A Historia do Brasil nas ruas de Paris

Opera Garnier em Paris

Opera Garnier, na Praça da Opera em Paris

Na terça-feira, 22 de maio de 1877, um visitante inesperado tocou a campainha do apartamento de Victor Hugo, 21 rua de Clichy em Paris. Dom Pedro IIQuando o então mais famoso escritor da França abriu a porta,  a surpresa foi imensa a ficar frente a frente com o Imperador do Brasil, Dom Pedro II. Mesmo sendo um republicano convicto,  Victor Hugo gostou tanto do encontro que passou alguns dias depois no Grand Hotel, na Praça da Ópera, e deixou   para o monarca uma foto com essa comovente homenagem : “Para aquele que tem Marco Aurélio como antepassado”. Essas anedotas, junto a muitas outras, estão no livro agradável e bem documentado de Maurício Torres Assunção, “A historia do Brasil nas ruas de Paris”. Nos 174 endereços listados,  o turista brasileiro vai encontrar novos motivos para gostar de Paris, bem como novos centros de interesses para definir  seus itinerários.

O bar do Jardin des Plantes

O bar do Jardin des Plantes

Se Dom Pedro I só ficou uma vez em Paris, depois da sua abdicação, convidado de palácio em palácio  pelo Rei Louis Philippe – mas preferindo se hospedar num palacete na rua de Courcelles, Dom Pedro II era apaixonado pela cidade. Marcou com a sua presencia todos os monumentos parisienses, especialmente nos bairros localizados entre o Louvre, a Opera e os Champs Elysées. Atrás de novidades técnicas ou científicas,  frequentou o Institut De France, o Jardin des Plantes e o Jardin d’Acclimatation, visitou os esgotos e financiou o Institut Pasteur. Em Paris, Amor, Ordem e ProgressoPara o viajante, a mais emocionante lembrança será talvez de caminhar pelo Parc Monceau onde ele gostava de andar, doente e sozinho, nos últimos dias do seu triste exílio. Por ironia da historia, os grandes inimigos do Império, os positivistas, estão também enraizados em Paris onde o movimento de “Amor, Ordem e Progresso” nasceu. No número 5 da rua Cayenne, no Marais, fica a Capela da Humanidade num prédio onde teria morada Clotide de Vaux de Ficquelmont, a musa do Auguste Comte!

O primeiro voo do Numero 14 bis, 13 de Setembro 1906

Santos Dumont (liderando, a direita) e o 14 bis

O mais parisiense dos brasileiros foi sem dúvida Santos Dumont, o “pequeno Santôs” como era carinhosamente chamado.La Grande Cascade Nos 22 anos que passou em Paris, são 39 lugares selecionados no livro de Maurício Torres, desde o Jardin d’Acclimation ou o Campo de Jogo de Bagatelle de onde saíram as suas aeronaves, até o Café de la Paix, a Grande Cascade ou o Maxim’s onde ele gostava jantar. Numerosas placas comemoram suas façanhas, o seu primeiro recorde histórico (em Bagatelle), o segundo (em Saint Cloud), o seu impressionante acidente (na avenida Presidente Kennedy) ou seu segundo domicilio nos Campos Elíseos 114, na frente do qual  pousava com seu pequeno balão “Baladeuse” ou, depois, com seu aviãozinho “Demoiselle”.

Sede do Partido Comunista Francês, projeto do Niemeyer

O pais que quase adotou a Marseillaise como hino oficial ainda marcou muitos lugares em Paris, nos passos de Villa-Lobos (Restaurante Le Boeuf sur le Toit, Salle Pleyel ou Maison de l’Amérique Latine), do Lucio Costa ( Maison du Brésil ou sede da UNESCO), Villa Lobos em Parisou do Oscar Niemeyer que afirmou suas ligações políticas desenhando a sede do Partido Comunista francês bem como a (antiga) sede do diário l’Humanité em Saint-Denis. Com fatos inéditos ou poucos conhecidos, o livro do Maurício revela com muito humor essas relações excepcionais entre Paris e alguns dos mais famosos Brasileiros. Para o visitante, os seus legados arquitecturais, científicos, sociais ou culturais, celebrados em placas, monumentos e nomes de ruas, podem assim fazer de uma estadia na Cidade Luz uma viagem pela historia do Brasil.

Jean-Philippe Pérol

 

A História do Brasil nas Ruas de Paris, de Maurício Torres Assunção. Editora Casa da Palavra.

O Parque Monceau

O Parque Monceau, onde passeava o Dom Pedro exilado

2015: os arredores de Paris nas novas tendencias do turismo mundial…

paris-1254

Foi de forma inesperada que Paris apareceu essa ano na badalada lista das tendências do turismo publicadas pelo New York Times. Esquecendo o chamado “Paris intra muros”, os jornalistas escolheram a região inteira, a Ile-de-France, como um dos 52 destinos imperdíveis de 2015. A abertura da Fundação Louis Vuitton, catedral de vidro, de aço e de madeira clara desenhada por Frank Gehry – o arquiteto do Guggenheim de Bilbao -, foi sem dúvidas decisiva nessa escolha.1280px-Jardin_acclimatation_DSC04371 Localizada ao Oeste de Paris, perto do famoso “Jardin d’Acclimatation”, parque de diversões inaugurado em 1860 pelo imperador Napoleão III, esse projeto do grupo LVMH de Bernard Arnault, não é somente um projeto inovador, modelo de arquitetura sustentável, integrando obras excepcionais de Ellsworth Kelly, Olafur Eliasson ou do argentino Adrian Villar Roja. Além de renovar a criação artística da capital francesa, a Fundação vai também dar um impulso novo ao Bois de Boulogne e aos parques e jardins da região.

