O Club Med campeão do turismo nas montanhas francesas

O Club de Val Thorens, o novo xodó dos esquiadores brasileiros

Se o Club Med é conhecido em primeiro lugar pelos seus resorts de praia – no Brasil em Itaparica, Rio das Pedras e Trancoso -, ou de campo – em breve em Mogi das Cruzes-, ele é também no mundo um líder em turismo de neve. Acabou de anunciar grandes ambições na montanha – especialmente nos Alpes franceses onde os 16 clubes apresentaram os excelentes resultados da estação de esqui 2016. Mesmo se a neve chegou tarde, os clubes da França fecharam o inverno com uma taxa de ocupação de 90%, uma alta de 3% em relação a 2015. Os resultados foram muito espetaculares em alguns mercados, dentro dos quais a Bélgica (+30%), os Estados Unidos (+30%) e o Brasil que surpreendeu com mais de 45% de crescimento.

O Club de Valmorel

O Club de Valmorel

Com alto padrão, com todo o equipamento previsto e as aulas incluídas, oferecendo uma experiência única de férias sem nenhum constrangimento, os Club Med dos Alpes franceses estão seduzindo os turistas que já colocaram Peisy-Vallandry e Valmorel no Top 10 Trip Advisor dos melhores hotéis franceses para famílias. O sucesso desses clubes de inverno devem se prolongar nos próximos três anos com seis aberturas, uma na Itália, uma no Japão e uma na China. Querendo consolidar sua liderança nas férias de esqui na França, três clubes serão inaugurados em Samoens-Morillon (2017), em Les Arcs 1650 (2018) e num lugar a ser definido nos Alpes do Sul (2020), um investimento global de Euros 300 milhões.

Gilbert e Serge Trigano apresentando o CLUB MED ONE

Gilbert e Serge Trigano apresentando o CLUB MED ONE

Fundado em 1950 pelo pioneiro Gerard Blitz, virando a partir de 1954, com o gênio criativo e o entusiasmo do Gilbert Trigano, um símbolo de liberdade e de felicidade, o Club Med foi durante três décadas um desbravador de destinos e de lugares excepcionais. Trigano inventou novas formas de turismo, do resort esportivo até o mini club para crianças, do all inclusive até os colares de pérolas substituindo o dinheiro. A alegria descontraída comunicada aos “Gentils Membres” pelos “Gentils Organisateurs” virou um verdadeiro símbolo duma época de liberdade sem preocupações. Mas, o aumento dos custos de pessoal, as novas exigências dos viajantes em termo de serviços, a volta de férias mais focadas nas famílias levaram a uma longa crise a partir da segunda metade dos anos 70, levaram a muitas tentativas de diversificação – no turismo receptivo (Tourisme France International, em parceria com a Air France), nos cruzeiros (O navio Club Med One), nas residências hoteleiras (Maeva) ou até nos hotéis (em Neuilly, perto de Paris) -, tentativas nem sempre bem sucedidas.

Hoje, a estratégia do CEO da empresa, Henri Giscard d’Estaing, e dos novos acionistas chineses, é claramente focada em resorts de alto padrão para famílias, com serviços mais personalizados e total segurança. O esqui é assim um dos produtos privilegiados que o próprio Henri fez questão de apresentar num clipe de lançamento. Com a França sendo o primeiro destino do Club Med com 24 estabelecimentos, com os BRICS – especialmente a China e o Brasil – como mercados prioritários, os Alpes franceses devem continuar nos próximos anos a crescer como um dos destinos favoritos dos “Gentils Membres” brasileiros querendo aproveitar em família as delícias do inverno no hemisfério norte.

Jean-Philippe Pérol

Temporada de neve 2017!

