Saudade de viajar para onde?

O Mont Saint Michel, entre a Bretanha e a Normandia, patrimônio e fé no monumento preferido dos franceses

Depois de um ano de confinamento, os viajantes estão cada vez mais impacientes para ver a retomada do turismo. Com a abertura progressiva dos grandes (e dos pequenos) destinos, a vacinação em massa dos adultos, e a volta das linhas aéreas internacionais, as últimas pesquisas mostram que os brasileiros querem mesmo não somente voltar a viajar, mas também viajar de forma diferente. Querem mais segurança, mais exclusividade, mais bem estar, mais sustentabilidade e mais experiências transformacionais, esses novos critérios que vão definir os destinos que aproveitarão a retomada.

Quem não tem saudade do borbulho de Nova Iorque

Mas a saudade de viajar é antes de tudo muito pessoal, a escolha da primeira viagem pós confinamento vai assim depender das experiências e dos desejos de cada um: paisagens, cidades, e monumentos se mesclam com paixões e emoções para fazer uma lista onde terá que combinar sonhos e realidades. Assim a minha lista começa com cidades. Saudades da beleza de Paris que mexe com almas e corações, saudades do borbulho estressante de Nova Iorque, saudades da imponente e até arrogante tranquilidade de Bordeaux, da agitação descompromissada de Miami ou da carinhosa vibração de Montreal.

O Puy de Dôme, guardião das terras da Auvergne

Tenho também saudades das paisagens que ficaram impressos na minha memória. A imponência do Puy de Dôme que guarda a minha terra, a força das cataratas de Iguaçu que carrega a história das missões, a pureza infinita das dunas do Sahara em Zagora, Djanet ou Tozeur, bem como a pura beleza do Monte Otemanu e da lagoa de Bora Bora. Mais ainda, sinto saudade das matas e dos rios da Amazônia, da misteriosa neblina cobrindo a floresta de manhã cedo nas beiras do Rio Negro, ou do incomparável por do sol na baía do Rio Tapajós.

Em Teotihuacan, a pirámide da Lua vista da pirámide do Sol

Minhas saudades e emoções de viagem são ligados a lugares e monumentos especiais. Queria pular mais uma vez em cima da pirâmide do sol em Teotihuacan, sentar no Patio dos Leões do Palácio da Alhambra, chorar frente a resiliência de Santa Sofia, olhar as tragédias do Mar Morte desde a fortaleza de Massadá, e subir o Mont Saint Michel olhando o ouro do arcanjo. Preciso reviver o caminho do Inca e o espantoso nascer do sol clareando a magia de Machu Pichu, olhar para o oceano infinito além dos Moais da Ilha de Páscoa, escutar a chamada do muezin na Mesquita dos Omíadas, atravessar a praça São Marcos homenageando a glória cínica da Serenissima, ou  responder ao sorriso do anjo risonho na hora de entrar na Catedral de Reims.

Perto de Djanet, as emoções e a pureza do deserto

Viajar é preciso mesmo, e estamos hoje com saudade até das viagens que não fizemos e que já constam da lista das nossas descobertas pós Covid. Percorrer a Sicília nas pegadas dos gregos, dos romanos, dos árabes e dos normandos, ver Agrigento e os vinhedos de Nero d’Avola . Se emocionar em São Miguel das Missões sobre a epopéia dos jesuítas e a destruição do sonho guarani. Ser um dos primeiros a visitar o extraordinário acervo turístico de Al Ula, na rota que levava de Jerusalém à Meca, beber um Rioja nas espetaculares adegas desenhadas por Calatrava. Tentar entender na Bretanha, de Saint Malo até o pitoresco litoral da costa de granito cor de rosa, o por que da peculiaridade dessa região da França.

