Uber x Taxis . Paris is always a good idea …

Paris, os Campos Eliseos

Ilustrado com violência na semana passada em Paris, o conflito entre o gigante do transporte colaborativo Uber e os motoristas de taxis está quase virando uma Guerra mundial. Com a cumplicidade das autoridades e um frequente apoio do poder judiciário, os taxis estão ganhando muitas batalhas. UBERPOPEm alguns países, o serviço UberPop foi proibido. É o caso da Franca desde o mês de janeiro, mas também da Espanha, da Itália, da Dinamarca, da Bélgica, da Holanda, da China ou da Tailândia.    O  carro-chefe da Uber, o serviço mais profissionalizado UberX, foi também totalmente proibida no Portugal, na Hungria, na Índia, em algumas cidades da Alemanha, da Suíça, bem como em algumas estados ou municípios dos Estados Unidos. E em muitos países, inclusive no Brasil, alguns ou todos os serviços da empresa só funcionam graça a liminares de justiça.

UBER BHZ

Mas na economia colaborativo, o fator chave do sucesso é o consumidor, ou melhor o consum-ator. Bastava surfar no web ou entrar no Face durante a greve dos taxis parisienses para ver de que lado torcia a imensa maioria dos internautas. uber-cabNão só os preços mais baixos, mas a praticidade do aplicativo, a rapidez e a qualidade do serviço já seduziram os milhões de usuários que gostaram dos veículos novos, dos motoristas bem vestidos que descem para abrir a porta, oferecem agua ou balinhas, não pedem gorjetas (todos os pagamentos são feitos com cartão de credito) e são avaliados depois de cada corrida pelo cliente.

Não é por acaso que depois de ter inaugurado os seus serviços em março 2010 em São Francisco, a Uber já está valorizada em quase 50 bilhões de dólares e deve faturar 10 bilhões em 2015. UBER NICE CANNESPresente em 50 países e 250 cidades do mundo, a start-up é baseada numa ideia simples: um aplicativo intuitivo relacionando num mínimo de tempo um cliente e um motorista particular. Com uma estratégia completamente virada para o consumidor, incluindo patrocínios e serviços personalizados, com redes locais de motoristas organizados, animados e valorizados, com uma fortíssima presencia nas mídias sociais divulgando eventos locais e ações inovadoras, Uber consegue não somente contornar os seus críticos mas também ficar na frente dos seus concorrentes. Sempre com novos produtos – agora UberX, UberBerline, UberVan, UberPOP, UberKittens e UberPool – , ela consegue atrair cada mês 80.000 novos clientes e 20.000 novos motoristas.

UBER SAO PAULO

Não tem duvidas que os transportes colaborativos da Uber e dos seus concorrentes, identificados com as tendências e os consumidores do século XXI, não poderão ser parados por medidas corporativistas de reta guarda. Em vês de medidas repressivas, as autoridades deverão definir um novo quadro jurídico para essa atividade e todos os atores. Terão que proteger melhor os clientes – seguranca dos veículos, qualificação  e idoneidade dos motoristas, transparência das tarifas frente ao algoritmo as vezes abusivo da Start-up- , e verificar que a empresa pagam os impostos e taxas que correspondem a sua atividade. Para dar aos taxis todas as chances de enfrentar essa concorrência, será talvez necessária de renovar também os regulamentos corporativistas e os comércios de quotas, que encarecem desnecessariamente os custos e servem de proteção a serviços de qualidade irregular ou sem criatividade.

O CEO DA UBER

A guerra mundial entre os taxistas e as empresas de transporte colaborativo pode assim acabar somente com vencedores. E para os taxistas parisienses, uma satisfação a mais:  serão sem duvidas felizes de saber que os fundadores da Uber, Garrett Camp, Travis Kalanick e Oscar Salazar, tiveram essa ideia em Paris, em março 2008, quando tentavam desesperadamente encontrar um taxi para chegar a uma conferencia sobre o Web. Como falava Audrey Hepburn: “Paris is always a good idea!”