 

Cannes, Bordeaux ou o Mont-Blanc, os primeiros destinos bem sucedidos de 2015

 

Bassin_d'Arcachon_-_Cabanes_tchanquées

As famosas cabanas de pescadores da lagoa de Arcachon

Enquanto Paris está entregue a alguns irredutíveis moradores e a sábios turistas vindo do mundo inteiro, mais especialmente da América do Norte, da China e do Brasil,  a maioria das regiões francesas estão recebendo mais visitantes esse ano. Três delas parecem ser as grandes tendências desse verão. O primeiro lugar da Côte d’Azur se consolidou, e , atrás, dois destinos estão  se destacando: a Aquitânia (Bordeaux, Biarritz e arredores), e os Alpes (mais especificamente o Mont-Blanc).

Cannes

O porto de Cannes

Na Riviera francesa, 78% dos profissionais já estão satisfeitos com a temporada (eram somente 62% o ano passado). David Liénard, prefeito de Cannes e Presidente do Comitê Regional do turismo, confirmou que todas clientelas estão em alta, desde os acampamentos de mochileiros franceses ou holandeses até as caríssimas suítes dos luxuosos hotéis da Croisette. Uma delegação da Arábia saudita, foco de uma grande polêmica depois de ter privatizado uma praia da região, deixou mais de 10 milhões de dólares para a economia local. Enquanto o aeroporto de Nice registrou uma queda de 1% das suas chegadas, os pequenos aeroportos de Cannes ou Saint Tropez estão registrando um forte crescimento do movimento de jatos particulares.

Biarritz-and-Hotel-Du-Palais

O Hotel du Palais, o palace de Biarritz

O turismo na Aquitânia permanece há vários anos o sucesso dos vinhos da sua capital , Bordeaux. Segundo os responsáveis do turismo da região, dois terços dos profissionais do turismo já estão satisfeitos, com alguns destaques. A cidade de Pau, capital do BearnO Bearn, perto da fronteira espanhola, aproveitou o “Tour de France”,  famosa corrida ciclista, para mostrar seu vinho branco, o Jurançon, suas montanhas, seu patrimônio histórico ou sua proximidade de Lourdes, para milhares de fãs franceses e europeus. A um passo de Bordeaux, a lagoa de Arcachon, famosa pelas suas ostras e suas badaladíssimas barracas de pescadores tombadas pelo patrimônio nacional, conhece uma das melhores temporadas da sua história. Juntamente com os vilarejos do País Basco e a encantadora Biarritz, Arcachon tem o recorde de 90% de profissionais satisfeitos!

Mont-Blanc

O Mont-Blanc, mais alta montanha da França e da Europa

O aquecimento global, e os recordes de calor do verão francês, transformaram o clima fresco das montanhas no melhor argumento promocional para atrair os visitantes na região do Mont-Blanc. “As reservas demoraram, mas já ultrapassaram o nível do ano passado, sendo a meteorologia o primeiro fator favorável”, explicou Michel Giraudy, presidente de France Montagnes, à associação encarregada da promoção da montanha francesa. Courchevel no verão francêsFamosas pelo seu turismo de inverno e suas pistas de esqui, estações como Val d’Isère ou Tignes estão atraindo durante o verão famílias e amadores de atividades esportivas. A grande procura de appart hoteis, de chalés ou de apartamentos – em crescimento de 20% esse ano – virou um atrativo importante das montanhas francesas. Apostando na fama internacional do Mont-Blanc, e contando cada vez mais com eventos esportivos e culturais durante o verão,  Giraudy acha que esse turismo ativo e familiar vai também atrair visitantes internacionais. Já acostumados com Courchevel, Megève, ou Chamonix, apaixonados pelos Club Med de Valmorel ou Val Thorens, os brasileiros estão sendo esperados de braços abertos.

