O turismo culinario: uma experiência de gastronomia, cultura e sustentabilidade

Feira livre em Grandville na Normândia

Feira livre em Grandville na Normândia

Se a gastronomia sempre foi um forte atrativo para os turistas – chegando a ser citada por 62% dos brasileiros viajando para a França , perdendo só dos monumentos e da cultura-, os grandes encontros do paladar  eram reservados para os gourmets, conhecedores que integravam nos seus roteiros restaurantes de grandes chefes estrelados ou cursos da Cordon Bleu. Le-Cordon-Bleu-Kitchen1Com o crescente interesse dado pelos viajantes aos prazeres da mesa, a culinária virou uma forma de descoberta de um destino turístico e os profissionais – operadoras, receptivos ou agentes de viagem, estão agora oferecendo experiências gastronômicas que, alem de refeições saborosas ou de degustações de vinhos, incluem compras com chefes nas feiras livres, encontros com produtores locais, visitas de hortas ou até de apiários, convites em casa de moradores ou ensino de pratos tradicionais.

Uma pesquisa publicada no ano passado pela Adventure Travel Trade Association (ATTA) mostrou que a oferta de viagens com temática culinária  está atraindo todos os atores do turismo, incluindo os especialistas de aventuras ou de descobertas. blog_la_lozere_cet_immense_plateau_de_fromages_03Assim 281 operadoras de 54 países responderam que 50% dos seus clientes querem atividades ligadas a gastronomia, e que os circuitos incluindo experiências culinárias são mais procurados, especialmente pelos viajantes de mais de 50 anos, porque ajudam a entender melhor o destino, seus moradores e sua cultura. Em 46% dos itinerários, o foco não é tanto as refeições mas as tradições culinárias do destino, mas atividades conexas como visitas de fazendas, encontros com produtores, cursos de cozinha tradicional, descoberta de vinhedos ou de cervejarias, degustações de bebidas regionais.

Degustação de cachaças

Degustação de cachaças

A pesquisa da ATTA destacou também quais são as novas tendências que os profissionais estão percebendo junto aos viajantes  e que terão que ser integradas nos itinerários. EtalageDestaca-se uma refeição junto com moradores – ou até cozinhar com eles, a fabricação de uma bebida personalizada, um curso sobre os aromas específicos do destino, a criação de uma receita inspirada da gastronomia local, uma iniciação a colheita de frutas ou cogumelos selvagens. A culinária vira até um portão de entrada para descoberta de outras temáticas como a pesca, a caça, a medicina tradicional, a biodiversidade e  a sustentabilidade. Integrando agora a programação dos grandes atores de turismo, essas tendências já tinha sido antecipadas pelo hotelaria de luxo, do Pierre em Nova Iorque até oMISTURA 2012 RECORRIDO CON GASTON ACURIO PHOTO CREDIT: VICTOR IDROGO Les Sources de Caudalie em Bordeaux. Foram também muito bem definidas e divulgadas em 2014 pela associação dos Relais Châteaux no seu manifesto chamando para a criação de um mundo melhor através da gastronomia e da hospitalidade, e fazendo da preservação das gastronomias do mundo. Uma ambição que deve ser dividida não somente com todos os viajantes mas também por todos os profissionais do turismo.

Esse artigo foi traduzido e inspirado de um artigo original de Aude Lenoir no site profissional canadense Réseau de veille en tourisme – Chaire de tourisme Transat

Degustação de queijo em Saint Nectaire na Auvergne

Degustação de queijo em Saint Nectaire na Auvergne

A Auvergne (e a Costa Verde) nos “dez mais 2016” da Lonely Planet!

 

O Puy de Dome e o Parque natural dos vulcões da Auvergne

O Puy de Dome e o Parque natural dos vulcões da Auvergne

Para os amantes da França, a publicação pela famosa editora estadounidense Lonely Planet dos dez destinos imperdíveis em 2016 foi uma boa surpresa. Lonely PlanetMesmo se as regiões escolhidas não foram nem um pouco tradicionais, foi sem duvidas uma façanha para Auvergne de ser a única francesa selecionada. Para o best-of 2016 da Lonely Planet, divulgado no dia 29 outubro, essas  “dez mais”  foram as seguintes: 1. Transilvânia, Roménia; 2. Islândia Ocidental; 3. Vale de Viñales, Cuba: 4. Regiões vinícolas de Friuli, Itália; 5. Ilha Waiheke, Nova Zelândia; 6. Auvergne, França; 7. Havaí; 8. Baviera, Alemanha; 9. Costa Verde, Brasil; 10. Santa Helena, territórios britânicos.