Santa Sofia, 1500 anos de afirmação da fé ortodoxa

Temos saudades desses lugares e de muitos outros, inclusive de alguns que ainda não conhecemos.  Saudade de viajar, saudade de novas emoções e de novos encontros. Na hora da retomada do turismo, relembrando os destinos marcantes e sonhando de novas experiências, poderemos assim relembrar essa frase do de Gaulle “Partir, c est vivre”.  Viajar é viver, vamos agora escolher para onde.

Jean-Philippe Pérol

No Rio Tapajós, a exclusividade de roteiros juntando ecoturismo e intercâmbio com as comunidades

 

Os drones, agora ferramentas de artistas trazendo sonhos de viagens!


TORRE EIFFEL

Enquanto os drones são, há vários anos, sinónimos de guerra ou de mortes, um grupo de fotógrafos e de artistas russos estão mostrando as fantásticas possibilidades que essas máquinas abrem agora para a fotografia e o cinema. Inaugurado em 2006, o site airpano.com se especializou em fotos aéreas de paisagens excepcionais. Começou com imagens panorâmicas tomadas desde aviões,  balões ou helicópteros, e encontrou o sucesso quando publicou a sua primeira mostra dos cem mais lindos lugares do planeta.

IGUAÇU

As cataratas de Iguaçu

A utilização dos drones abriu novos campos para capturar panoramas urbanos em Nova Iorque, Paris e Barcelona,  ou maravilhas naturais como cataratas, desertos ou vulcões.DRONE NO EGITO  As maquinas utilizadas, Hexacopters com seis motores e um controlo remoto, com estruturas reforçadas, ajudaram também a se especializar nas fotos panorâmicas de 360 graus, inclusive com restituições em 3D. Sendo as manobras muitas vezes difíceis – já perderam vários copters por falta de atenção ou negligencia -, há sempre um técnico e um fotografo para fazer o shooting. PARIS PANORAMICOCom esse olhar diferente, os nove fotógrafos da AirPano já conseguiram imagens excepcionais de grandes lugares turísticos, incluindo na França Paris, o Mont Saint Michel ou Cannes, e no Brasil Rio de Janeiro, São Paulo, Iguaçu ou os Lençóis Maranhenses. Mas o acervo continua de crescer, os projetos chegaram agora a duzentos lugares, incluindo Portugal, Indonésia, Japão, Inglaterra, Polo Norte e até Antártica, com mais de dois mil panoramas aéreos. E um projeto conjunto com a Google Earth jà pode ser visto no site. Os artistas da AirPano ainda têm muitos sonhos para oferecer!

CANNES

Cannes

Lencois Maranhenses

Lençóis Maranhenses

 

Rio de Janeiro

Rio de Janeiro

Sobre os drones e a AirPano, ver também um artigo do L’Echo Touristique

Mundo, França, Brasil: novidades nos “10 mais” da Trip Advisor para 2015

A CIDADE VERMELHA

Mesmo se muitas escolhas são pouco transparentes e extremamente discutíveis, a publicação pela TripAdvisor dos destinos preferidos dos seus internautas é sempre um acontecimento importante para todos os quase 500 destinos avaliados nos quatro cantos do planeta. Publicados na ultima terca-feira, dia 24 de Março, os ” Traveler’s Choice 2015″ dos destinos turísticos integram os comentários dos viajantes sobre hotéis, restaurantes ou atrações turísticas que já foram premiados em janeiro e fevereiro.

Enquanto o ranking 2014 tinha destacado Istambul, Roma e Londres, o Top 10 dos Destinos 2015 premiou Marrakech, a cidade vermelha, capital do sul do Marrocos. LA MAMOUNIA RAKA praça Djemaa el Fna, seus carregadores de agua, seus encantadores de cobras, suas barracas coloridas, os souks cobertos, as palmeiras, os palácios e as muralhas encantaram os visitantes. A qualidade dos seus hotéis, inclusivo o renovado La Mamounia ou o espetacular Sofitel, bem como situação geográfica da cidade, portão de entrada do deserto e saída para as cidades de Ouarzazate e Zaghora, contribuíram muito para esse primeiro lugar.