Saint Jean Pied de Port, nos caminhos de Santiago

 

Esse artigo foi traduzido e adaptado dum artigo original do diário francês Le Figaro

Esqui na França: as novas tendências e as estações mais procuradas nesse inverno.

point_de_vue_imprenable_sur_les_alpes_depuis_laiguille_du_midi_dans_le_massif_du_mont-blanc

A Google acabou de publicar uma pesquisa sobre as preferências dos franceses para as estações de esqui desse inverno europeu, em exclusividade para a revista profissional L’Echo touristique. Plat, coqueO pódio das três vencedoras não mudou em relação ao ano passado, sendo La Clusaz, Val Thorens e Avoriaz as mais plebiscitada na Google . Sem surpresa também, todas as estações do Top 20 estao localizadas nos Alpes, e principalmente na Sabóia, mas pode se anotar algumas mudanças. Assim Chamonix passou Tignes para chegar em quarto lugar, e Meribel ganhou duas posições . Muito querida dos brasileiros, Courchevel caiu porem de 8% em volume e saiu do Top 10, e as quedas mais importantes  foram de Tignes (-17%) e Valmorel (-10%).

7446918554_1bf2.c7d11122931.original

O crescimento mais espetacular foi de  Val Thorens (+7%), que aproveitou não somente a abertura dum novo e requintadíssimo  Club Med mas também um excelente trabalho de promoção nacional e internacional (incluindo a vinda do seu chefe Jean Sulpice para uma semana gastronômica no Pullman da Accor de São Paulo. 

Ranking realizado em função do numero de pedido na Google feitos no mercado francês.

No geral, mesmo se somente quatro estações do top 20 têm um crescimento dos pedidos globais, e se a neve demorou um pouco para cair nos Alpes, 2015 deve ser um bom ano para o turismo do inverno na Franca.

piscine_exterieure_a_la_clusaz

A pesquisa da Google também destacou uma outra tendência importante. Os internautas não estão agora procurando em primeiro lugar o tipo de hospedagem (61%, escolhendo chalés, hotéis ou apartamentos), mas um destino especifico (75% dos casos). No Brasil, as estações francesas mais procuradas continuam sendo Chamonix, Meribel, Courchevel, ou Megève, e a tendência dos últimos anos é um crescimento de outros estaçoes como Val Thorens, La Plagne ou Avoriaz. 20118191_1 As brigas entre os concorrentes, tanto franceses que internacionais, não é agora somente na qualidade das pistas ou das hospedagens, mas nos lazeres, nos SPA, nas lojas, nos restaurantes ou na vida noturna. A pesquisa da Google lembra que esqui não é mais esporte, é destino!

Jean-Philippe Pérol

megeve1_1

 

Verão: vamos para a praia ou para a neve?

CHAMNOIX
De dezembro a abril, no hemisfério Norte, a escolha de um destino de férias exige que se responda, primeiramente,  a uma grande pergunta: praia ou neve? Na França, por exemplo, 21%  dos viajantes escolhem a segunda opção, privilegiando as montanhas francesas para praticar em família o esqui ou os demais “esportes de inverno”.

montagne_catout_france_robert_palomba_17

No Brasil a neve é a opção de poucos privilegiados, menos de 100.000 esquiadores que escolhem em prioridade as pistas de Bariloche ou de Valle Nevado, ou as estações da América do Norte como Aspen, Veil ou Lake Tahoe. A França continua sendo um dos grandes destinos europeus,  com uma clientela fiel que não dispensa Courchevel, Megève ou Chamonix como pontos obrigatórios. A cultura das “férias de inverno francês”, no entanto, ainda não convenceu todos os novos viajantes brasileiros, talvez porque seus atrativos tão atuais ainda não foram bem divulgados.

ski_famille_1

A neve é não somente uma atividade esportiva individual, mas uma experiência global dividida com a família ou os amigos. Claro que a qualidade das pistas e o tamanho das áreas esquiáveis  fazem do esqui, junto com o snow-board ou outras modalidades, a motivação mor dos turistas que escolhem os Alpes franceses no inverno.  Mas o esporte, a beleza das paisagens, a qualidade do ar e os prazeres do ‘après-ski’ criam uma experiência inesquecível… Esquiar na França não é só descer uma pista verde, azul, vermelha ou preta.2437c38d96105_cdp-exterieur-3 (1) É parar com seu filho para um chocolate no Chalet de Pierres, em Courchevel, relaxar com sua mulher no SPA do Club Med de Peisey-Vallandry, jantar com seus amigos no Jean Sulpice de Val Thorens, ou simplesmente dividir com a família uma fondue no L’Alpage de Megève.

