Em Mykonos e Lesbos, o turismo numa encruzilhada

Os moinhos de Mykonos, ícones turísticos da ilha

Junto com Ibiza, Mykonos é um grande destino de festas do Mar Mediterráneo

Assim como Ibiza, outra ilha festiva do Mar Mediterráneo, Mykonos é um destino privilegiado do turismo gay, com ofertas diversificadas, românticas ou transgressoras, adaptadas a todos os tipos de visitantes.  Desde os anos sessenta e setenta, infraestruturas turísticas incentivadas pelo governo grego  foram construídas com apoio de investidores locais. A vontade das autoridades fazer da ilha um lugar hospitaleiro, símbolo de liberdade, de tolerância e de intercâmbio cultural, o apoio dado aos eventos e a vida noturna, criaram desde então um clima peculiar que atraiu a comunidade LGBT+.

Novos mercados e barcos de luxo ajudam a diversificar o turismo na ilha

O sucesso da temporada 2022, – onde será talvez atingida a meta de 2 milhões de turistas nessa pequena ilha de 11.000 habitantes-, levou muitos ilhéus a criticar um modelo econômico levando ao overturismo e a mais ameaças sobre o meio ambiente. Associações de moradores estão pedido para privilegiar o turismo cultural, aproveitando o património da ilha mas também a proximidade de Delos, a pequena ilha – distante de somente 6 quilómetros- sagrada onde nasceram o deus sol Apolo e sua irmã Artemis. Acordos com companhias aéreas do Oriente Médio e um novo porto para super iates poderão incentivar o já importante turismo de luxo procedendo dos países do Golfo.

Longe do overturismo, Lesbos quer reconstruir sua imagem

Se Lesbos se abriu ao turismo também nos anos sessenta, e se seu nome bem como o prestigio da sua grande poetisa Safo atraíram desde suas origens muitos viajantes da comunidade LGBT+, esse grande ilha se desenvolveu de forma completamente diferente de Mykonos. Longe do overturismo (ele nunca recebeu mais de 100.000 viajantes por ano), oferecia tranquilidade e itinerários culturais a visitantes vindo principalmente da Inglaterra e da Alemanha, quase exclusivamente mulheres. Mas a ilha enfrentou nos anos 2015 e 2016 uma grave crise migratória que acabou não somente com seus fluxos turísticos mas  danificou a sua imagem.

O Festival de Eresos atrai milhares de mulheres

Para dar uma nova dinâmica para o seu turismo, Lesbos vai continuar a investir na herança da Safo, muito bem explorada em Eresos . Nessa tranquila pequena cidade, localizada perto de uma das mais bonitas praias da ilha, a presencia da poetisa é onipresente. É là que é realizado o “International Eresos Women’s Festival “ que reune milhares de mulheres numa festa exclusivamente feminina. Mas a ilha quer também valorizar agora suas águas turquesas, suas oliveiras, seus pitorescos vilarejos ou sua fortaleza medieval de Molyvos.  E nos terroirs de Plomari e Mitilena, os moradores se orgulham de produzir um dos mais tradicionais (e dos melhores?) ouzos da Grécia.

A poetisa Safo, musa das mulheres LGBT+, é omnipresente em Lesbos.

Esse artigo foi traduzido e adaptado de um artigo original da revista francesa profissional on-line Mister Travel

%d blogueiros gostam disto: