foi também desde o século IX um santuário onde as relíquias de santos (Aubert, Agnes, Hilario, Martin ..), bem como o escudo e a espada de São Miguel, atraíram milhares de romeiros vindo de toda Europa nos “Caminhos do Paraíso”.

MONTE SAINT MICHEL, A VIAGEM MARAVILHOSA

Há cento e cinquenta anos, o crescimento do turismo religioso acompanha a multiplicação das   viagens internacionais. Jerusalém, Mecca, Roma, Fatima ou Lourdes viraram no século XX alguns dos destinos mais visitados do mundo. E, com o século XXI anunciado como sendo o século da espiritualidade, a crise da fé atravessada por muitas religiões não parece gerar ameaças para as romarias que sigam prosperando, inclusive no Brasil onde tanto o Círio de Nazaré que o santuário de Nossa Senhora Aparecida continuam atraindo multidões.

CIRIO DE NAZARÉ 2014

O Círio de Nazaré 2014

Na França, o exemplo de Lourdes, com seus seis milhões de romeiros, mostra que o turismo religioso goza mesmo duma eterna juventude. Presente em São Paulo com uma delegação da cidade marial e da região Midi-Pyrénées, Monsenhor Xavier d’Arodes de Peyriade, capelão do santuário, deu duas grandes razões justificando a atualidade dessa peregrinação. Monsenhor d'Arodes e Jean Philippe Pérol Foto Panrotas A primeira é o próprio santuário, sua beleza, seus monumentos, sua gruta onde as paredes são esculpidas pelas mãos dos milhões de devotos, os encontros com a fé dos romeiros vindo do mundo inteiro, a energia comunicativa das procissões das tochas. A segunda razão é no mesmo tempo mais pessoal e mais forte. Frente as certezas e a tranquilidade dos outros visitantes, frente a força encontrada nos doentes esperando um milagre, o romeiro é levado a relativizar seus problemas, a adquirir uma nova serenidade, a repensar seu destino . Católico ou não, acreditando em Deus ou não, a romaria é também um momento de retiro espiritual, de reconsideração das suas prioridades que leva o viajante a voltar com uma nova visão da sua própria vida. Será talvez isso o verdadeiro milagre de Lourdes e do turismo religioso.

Jean-Philippe Pérol

A CATEDRAL DE ALBI

A Catedral de Albi

Atendendo melhor os turistas, a França vai brigar pela liderança

sur_la_place_du_carrousel_atout_france-michel_angot_0

Definido como prioridade nacional pelo próprio presidente da República, o turismo francês virou também um dos pontos chaves da ação do ministro das relações exteriores da França. Encerrando os Encontros nacionais do turismo, que mobilizaram durante seis meses mais de 400 profissionais do setor, Laurent Fabius quis não somente anuncia grandes ambições – 100 milhões de turistas até 2020 – mas também medidas fortes para melhorar a atendimento e os serviços oferecidos aos visitantes.DSCN0159 Destacando um turismo diversificado e de qualidade, o projeto quer dar prioridade aos setores onde a excelência francesa é reconhecida: gastronomia e vinho, turismo urbano -incluindo shopping  e vida noturna, ecoturismo,  montanhas e esportes, luxo e artesanato.
A promoção, especialmente a nível internacional, tem que priorizar os destinos já conhecidos como verdadeiras grandes marcas  de turismo : Paris, Bordeaux, Borgonha, Castelos do Loire (ver abaixo a lista completa) …. A dimensão turística dos grandes eventos culturais ou esportivos deverá ser levada em consideração e valorizada.

versailles-_grand_canal_a_zamek_atout_france-martine_prunevieille

 O atendimento, especialmente na chegada nos aeroportos ou nas estações de trem,  é muitas vezes considerado um ponto fraco na França. 20071216_0Foram anunciadas varias medidas, especialmente para o transporte entre Paris CDG e a capital: corredores para ônibus e táxis, tarifa fixa para os táxis, melhorias nos trens para a Gare du Nord que será também renovada e modernizada. Uma nova e única sinalização será instalada nos aeroportos, na estações e no metro. Em todos os lugares turísticos o policiamento ser reforçado com agentes falando os principais idiomas. Forte reivindicação dos  consumidores, os horários de funcionamento das lojas vai ser ampliado, inclusive aos domingos , no centro de Paris e perto das grandes estações de trem.