randonnee_en_raquettes

A neve é também uma experiência para todos. Hoje há uma procura grande para hospedagens mais sofisticadas, seja nos ‘villages’ do Club Med (Valmorel, Val Thorens …), nos Palaces de Courchevel (Les Airelles e Le Cheval Blanc) ou nos vários Relais Châteaux (o Chabichou, o Grand Coeur, o Chalet du Mont d`Arbois…). Vue extérieure ; Façade ; NeigeMas a tendência nos últimos anos é o crescimento de estações até então menos conhecidas, e em geral mais em conta, como Val Thorens, Val d’Isere, AvoriazLa Plagne, ou Tigne. Tem um excelente Mercure em Chamonix, e cresce a procura para apart-hotéis, especialmente para Pierre et Vacances que tem uma excelente oferta, com muitas propriedades com preços promocionais para famílias ou pequenos grupos de amigos. Podendo dispor de uma pequena cozinha é ótimo poder aproveitar um jantar descontraído com vinhos da Savoie, queijos locais (Tomme, Emmenthal, Roblochon) ou embutidos típicos (saucissons, grelots, grignotons…) .

montanhas1

Experiência global, neve para todos, essas novas tendências para novos viajantes serão apresentadas durante o Salon Grand Ski que Atout France está organizando dia de janeiro em Chambery. 00000267 - copieVinte profissionais brasileiros estarão participando junto com 460 colegas vindo de 50 países. Todos terão que a dura tarefa de escolher entre as ofertas de mais de 160 expositores aquelas que permitirão aos brasileiros de decidir para suas próximas férias de verão: neve ou praia?

Jean-Philippe Pérol

Jean Sulpice, fenômeno da gastronomia francesa

Brasil à Francesa

JeanSulpice5 © Relais & Châteaux – Jean Sulpice

Recentemente, tive a grande sorte – vantagem do meu trabalho 😉 – de encontrar em São Paulo , Jean Sulpice, jovem chefe Relais & Châteaux e dono do próprio Restaurante Jean Sulpice. Já estrelado aos 34 anos pelo prestigioso guia gastronômico Michelin (com dois “macarons”), ele deixou sua cidade por alguns dias, Val Thorens, na região dos Alpes francesas, para encontrar com a imprensa paulistana e promover a região Rhône-Alpes através da sua cozinha. Uma cozinha verdadeiramente representativa das montanhas onde ele morra, cheia de sabores vegetais e de ingredientes típicos de lá.

JeanSulpice6O que surpreende quando encontrar com ele, é de constatar que apesar de parecer jovem, tem uma grande maturidade. Aos 26 anos, já tinha obtido a primeira estrela Michelin. A segunda chegou 5 anos depois, propulsando o chefe de 31 anos no circulo restrito dos chefes top de linha…

Ver o post original 403 mais palavras

Refeições a francesa: alem da Unesco, prazer, alegria e convivialidade!

TEMPLIERS6

Relais & Châteaux Auberge des Templiers ©Photo Eric Dudan

Dentre dos novos impulsos que a França quer dar a seu turismo, a gastronomia tem um lugar de destaque, sendo escolhida como a primeira temática valorizada pelo recém criado Conselho nacional da promoção do turismo. A presença no grupo de trabalho de três dos mais respeitados chefes franceses – Alain Ducasse, Guy Savoy e Joel Robuchon – , o envolvimento do ministro das relações exteriores, e a escolha do 19 de Março como dia mundial dos “goûts de France” – Sabores da França- mostraram que o assunto é sério.

