“Tour de France” 2016, privilegiando montanhas e riquezas turísticas

Mont-St-Michel

Depois de dois anos começando no exterior, na Holanda (Utrecht 2015) ou na Inglaterra (Leeds 2014), o “Tour de France” escolheu de homenagear uma das maiores atrações francesas, o Mont Saint Michel, para dar o inicio da sua 103a edição com uma etapa na Normandia, ligando a Maravilha do Ocidente e as praias do Dia D. O roteiro completo da mais prestigiosa corrida ciclista foi anunciado dia 20 de Outubro, com muitas surpresas para alegrar não somente os esportistas mas também os turistas.

O circioto do Tour de France 2016

O circuito do Tour de France 2016

A montanha vai ser muito prestigiada. O “Tour de France” chegará no dia 14 de Julho no temido Mont Ventoux, e passará sua ultima semana nos arredores do Mont-Blanc. No total serão nove etapas de montanhas, as mais dramáticas mas as mais queridas dos torcedores, com vinte e nove passos e quatro linhas de chegadas nos topos em Andorra, no Mont Ventoux, em Finhaut-Emosson e em Saint-Gervais Mont-Blanc. Uma das duas etapas do famoso “contra o relógio” será também disputado  perto do Mont-Blanc. E se oito etapas foram desenhadas nas planícies para ajudar os “sprinters”, é claro que essa nova edição do “Tour” vai, segundo o próprio Christian Prudhomme, diretor da corrida, favorecer os especialistas da montanha, seja nos Alpes, nos Pirenéus ou nos vulcões da Auvergne.

Grotte Chauvet

A Caverna do Pont d’Arc, replica da “Grotte Chauvet”, patrimonio da UNESCO

Se o “Tour” guardou um toque internacional, com breves passagens na Espanha, em Andorra e na Suíça, ele deu, esse ano, um cuidado especial na valorização das novidades e nas riquezas do turismo francês. Além do Mont Saint Michel e das praias da Normandia, terá algumas paradas em lugares especiais  que vão alegrar os seus seguidores. DSCN0049 - copieDestacam-se assim Carcassonne – com as suas muralhas fortificadas patrimônio mundial da UNESCO -, a Gruta Chauvet – também recentemente listada pela UNESCO-, ou a estação de esqui de Megève tão querida pelos brasileiros. No meio das 273 candidaturas de municípios querendo receber o “Tour”, os organizadores também escolheram alguns charmosos vilarejos como Sainte-Marie-du-Mont (Normandia), Arpajon-sur-Cère (Auvergne), L’Isle-Jourdain (Midi Pyrénées), Villars-les-Dombes (Jura), Moirans-en-Montagne (Jura), Finhaut (Suiça) —, talvez para se preparar melhor com o contrasta da tradicional chegada nos Champs-Elysées em Paris.

Jean-Philippe Pérol

Chegada do Tour de France nos Campos Eliseus

Chegada do Tour de France nos Campos Elísios

 

 

Cannes, Bordeaux ou o Mont-Blanc, os primeiros destinos bem sucedidos de 2015

 

Bassin_d'Arcachon_-_Cabanes_tchanquées

As famosas cabanas de pescadores da lagoa de Arcachon

Enquanto Paris está entregue a alguns irredutíveis moradores e a sábios turistas vindo do mundo inteiro, mais especialmente da América do Norte, da China e do Brasil,  a maioria das regiões francesas estão recebendo mais visitantes esse ano. Três delas parecem ser as grandes tendências desse verão. O primeiro lugar da Côte d’Azur se consolidou, e , atrás, dois destinos estão  se destacando: a Aquitânia (Bordeaux, Biarritz e arredores), e os Alpes (mais especificamente o Mont-Blanc).

Cannes

O porto de Cannes

Na Riviera francesa, 78% dos profissionais já estão satisfeitos com a temporada (eram somente 62% o ano passado). David Liénard, prefeito de Cannes e Presidente do Comitê Regional do turismo, confirmou que todas clientelas estão em alta, desde os acampamentos de mochileiros franceses ou holandeses até as caríssimas suítes dos luxuosos hotéis da Croisette. Uma delegação da Arábia saudita, foco de uma grande polêmica depois de ter privatizado uma praia da região, deixou mais de 10 milhões de dólares para a economia local. Enquanto o aeroporto de Nice registrou uma queda de 1% das suas chegadas, os pequenos aeroportos de Cannes ou Saint Tropez estão registrando um forte crescimento do movimento de jatos particulares.

Biarritz-and-Hotel-Du-Palais

O Hotel du Palais, o palace de Biarritz

O turismo na Aquitânia permanece há vários anos o sucesso dos vinhos da sua capital , Bordeaux. Segundo os responsáveis do turismo da região, dois terços dos profissionais do turismo já estão satisfeitos, com alguns destaques. A cidade de Pau, capital do BearnO Bearn, perto da fronteira espanhola, aproveitou o “Tour de France”,  famosa corrida ciclista, para mostrar seu vinho branco, o Jurançon, suas montanhas, seu patrimônio histórico ou sua proximidade de Lourdes, para milhares de fãs franceses e europeus. A um passo de Bordeaux, a lagoa de Arcachon, famosa pelas suas ostras e suas badaladíssimas barracas de pescadores tombadas pelo patrimônio nacional, conhece uma das melhores temporadas da sua história. Juntamente com os vilarejos do País Basco e a encantadora Biarritz, Arcachon tem o recorde de 90% de profissionais satisfeitos!

Mont-Blanc

O Mont-Blanc, mais alta montanha da França e da Europa

O aquecimento global, e os recordes de calor do verão francês, transformaram o clima fresco das montanhas no melhor argumento promocional para atrair os visitantes na região do Mont-Blanc. “As reservas demoraram, mas já ultrapassaram o nível do ano passado, sendo a meteorologia o primeiro fator favorável”, explicou Michel Giraudy, presidente de France Montagnes, à associação encarregada da promoção da montanha francesa. Courchevel no verão francêsFamosas pelo seu turismo de inverno e suas pistas de esqui, estações como Val d’Isère ou Tignes estão atraindo durante o verão famílias e amadores de atividades esportivas. A grande procura de appart hoteis, de chalés ou de apartamentos – em crescimento de 20% esse ano – virou um atrativo importante das montanhas francesas. Apostando na fama internacional do Mont-Blanc, e contando cada vez mais com eventos esportivos e culturais durante o verão,  Giraudy acha que esse turismo ativo e familiar vai também atrair visitantes internacionais. Já acostumados com Courchevel, Megève, ou Chamonix, apaixonados pelos Club Med de Valmorel ou Val Thorens, os brasileiros estão sendo esperados de braços abertos.

Saint Jean Pied de Port, nos caminhos de Santiago

 

Esse artigo foi traduzido e adaptado dum artigo original do diário francês Le Figaro