Os motivos da escolha da Auvergne pelos especialistas da editora são foram também divulgados. Eles gostaram das paisagens “dramaticamente vulcânicas” e dos espaços livres de turistas. Acharam a gastronomia local a altura da fama dos seus pratos típicos (buchada/tripoux, cozido/potée, purê de batata/alligot ou patê de batata),  mas também surpreendente  pela uma culinária criativo. Queijos da AuvergneUma criatividade que encontraram também na cultura “auvergnate”, já que Auvergne tem se reinventado com uma série de projetos artísticos ambiciosos, e um portfólio maior de aventuras na natureza, isso sem perder, segundo eles, o seu charme rural. Adoraram os vulcões, os queijos (Cantal, Saint Nectaire, Bleu, Fourme d’Ambert, Salers) bem como os parques, os vilarejos e os festivais de Aurillac, Clermont-Ferrand ou Puy-en-Velay. A simpatia e o humor dos “auvergnats” – os moradores da região que são, na França, comparados aos mineiros no Brasil- foram também destacados como grandes atrativos da região.

O “best-of 2016” sera, sem duvidas, muito bem recebidos no Brasil já que a Costa Verde, de Guaratiba até Trindade, ficou em nona posição na lista. Pensando nos milhares de turistas esperados para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, a editora foi seduzida pela proximidade da metrópole carioca, Laranjeiraso litoral ainda praticamente intocado, os morros cobertos de florestas cor de esmeralda, as numerosas ilhas tranquilas e as praias quase desertas. A Costa Verde, e mais especificamente a Ilha Grande, é destacada como um paraíso do ecoturismo e do turismo de aventura para os amantes da natureza e da adrenalina, com trilhas nos montes cobertos de mata fechada, passeios de caiaque entre fiordes tropicais desertos, ou mergulhos com peixes coloridos.

O Puy en Velay

Muito esperadas desde que foram lançadas há onze anos, as seleções da Lonely Planet misturam critérios ligados a projetos turísticos e a meio ambiente, AUZANCES BRASILcom um foque importante na atualidade (Cuba da abertura, Bavária dos 500 anos da cerveja, Havai dos 75 anos de Pearl Harbour ou Santa Helena do bicentenário do Napoleão)  Vindo depois de varias premiações francesas – quinta mais bela região segundo o canal de televisão M6, segunda mais dinâmica na Facebook e segundo lugar da catedral de Puy-en-Velay como monumento preferido dos franceses-, a menção honrosa dada a Auvergne será um grande incentivo para se preparar a receber mais turistas do mundo inteiro e especialmente do Brasil.

Outono na Auvergne

As cores do outono nas florestas da Auvergne

 

Auvergne: o rendez-vous com o Brasil deu certo!

foto[2]

Para a Região Auvergne, o Salão Rendez vous en France parecia um impossível desafio: receber com sucesso 1500 profissionais do turismo , franceses e estrangeiros especialistas da Franca. Mais ainda, além dos tradicionais visitantes vindo da Bélgica, Holanda, Inglaterra ou Alemanha, tinha que atender agentes de viagens, operadores e jornalistas vindo de mercados distantes ou emergentes da Ásia ou das Américas. No trio das grandes delegações, junto com a China e os Estados Unidos, o Brasil se destacou com 42 participantes que foram recebidos com uma atenção bem peculiar. Começou logo no aeroporto de Charles de Gaulle onde um ônibus especial foi buscar os brasileiros na chegada do voo da Air France e os levou diretamente para Moulins, a antiga capital da dinastia dos Bourbon.

A delegação brasileira na frente da Auberge Saint-Sébastien em Charroux

As visitas exclusivas incluíram o belo vilarejo de Charroux e  um almoço no charmoso restaurante Ferme de Saint Sebastien , com sua chefe mulher Valerie e o marido dela revelando uma das mais completas e surpreendente bandeja de queijos já vista . foto[1]Entre o glamour art nouveau de Vichy, a autenticidade caipira dos laticínios de Saint Nectaire e os simpáticos vinhedos de Saint Pourçain, a Auvergne mostrou que ela tem muito que mostrar para quem ver uma França bem diferente dos clichês da cidade luz. A noite de bemvinda foi uma ocasião de descobrir o impressionante Vulcania. Esse  parque de lazer, localizado bem perto do Puy de Dôme, a montanha outrora sagrada que domina toda região, oferece uma viagem educativa e lúdica no interior dum vulcão para crianças de todas as idades… E na noite seguinte, depois da festa de despedida organizada pela Atout France, os brasileiros foram destaques nas boates de Clermont Ferrand!