É claro que os 610 restaurantes estrelados pelo prestigioso Guia Michelin são um grande atrativo,  e os brasileiros frequentam as mesas dos mais famosos “trois étoiles” como o Relais Bernard Loiseau na Borgonha, a Maison Pic em Rhône-Alpes e a Assiette Champenoise em Reims. 1377098324equipeChefes mais novos, com cozinha alegre e criativa, também se promoverem recentemente no Brasil, o Michael Nizzero da Briqueterie na Champanha, ou o Jean Sulpice de Val Thorens.

Mas a gastronomia na França vai agora muito além do sucesso desses mestres talentosos. Desde o reconhecimento pela Unesco da “refeição gastronômica à moda francesa”em 2010, o foco não é mais uma receita francesa em particular, ou um formalismo extremo restrito a uma elite. tableÉ hora do prazer, ou melhor, dos prazeres da mesa. Comer, na França, é um ritual cultural marcando momentos importantes da vida, mas com uma mistura original de convivialidade e gastronomia, que reúne os franceses ao redor duma mesa bem colocada, para dividir pratos de qualidade acompanhados de um vinho adequado. Uma refeição é antes de tudo um momento de prazer, não um pit-stop numa correria desajeitada.

20122567A força da gastronomia francesa (para 20% dos brasileiros, o primeiro motivo de viagem para França) é que esse prazer e essa alegria podem ser vividos nos 78.000 restaurantes das 26 regiões francesas. Um bom “repas a francesa”, com seu aperitivo, seus pratos a base de produtos locais, seus queijos e sua combinação de vinhos, pode ser encontrado em todas as regiões, e cada francês tem seus favoritos. Toubana-053Pode ser uma “brasserie” em Paris a Closerie des lilas, ou a Coupole tão querida dos brasileiros, ou na Ile de la Cité o tranquilo Restaurant Paul. Em Lille, no surpreendente norte onde a cerveja acompanha o culinário “Chti”, a tradicional Chicorée é uma grande opção. Mas pode ser a Ferme Saint Sebastien em Charroux, na Auvergne, o criativo Côté cour na cidade de Aix en Provence ou o caribenho Toubana na Guadalupe. Pode ser um desses simpáticos e agitados “bouchons” de Lyon, o “Tire-bouchon” ou o “Les Lyonnais”. DSCN0193Ou pode ser também uma “table d`hôtes” de um pequeno vilarejo, por exemplo perto de Auzances, na minha terra, o maravilhoso “Au petit creusois” que tem as vezes cogumelos frescos (“girolles”) e serve um menu completo por menos de 30 euros.

É esse espírito de convivialidade e prazer, enraizado na sua gente e na sua terra, que faz o turista amar a gastronomia francesa. Mas na terra da liberdade, alem desses rituais, pode aproveitar refeições bem simples, por exemplo um prato em volta dum vinho no L’écluse em Paris ou no bar de la Poste em Saint Emilion. DSCN3797 - copieE se não poder parar o tempo necessário, lembre-se que um Jambon Beurre (sanduiche de presunto e manteiga numa “baguette”), com um copo de Saint-Amour no balcão do barzinho da esquina, não é um “repas à la française” mas também representa um excelente momento de prazer e de alegria à francesa.

Jean-Philippe Pérol

MOULIN4

Relais & Châteaux Moulin de l’Abbaye ©Philippe Schaff

 

Esquiar na França, algumas razões para essa paixão.