Pais líder em novas tecnologias, a França não é sempre percebida como tal pelos turistas. O wifi grátis será oferecido nos principais aeroportos, e o governo vai incentivar os hotéis que ainda não fizeram esse investimento a faze-lo. Para ampliar a oferta de aplicativos de ajuda, de tradução ou de informação aos turistas, uma licitação será lançada imediatamente para lançamentos no Mercado em janeiro 2015. Novas plataformas de reservas hoteleiras serão incentivadas, e as relações entre as grandes centrais e os hotéis fixadas numa lei.

3455_ccsi-sylvain_sonnet_1_copie

O turismo sendo uma atividade de serviços, o treinamento dos profissionais é a chave de qualquer política de qualidade. 100.000 treinamentos específicos vão ser colocado a disposição do setor. DSCN0579Muitos deles integrarão uns estágios no exterior para melhorar a pratica de idiomas – um ponto fraco do setor na França.
Uma campanha de comunicação sobre  a importância e as oportunidades das profissões do turismo será financiada pelo ministério. Para o setor ficar mais atrativo para os pequenos empresários, uma seria de medidas de desburocratização serão publicadas esse ano.

Mobilizando agora não somente os tradicionais parceiros do ministério do turismo, mas todos os atores públicos, as embaixadas e as televisões publicas, o projeto quer ver a França não somente aproveitar o incrível crescimento do turismo ( 1,560 bilhões de turistas previstos no mundo em 2020) mas também conservar a liderança nesse setor criador de empregos e de receitas internacionais em todas as regiões francesas, da Europa, ou do Caribe. luxury_0000_c_atout_france_-_leonard_de_serres_-_chateau_de_chambordSe o apoio financeiro parece ainda muita aquém do necessário, o projeto deve sem dúvida animar os atores franceses e estrangeiros do setor. Mais acolhedora, mais acessível,  mais atual, e promovida com o apoio de todos, a França será ainda mais atraente para seus visitantes.

E para nós, no Brasil, vale a pena lembrar que desses 100 milhões de turistas esperados, 1,5 milhões serão brasileiros.

 Jean-Philippe Pérol

Os destinos considerados como marcas de turismo internacionais serão os seguintes: Lyon, Lille, Champagne, Alsácia, Paris, Borgonha, Mont Saint Michel, Bretanha, Castelos do Loire, Bordeaux, Alpes, Auvergne, Biarritz, Provence, Lourdes, Côte d’Azur, Córsega, Reunião, Martinica e Guadalupe.

Turismo em Midi-Pyrénées: a fé, a espiritualidade, e a arte de bem viver.

20072538

Viajando de Paris para Madrid ou Barcelona, ou de Bordeaux para Nice, o viajante atravessa uma região francesa cuja historia é marcada pela espiritualidade. Là comecam muitos dos caminhos de Santiago, là se expandiram as igrejas romanas, lutaram os cruzados de Simão de Montfort contra a heresia dos Cátaros. Là tambem nasceu Bernadette Soubirous, a menina cujas visões da Virgem transformaram o vilarejo de Lourdes na segunda cidade turística da França depois de Paris.

Jà conhecidos dos romeiros brasileiros, a região Midi-Pyrenées, antiga Ocitânia, oferece também outros sítios turísticos que justificam uma parada de três ou quatro dias no roteiro na França ou na Espanha. Rocamadour-franceDo passado espiritual ou religiosa, os imperdíveis são não somente Lourdes, sua gruta ou sua procissão de ciros, mas também a cidade medieval de Rocamadour e sua impressionante Via Crucis, ou a catedral de Albi, patrimônio da humanidade pelo contraste entre a austeridade das paredes de tijolos e a riqueza da decoração interna.Cópia de DSCN0028 Se não sobrou nada da rígida religião dos cátaros, a beleza do castelo de Montsegur mostra ainda hoje a força da fé que os levaram a morrer. Na vizinha Carcassonne, cidade fortificada tombada pela UNESCO, as muralhas e as torres são testemunhas dos esforços dos reis da França e dos Papas de Roma para liquidar a heresia.

Forte da sua cultura e espiritualidade, a região é também orgulhosa do seu modernismo. Foi de Toulouse que saíram os primeiros voos para América do Sul, e que são hoje fabricados os aviões da Airbus. E do alto dos seus 270 metros, a ponte de Millau é uma das mais modernas (e bonitas) do mundo, parecendo mais uma obra de arte, um veleiro navegando nas nuvens, que uma infra-estrutura de transporte.