Panorama_de_la_terasse_de_la_Fondation_Louis_Vuitton

Vários outros projetos também explicam o novo sucesso turístico da Île-de-France . Foi em 2012 o Museu de Arte moderna Larry Gagosian em Le Bourget, a  Galerie Thaddaeus Ropac de Pantin ou o Museu de Arte contemporâneo de Ivry-sur Seine, ambos instalados em antigas fabricas. MOLITOR PARIS BY MGALLERY - 7326Da periferia de Paris até  as vizinhanças de Disneyland, a região veja também pipocar novos projetos hoteleiros, desde o deslumbrante MGallery da Accor construído em volta da emblemática piscina Molitor, até os Villages Nature, novo conceito de eco-turismo urbano desenvolvido pelos grupos Pierre et Vacances e Disney. peixe boiNas novidades para crianças e família, distacou-se tambem em 2014 a reabertura do zoológico de Vincennes com seus 1000 animais de 180 espécies diferentes. Com um conceito revolucionário, privilegiando o bem estar dos animais, a beleza das paisagens e a comunicação com os visitantes, são recriados os ecossistemas de origem de cada espécie.

VERSAILLES

A região Ile-de-France é também, antes de tudo, um celeiro do patrimônio cultural francês. Mesmo se o projeto do “Grande Versailles”caminha devagar, as renovações não param: em 2014 os apartamentos da Meridienne, da Rainha Marie-Antoinette e em 2015 as águas de Latone. 230px-Saint-Denis_-_Basilique_-_Extérieur_façade_ouestO ano passado o palácio de Versalhes recebeu mais de 7,5 milhões de visitantes, sendo o terceiro lugar mais visitado da região depois da Disneyland (15 milhões) e do Louvre (9,2 milhões). A vontade de renovação da região é tão forte que até a basílica real de Saint Denis, primeira catedral gótica onde foram enterrados mais de setenta príncipes da realeza francesa, sonha agora em reconstruir sua torre norte destruída no século XIX.

Num ano de grande concorrência com outras capitais europeias, Londres ainda explorando o embalo dos J.O. ou Milão aproveitando a Expo mundial «Nutrir o Planeta, Energia para a Vida», as novas tendências desenhadas na Ile-de-France  vão sem dúvida ajudar Paris a consolidar sua posição de  liderança do turismo mundial.

Jean-Philippe Pérol

Ile de France: Jantar a luz de vela no castelo de Vaux le Vicomte

Ile de France: Jantar a luz de vela no castelo de Vaux le Vicomte

Depois do Brasil e do Mundial Fifa 2014, lá vem a França e o Uefa Euro 2016.

 

 

Logo2016_Lnd_Full_OnBlk

MARSEILLE VELODROME 2014

Eliminada pelo mesmo adversário que o Brasil na Copa do mundo, a França vai tentar com o UEFA EURO 2016 vencer um duplo desafioIDENTITE VISUELLE. Terá  não somente de chegar à final da segunda maior competição do futebol mundial que ela já ganhou duas vezes (1984 e 2000), mas também de mostrar os mesmos talentos organizacionais que o Brasil que realizou esse ano, segundo o jornal l’ Equipe, “a mais bem organizada Copa dos tempos modernos”… Tantos os brasileiros como os franceses vão gostar da temática desse grande evento: “Vamos festejar a arte do futebol”. A identidade visual, que vai acompanhar o logotipo, mostra de forma artística a festa dos torcedores em volta de um campo onde as traves parecem dois arcos de triunfos. Um piscar de olho para Paris e sua região onde serão realizados doze jogos, incluindo a abertura e a final.

Para esse grande “Rendez-vous na França” que acontecerá do dia 10 de junho ao dia 10 de julho de 2016, as dez cidades sede já estão se preparando: VILLE HOTEos estádios de Saint Denis, Lille, Nice, e agora Marselha são prontos, os de Lyon, Bordeaux, Saint Etienne, Lens, Paris e Toulouse devem ser inaugurados entre dezembro 2014 e novembro 2015. Para assegurar a hospedagem e os serviços necessários, a operadora Kuoni foi escolhida como agência oficial, devendo cuidar de mais de 250.000 pernoites.

COUPE DELAUNAYEntão chamado de Copa da Europa das Nações, o UEFA Euro teve sua primeira realização em 1960 com 17 países participantes, sendo 4 na fase final. Em 2016, pela décima quinta Copa, serão 54 países na fase de qualificação e 24 na fase final que brigarão pela Taça Delaunay, o troféu do torneio cuja replica de 12 metros de altura já foi apresentando em Paris no mês de junho.

Holland_-_France_Euro_2008_entrance_into_stadium

Para a França e o turismo francês, esse evento é uma grande oportunidade e uma imensa responsabilidade para os organizadores e para cada francês. Vamos poder mostrar para os 2,5 milhões de torcedores presentes e para os 150 milhões de telespectadores não somente a nossa capacidade de organizar um grande espetáculo, mas também as riquezas do nosso patrimônio histórico, cultural, gastronômico e esportivo. As lições do sucesso da organização do mundial no Brasil serão, sem dúvida, aproveitadas para esse “Rendez vous” . A ver o entusiasmo que os 4,5 milhões de fãs franceses e estrangeiros estão demonstrando nas páginas facebook UEFAEUROFR, vai ser mesmo  uma festa maravilhosa.

Jean Philippe Pérol

Para mais informações veja o site da UEFA http://bit.ly/EURO 2016