 AMIGOS VAL THORENS

No próximo dia 21 de janeiro, mais de 400 operadoras vindo de quase 40 países vão ser recebido em Chambery, nos Alpes Franceses, para o salão ‘Grand Ski’.GRAND SKI O sucesso desse evento, ao qual  participarão esse ano 10 profissionais brasileiros, é  diretamente ligado ao sucesso do esqui francês que parece ter achado nos últimos anos um novo impulso nos mercados internos e internacionais. Ainda estagnado com menos de 5.000 esquiadores para França (num total de 30.000), o mercado brasileiro também está mudando com a chegada de novos viajantes. Mas existam pelo menos três serias de  razoes  para pensar que eles vão escolher os Alpes franceses para férias de inverno no hemisfério Norte .

megeve_2010_nuts_fr_007_default_18689

A primeira é a qualidade do próprio esqui, a começar pelas áreas esquiáveis (Les Trois Vallées ou les Portes du Soleil tem mais de trezentas pistas, quase o dobro de Vail e o quadruplo de Aspen). De Courchevel a Avoriaz, de Val Thorens a Val d’Isère ou de Megève a Chamonix, as estações dos Alpes Franceses sempre gozam duma grande variedade de descidas (verdes, azuis, vermelhas ou pretas), tanto para esqui que para snowboard. Para todos, os monitores são sempre um bom pedido, pelo menos para dois ou três dias. Sempre felizes de atender clientes brasileiros, eles ajudam a relembrar o básico e a escolher as pistas e os itinerários mais adaptados, enquanto as crianças podem ficar na escolinha.

chamonix-restauran_2446085bA segunda boa razão são  os prazeres do ‘Après-ski’, assim chamado pelos franceses que, durante as férias de inverno, valorizam muito os momentos passados no pos-esqui….  Um lanchinho no Chalet de Pierres em Courchevel, um drinque no Rond Point de Meribel, um jantar no La Grande Ourse de Val d’Isère ou no Chabichou de Courchevel, um fim de tarde fazendo compras nas ruas de Megève ou de Chamonix, e depois o SPA para relaxar antes duma Fondue, duma Raclette ou dum Genepi entre amigos.

Vue extérieure ; Façade ; Neige

Os agentes que vão participar do Grand Ski em Chambery  ficarão também impressionados com a variedade das estacões e das opções de hospedagens que podem ser encontrados.CLUB Os turistas brasileiros estão escolhendo os ‘villages’ do Club Med (Valmorel) em primeiro lugar. Os hotéis de luxo de Courchevel são também muito procurados, inclusive o único palace dos Alpes (o Les Airelles) ou os vários Relais Châteaux (o Chabichou por exemplo). Mas a tendência nos últimos anos é o crescimento de estações até então menos conhecidas aqui, como Val Thorens, Val d Isere, Avoriaz ou La Plagne , bem como uma procura para apart-hotéis. Val_Thorens_Officiel CPierre et Vacances, por exemplo, tem uma excelente oferta , com muitas propriedades e preços muito razoáveis, especialmente para famílias ou pequenos grupos de amigos; dispor duma pequena cozinha é ótimo para poder aproveitar um jantar descontraído com vinhos da Savoie (os brancos são melhores), queijos locais (Tomme, Emmenthal, Roblochon) ou salames típicos (grelots, grignotons…) .

megeve

Enquanto as agencias e operadoras precisam de produtos com muito valor agregado a oferecer para seus clientes, o esqui é uma opção que necessita sempre um profissional competente. O viajante precisa de conselhos para escolher a estação e a hospedagem certas,  ele tem de comprar todos os componentes da viagem juntos. É precisa de dicas  para combinar com outros destinos (no caso dos Alpes, a indispensável parada cultura/shopping em Paris, as vezes com Disney se tiver crianças), enfim tem que saber escolher as datas para aproveitar a melhor neve e os melhores preços.

Com seus clichês e seus sonhos, suas atividades esportivas, seus momentos de prazeres divididos com amigos e familiares, o esqui tem um imenso potencial para os viajantes brasileiros.  Provendo a neve dos Alpes Franceses, não tem duvidas que uma primeira experiência será seguida de muitas outras. Para agentes e operadoras do Brasil, é agora que tem que pegar essa oportunidade!

le-chalet-de-pierres-courchevel-53

Jean-Philippe Pérol