20118274

Para festejar a alegria de viver outrora celebrada pelo seu mais famosa artista Toulouse Lautrec, os brasileiros poderão brindar com o mais famosa vinho da região, o Cahors, que é produzido com uma uva pouca conhecida na França mas que ficou muito famosa na Argentina onde foi exportada: a uva Malbec.IMG_0825 Esse vinho poderá ser o perfeito parceiro de alguns pratos típicos, por exemplo o cassoulet, um primo da feijoada feito com feijão branco. Com o foie gras ou o Roquefort, as duas estrelas gastronómicas da região, combinara melhor a personalidade do branco Floc de Gascogne. E saboreando um copo de Armagnac num bar da famosa praça do Capitole em Toulouse, a cidade rosa, poderão pensar que tem lugares no mundo onde espiritualidade e fé podem muito bem combinar com a arte e o prazer de bem viver.Henri_de_Toulouse-Lautrec_032Jean-Philippe Pérol

Trip Advisor: novas tendências, muitas surpresas, mas pouca transparência nos ranking 2014…

DSCN0899

Seguindo Mastercard, CNN e Google na onda de ranking das preferências dos consumidores, a Trip Advisor publicou a sua própria lista para 2014, uma lista cheia de surpresas. E que surpresas! Paris e Nova Iorque, as duas praças plebiscitada pelos visitantes do mundo inteiro, incluindo os brasileiros, estão despencando, a cidade luz perdendo seis lugares (da primeira para sétima) e a Big Apple sumindo do Top Ten para parar numa triste décima segunda posição… DSCN0117A lista inteira é surpreendente. Se as primeiras posições deixam a liderança para Istambul, Rome e Londres, três destinos turísticos de peso, encontra se Paris atrás de Praga ou Marrakech, e Nova Iorque ultrapassada por Siem Reap ou Hanoi. Ou ainda, Barcelona em décimo quinto lugar, Miami ou Las Vegas excluídas duma lista que inclui Chiang Mai.
Não se trata, claro, de tentar comparar o interesse ou a qualidade de cada destino, isso sendo também meramente pessoal, mas de tentar entender como pode ser feita uma classificação objetiva, e Trip Advisor parece ter feito dois erros voluntários ou não.
O primeiro foi de esquecer os critérios quantitativos. Acima de 30 milhões de visitantes internacionais – o caso de Paris e Londres-, ou mesmo de 15 milhões no caso de Nova Iorque, é difícil esse critério , que traduz a verdadeira preferência viajantes, não ser levado em consideração.DSCN2813 E isso que faz por exemplo a classificação da Mastercard – que considera também o volume de despesas- a onde a liderança é divida entre Bangkok, Londres e Paris, seguidos de Sidnei, Nova Iorque, Istambul e Dubai.
O segundo erro é de não publicar a grade exata que gerou essa lista tão esdrucha. Trip advisor so anunciou que utilizou um algoritmo levando em consideração a opinião dos internautas sobre as atracões turísticas, as belezas naturais, os hotéis e os restaurantes desses lugares, e que não levou em consideração o numero de visitantes. Mas se o porta voz da empresa reconheceu que o resultado final ficou privilegiando os destinos exóticos, a lista completa dos critérios bem como os respectivos pesos não foram divulgados. Uma falha grave num mundo onde a transparência é um critério chave, e onde internautas, profissionais ou viajantes precisam saber o porque das recomendações feitas para fazer os seus próprios julgamentos.

miroir eau

Junto com a lista das preferências mundiais, a Trip Advisor publicou também o top ten dos destinos turísticos de vários países, incluindo a Franca. atrás do trio vencedor, Paris, Nice e Lyon, deve se anotar o pulo impressionante de Bordeaux que recebe o fruto de grandes investimentos urbanos nos últimos vinte anos. e aprece diretamente no quarto lugar. morzine1 (1)As surpresas são a posição de Bayeux  e mais ainda da pequena (e charmosa) estação de esqui de Morzine. As ausências de Marselha – que recebeu 13 milhões de visitantes o ano passado com o sucesso do Ano Europeu da Cultura, ou do Mont Saint Michel – fabulosamente renovado- são parte dos mistérios que a Trip Advisor poderia explicar.

Mucem

A melhor reação as decepções causadas por essa lista será sem duvida de trabalhar para melhorar os serviços, o atendimento e a comunicação dos destinos que se sentiram prejudicados. Para mim, francês, latino e brasileiro de coração, terei porem muita dificuldade para aceitar um ranking dos melhores destinos mundiais onde não somente não aparecem nem Veneza, nem Machu Pichu , nem Taiti ou nem Petra, mas alem de tudo onde não consta nada no Brasil….