hotel-vulcania_66

Na feira, organizada com muita maestria no centro de convenções, os 600 expositores não poupar os esforços para atrair os visitantes brasileiros. foto[5]Nas centenas de encontros desse Rendez vous en France, pelo menos três pontos ficaram bem claros para eles. O primeiro é que os turistas brasileiros continuam a ser muito procurados pelos profissionais franceses, mesmo se uma  certa decepção é visível frente a um crescimento menor do que esperado, e as perspectivas muito abaixo da explosão do mercado chinês. O segundo ponto que ficou anotado é que a Franca tem ainda muito que oferecer em termo de oportunidades para os viajantes brasileiros, destacando se regiões como o Vale do Loire, a Borgonha, Bordeaux, Toulouse ou a Provence, ou temáticas a explorar melhor como os vinhedos, o shopping, o turismo jovem ou o turismo religioso. Como ‘auvergnat’ recebendo com muita emoção os meus colegas brasileiros na minha terra, esses Rendez vous France bem sucedidos em Clermont Ferrand me convencerem que a Auvergne tem  muito que apresentar para o viajante brasileiro que poderá visitar-la, parando num roteiro de Paris a Marselha ou a Bordeaux, ou de Bordeaux a Dijon ou a Lyon. E mais do que isso,  já oferece também o profissionalismo e o carinho que os brasileiros esperem. Na sua próxima viagem para Franca, Rendez vous na Auvergne!

foto

Jean-Philippe Pérol na frente do castelo de Pérol

 

Jean-Philippe Pérol

Rendez vous na Auvergne!

O Puy de Dome, desde os gauleses o rei dos vulcões da Auvergne.

O Puy de Dome, desde os gauleses o rei dos vulcões da Auvergne.

O grande encontro 2014 do turismo francês vai acontecer do dia 1 até o dia 3 de Abril em Clermont Ferrand, capital da Auvergne. Para os 1500 participantes, incluindo os brasileiros, será mais um Rendez-vous en France, numa cidade cuja notoriedade no mundo se deve primeiro por ser a sede da Michelin.nouveaut-s-l-aventure-michelin_1119112 Durante três dias os 600 expositores vindos de 26 regiões francesas, e os 900 convidados vindos de 30 países vão trocar informações, tentar convencer da qualidade e da originalidade dos seus produtos ou dos seus serviços, e fechar negócios antes da grande noite de encerramento.

Para os hosts auvergnats, esse encontro vai ser muito especial, sendo a primeiro vez que a região deles conseguiu se candidatar e ganhar um evento de tal importância. Um evento tão grande que todos os profissionais pensava ser exclusivo das grandes capitais do turismo francês, as cidades que fazem o nosso turismo, Paris, Nice, Marseille, Toulouse,  ou Bordeaux.Clermont-Ferrand Mas não foi por acaso que Clermont Ferrand entrou nesse grupo fechado. Nessa região de personalidade forte, de paisagens carregados de historia, de gado vermelho ou branco pastando na sombra dos vulcões, de igrejas de granito cinza e de rios de agua negra, já tinha razões de sobra para mexer com as emoções: a força do Puy de Dôme de onde pulam asas delta e paraquedas para aproveitar  paisagens deslumbrantes, a sedução do vilarejo fortificado de Charroux – um dos mais bonito da França, o saudoso charme da Opera Art Nouveau de Vichy, ou a atraente rusticidade das ‘fromageries’ de Saint Nectaire.Charroux_JDA9910 Nos últimos anos,   novos destaques turísticos começaram a atrair viajantes em busca de  mais sensações e de experiências diferentes: Vulcania, parque temático sobre a vulcanologia que faz lembrar que os vulcões da região ainda não são extintos; os SPA das estaçoes termais renovadas em Vichy ; e em Clermont-Ferrand, o Museu da Aventura Michelin onde não esqueceram de lembrar que a aventura da empresa começou com ‘ a borracha, o ouro verde do Brasil’.stnectaire-2

Para mim, auvergnat também, esse Rendez vous em France vai ser mais especial ainda. Serà uma ocasião única de mostrar a amigos e colegas brasileiros um destino bem diferente dos clichês parisienses.DSCN2322 A ocasião de brindar com um ‘Rouge limé’ (vinho tinto misturado com soda limonada) ou com um vinho de Saint Pourcain, de experimentar um queijo Cantal ou um Saint Nectaire,  de comer um ‘paté de pommes de terre’ (torta de batatas cozidas no forno com creme de leite). Ou melhor ainda, de esperar os convidados bater na porta da nossa casa de 1582, colada na igreja do vilarejo de Auzances, e de dividir umas caipirinhas com fatias de salami enquanto toca o sino da igreja…

Para esse Rendez vous em France, 42 operadores brasileiros (uma das cinco maiores delegações desse evento) estão sendo convidados pela Air France e a Atout France, e acho que todos voltarão convencidos que a França ainda tem muito que oferecer aos viajantes brasileiros, nas suas 26regiões e mais ainda na Auvergne!

Jean-Philippe Pérol

DSCN4178