Jean-Philippe Pérol

TAXI PARISIEN LIVRE

Atendendo melhor os turistas, a França vai brigar pela liderança

sur_la_place_du_carrousel_atout_france-michel_angot_0

Definido como prioridade nacional pelo próprio presidente da República, o turismo francês virou também um dos pontos chaves da ação do ministro das relações exteriores da França. Encerrando os Encontros nacionais do turismo, que mobilizaram durante seis meses mais de 400 profissionais do setor, Laurent Fabius quis não somente anuncia grandes ambições – 100 milhões de turistas até 2020 – mas também medidas fortes para melhorar a atendimento e os serviços oferecidos aos visitantes.DSCN0159 Destacando um turismo diversificado e de qualidade, o projeto quer dar prioridade aos setores onde a excelência francesa é reconhecida: gastronomia e vinho, turismo urbano -incluindo shopping  e vida noturna, ecoturismo,  montanhas e esportes, luxo e artesanato.
A promoção, especialmente a nível internacional, tem que priorizar os destinos já conhecidos como verdadeiras grandes marcas  de turismo : Paris, Bordeaux, Borgonha, Castelos do Loire (ver abaixo a lista completa) …. A dimensão turística dos grandes eventos culturais ou esportivos deverá ser levada em consideração e valorizada.

versailles-_grand_canal_a_zamek_atout_france-martine_prunevieille

 O atendimento, especialmente na chegada nos aeroportos ou nas estações de trem,  é muitas vezes considerado um ponto fraco na França. 20071216_0Foram anunciadas varias medidas, especialmente para o transporte entre Paris CDG e a capital: corredores para ônibus e táxis, tarifa fixa para os táxis, melhorias nos trens para a Gare du Nord que será também renovada e modernizada. Uma nova e única sinalização será instalada nos aeroportos, na estações e no metro. Em todos os lugares turísticos o policiamento ser reforçado com agentes falando os principais idiomas. Forte reivindicação dos  consumidores, os horários de funcionamento das lojas vai ser ampliado, inclusive aos domingos , no centro de Paris e perto das grandes estações de trem.

Pais líder em novas tecnologias, a França não é sempre percebida como tal pelos turistas. O wifi grátis será oferecido nos principais aeroportos, e o governo vai incentivar os hotéis que ainda não fizeram esse investimento a faze-lo. Para ampliar a oferta de aplicativos de ajuda, de tradução ou de informação aos turistas, uma licitação será lançada imediatamente para lançamentos no Mercado em janeiro 2015. Novas plataformas de reservas hoteleiras serão incentivadas, e as relações entre as grandes centrais e os hotéis fixadas numa lei.

3455_ccsi-sylvain_sonnet_1_copie

O turismo sendo uma atividade de serviços, o treinamento dos profissionais é a chave de qualquer política de qualidade. 100.000 treinamentos específicos vão ser colocado a disposição do setor. DSCN0579Muitos deles integrarão uns estágios no exterior para melhorar a pratica de idiomas – um ponto fraco do setor na França.
Uma campanha de comunicação sobre  a importância e as oportunidades das profissões do turismo será financiada pelo ministério. Para o setor ficar mais atrativo para os pequenos empresários, uma seria de medidas de desburocratização serão publicadas esse ano.

Mobilizando agora não somente os tradicionais parceiros do ministério do turismo, mas todos os atores públicos, as embaixadas e as televisões publicas, o projeto quer ver a França não somente aproveitar o incrível crescimento do turismo ( 1,560 bilhões de turistas previstos no mundo em 2020) mas também conservar a liderança nesse setor criador de empregos e de receitas internacionais em todas as regiões francesas, da Europa, ou do Caribe. luxury_0000_c_atout_france_-_leonard_de_serres_-_chateau_de_chambordSe o apoio financeiro parece ainda muita aquém do necessário, o projeto deve sem dúvida animar os atores franceses e estrangeiros do setor. Mais acolhedora, mais acessível,  mais atual, e promovida com o apoio de todos, a França será ainda mais atraente para seus visitantes.

E para nós, no Brasil, vale a pena lembrar que desses 100 milhões de turistas esperados, 1,5 milhões serão brasileiros.

 Jean-Philippe Pérol

Os destinos considerados como marcas de turismo internacionais serão os seguintes: Lyon, Lille, Champagne, Alsácia, Paris, Borgonha, Mont Saint Michel, Bretanha, Castelos do Loire, Bordeaux, Alpes, Auvergne, Biarritz, Provence, Lourdes, Côte d’Azur, Córsega, Reunião, Martinica e Guadalupe.