A PRAÇA DJAMAA EL FNA

Em segunda posição chegou Siem Reap no Cambodia, um dos destinos que mais cresceu nos ultimas anos pela riqueza dos seus templos, mais especialmente dos mais famosos como Angkor Wat, Ta Prohm ou o Templo do Bayon. Nesses lugares abandonados e invadidos há séculos pela mata, reina um ambiente peculiar que foi explorado nos cenários de vários filmes, sendo os mais famosos o “Temple of Doom” do Indiana Jones e o “Tomb Raider” com a Angelina Jolie. Siem Reap foi também bem votado pela riqueza do seu mercado tradicional onde frutas, legumes ou peixes se misturam com estátuas, falsas ou verdadeiras, ou com roupas de seda. A aldeia flutuante dos pescadores do lago TonléSap foi também muito destacada pelos internautas.

ISTAMBUL, AS CISTERNAS

Istambul ficou em terceiro lugar. A outrora Constantinopla não perdeu nada da gloria do seu passado bizantino, seja na Igreja Santa Sofia, na Torre de Galatá, nas muralhas ou nas escondidas cisternas. OS SOUKS DE ISTAMBULOs otomanos conseguiram ampliar esse acervo com a Mesquita Azul, o palácio de Topkapi ou os míticos souks, santo paraíso de todas as compras. As ruas carregadas de Historia, as ilhas do Bosforo, os inúmerosos cafés onde se saboreia o café “turco”ou os chás de hortelã são as principais atrações citadas pelos turistas.

Com Paris no nono lugar e ainda sem nenhum brasileiro (isso também nem nos 25 primeiros), o top 10 dos melhores destinos do mundo vencedores dos “Traveler’s Choice 2015” fechou com  as cidades seguintes: 1 – Marrakech (Marrocos), 2 – Siem Reap (Cambodia), 3 – Istanbul (Turquia), 4 – Hanoi (Vietnã), 5 – Praga (República Checa), 6 – Londres (Inglaterra), 7 – Roma (Italia), 8 – Buenos Aires (Argentina), 9 – Paris (França) e 10 – Cape Town (Africa do Sul)

PARIS, LA PYRAMIDE

A Trip Advisor não publicou somente o seu ranking mundial, mas também o ranking de cada país. Na França, a novidade foi a volta de Marselha cuja ausência tinha sido denunciada o ano passado.  A escolha dos internautas ainda surpreendeu pela forte presencia dos destinos de esqui, Chamonix e Morzine rivalizando com Estrasburgo, Bordeaux ou Cannes no Top 10 dos Destinos   “Travelers’ Choice” da França: 1 – Paris, 2 – Nice, 3 – Marselha, 4 – Lyon, 5 – Bayeux, 6 – Chamonix, 7 – Estrasburgo, 8 – Bordeaux, 9 – Cannes e 10 – Morzine.

IGUACU GERAL - copie

No Brasil, o Top 10 dos Travelers’ Choice premiou mais uma vez os estados do Sul (quatro destinos nos dez primeiros) e do Nordeste (três). Com Gramado derrotando São Paulo na liderança, e a pernambucana Ipojuca tirando a baiana Trancoso, o ranking dos top destinos brasileiros mostrou ser muito disputado: 1 – Gramado RS, 2 – Rio de Janeiro RJ, 3 – São Paulo SP, 4 – Florianopolis SC, 5 – Foz de Iguaçu PA, 6 – Salvador BA, 7 – Jericoacoara CE, 8 – Ipojuca PE, 9 – Curitiba PA, e 10 – Fortaleza CE. Se, mesmo com a onda mundial do turismo sustentável, o Centro-oeste e a Amazônia ficaram fora dessa lista,  um importante consolo para o Amazonas foi porem de ver que Manaus foi a única cidade brasileira a ser citada na lista mundial dos destinos “tendências 2015”.

Jean-Philippe Pérol