Jean-Philippe Pérol

Top 25 dos destinos mundiais segundo a Trip Advisor

1- Istambul
2 – Roma
3 – Londres
4 – Beijing
5 – Praga
6 – Marrakech
7 – Paris
8 – Hanoi
9 – Siem Reap
10 – Shanghai
11 – Berlin
12 – NYC
13 – Firrenze
14 – Buenos Aires
15 – Barcelona
16 – Sao Petersburgo
17 – Dubai
18 – Chicago
19 – Cape Town
20 – Bangkok
21 – Budapeste
22 – Sidnei
23 – Lisboa
24 – Chiang Mei
25 – Sao Francisco

Top ten dos destinos Franca segundo a Trip Advisor

1 – Paris
2 – Nice
3 – Lyon
4 – Bordeaux
5 – Bayeux
6 – Lourdes
7 – Cannes
8 – Chamonix
9 – Morzine
10 – Aix en Provence

Lourdes: o milagre do turismo perdura!

Procession flambeaux esplanade-® Sanctuaires ND Lourdes 05 (1)
Se perguntar a um francês, inclusive a um profissional do turismo, qual é a segunda cidade turística da França depois de Paris, ele vai certamente falar de Nice, de Bordeaux, de Lyon ou Marselha. Poucos  vão se lembrar duma pequena cidade de 16.000 habitantes, mas que tem 181 hotéis e que recebe cada ano 6 milhões de viajantes : Lourdes.
O milagre – e os milagres- começou em 1858 quando Bernadette Soubirous, uma jovem pastora, relatou a primeira de 18 aparições duma bela dama de branco na gruta de Massabielle. Grotte 1 -® Typograpik 13Não demorou muito para multidões começar a querer visitar o local onde foi construída uma primeira capela, e em 1866 chegava na cidade o primeiro trem de peregrinos. O crescimento rápido dos fluxos de romeiros, franceses mas também irlandeses, espanhóis, italianos, belgas, ou alemães, levou a cidade a construir em 1871 uma primeira basílica (a Imaculada Conceiçao) e depois, em 1889, uma segunda, maior, Nossa Senhora do Rosário. Photos OT Lourdes_gemmail  2Com a noticia de numerosos milagres (até hoje 69 foram comprovados),  as multidões cresciam e precisavam duma igreja ainda maior. Foi então inaugurada em 1958 a famosa basílica subterrânea, com capacidade para 25.000 pessoas, maravilha de arquitetura em forma de nave invertida, com seus famosos 52 ‘gemmaux’ .

O século 21 não desmentiu a força desse turismo de fé. O recorde de frequentação foi quebrado em 2008, nas comemorações dos 150 anos, com 8 milhões de visitantes. Aos romeiros tradicionais se juntaram novos visitantes, católicos vindo da Europa ex-oriental (poloneses, húngaros, slovacos), da África e da América Latina, incluindo de 10 a 15000 brasileiros .

Alem da confiança que o carisma do Papa Francisco repassou para os católicos na América Latina, tem varias boas razoes para pensar que o turismo religioso do Brasil para França vai ganhar um novo impulso. Orcival_SuperA espiritualidade tem agora um publico cada vez mais importante. Alem dos romeiros tradicionais, muitos viajantes, sem ser católicos praticantes, são atraídos pelo ambiente peculiar de meditação e de fraternidade desses lugares ‘onde sopra o espírito’.  Em Lourdes, a força comunicativa da procissão dos círios (todo dia as 9 horas da noite) comove crentes e ateus. A beleza do local, as paisagens de montanhas cercando a cidade, o patrimônio arquitetural, o golfe, as 200 lojas e os cem restaurantes ajudam a completar uma estada marcante, em geral de três dias, que pode muito bem combinar com Toulouse.

Lac de Lourdes -® Typograpik 13

A Franca tem muitos outros destinos que, alem de Lourdes, podem dar uma dimensão espiritual a uma viagem. Lisieux na Normandia, ou a Capela Milagrosa em Paris, já são bem conhecidos dos brasileiros. kardecA Via Crucis de Rocamadour, as catedrais de Vezelay na Borgonha ou Nossa Senhora de Chartres , e ate o cemiterio do Pere Lachaise em Paris (onde fica o túmulo do Allan Kardec) pegam também as vezes um sotaque tupiniquim. Juntos com outros grandes destinos de espiritualidade, católicos ou não, todos estão trabalhando para desenvolver esse turismo que virou hoje uma das  prioridades da Atout France. Tendo em visto o excepcional evento que sera em 2015 o final das obras de renovação do Mont Saint Michel (A `Maravilha do Ocidente` que recebeu 1,2 milhoes de visitantes em 2013), 2014 deve ser o bom momento para as operadoras e os agentes multiplicar nos seus roteiros na Franca as emoções do turismo religioso.

Jean-Philippe Pérol

FuturpontversMontImagenceMGDesigns