Além de lua de mel ou de surfe, Tahiti para famílias?

Lua de mel em Bora Bora Foto @marcgerard

Quem sonha em lua de mel coloca Tahiti e suas ilhas, com certeza, como um dos destinos mais procurados do mundo. A beleza das paisagens de  Bora Bora ou Moorea, os tons de azul e a pureza das suas águas, a onipresença dos seus colares ou das suas coroas de flores, e o atendimento sempre carinhoso dos seus moradores criaram a imagem de romantismo desde a chegada dos primeiros europeus  que pensavam ter reencontrado uma nova Citera, a ilha de Vênus. E desde os anos 1960, quando a construção do aeroporto de Papeete abriu a região para o turismo internacional, a maioria dos visitantes que chega na Polinésia francesa são jovens que acabaram de se casar, ou menos jovens de todas as idades, nacionalidades ou comunidades que querem renovar seus votos de amor, combinando uma ocasião especial com um lugar único.

Desafio dos JO 2024, Teahupoo atrai surfistas do mundo inteiro

Nos últimos anos, o Tahiti seduziu porem outros viajantes. Foram com toda lógica aventureiros ou esportistas, mergulhadores procurando as emoções do recifes de corais de Rangiroa ou surfistas atrás das impressionantes ondas de Teahupoo (aquelas que já foram selecionadas para as provas de surfe dos Jogos Olímpicos de Paris 2024). Mais recentemente, apareceram visitantes até então inesperados, famílias com crianças  vindas não somente da França mas também da Europa, da América do norte, da Ásia e até do Brasil. Pertencendo a uma geração acostumado a viajar desde a adolescência, esses novos pais querem continuar a viajar mesmo com filhos pequenos, e escolheram o Tahiti pela tranquilidade, pelas atividades existantes, pelas facilidades de alojamento e ,mais ainda, pela atenção dada às crianças na cultura local.

Não tem idade para começar o caiaque

As crianças de todas as idades amam as areias cor-de-rosa de Tikehau e Rangiroa, brancas de Moorea e Bora Bora, ou até as pretas da ilha de Tahiti, as praias sempre tranquilas sem nenhuma preocupação de overturismo. As águas quentes e muito seguras são uma alegria para eles e uma tranquilidade para os pais. Muitas atividades náuticas podem ser feitas com crianças mesmo pequenas, seja observar baleias (em Tahiti, Rurutu ou Moorea) ou golfinhos (em Tahiti ou Rangiroa), alimentar arraias (em Bora Bora ou Moorea), seja simplesmente  nadar vendo os peixes coloridos em cima dos aquários naturais das lagoas cercadas de arrecifes de corais (Rangiroa, Bora Bora).  Essas atividades bem como todos os passeios de barco respeitam as rígidas normas francesas  de segurança, tendo sempre equipamentos adaptados aos turistas mirins.

Os quartos do Manava têm espaços para todos

Hospedagens e restaurantes deixam as famílias muito à vontade.  Com quartos geralmente espaçosos (não somente nos estabelecimentos de alto luxo, mas também em locais mais em conta como os hotéis Manava do Tahiti ou de Moorea, o Kia Ora de Rangiroa ou o Pearl de Tikehau), os hotéis são bem adaptados – sendo melhor pegar bangalôs na praia que sobre palafitas se as crianças foram muito pequenas. A grande oferta de AirBnb (mais de 300 opções) e as numerosas pensões de família são também opções interessantes se forem bem pesquisadas com um profissional antes de fazer a escolha. E se os pais podem confiar nos serviços de babysitters e aproveitar um jantar romântico a dois, as crianças amarão um piquenique em família num “motu” (por exemplo o Coco Beach de Moorea) ou uma refeição descontraída no ambiente popular das famosas “roulottes”.

Na lagoa de Rangiroa, a caminhada de mãe e filha

A tranquilidade das ilhas e a atenção dada às crianças na cultura local são os mais fortes argumentos para escolher o Tahiti e as suas ilhas como destino de uma viagem em família. Nos hotéis, nos restaurantes ou nas lojas, o pessoal sempre responde com gentileza e eficiência aos pedidos ou as exigências dos pequenos turistas. Os próprios taitianos, grandes consumidores de turismo local, em geral em família, aceitam com muita espontaneidade de enturmá-los seja para correr na areia, pular na piscina, brincar de pega pega perto das “roulottes” ou dividir os brinquedos. E a atenção dada as crianças vira também uma oportunidade  para um papo descontraído com os pais,  uma ocasião de descobrir que o Brasil, nessa região do mundo, continua com um extraordinário capital de simpatia dos moradores de todas as idades.

Jean Philippe Pérol

As areias brancas de Tikehau

 

No Kia Ora, pai e filha experimentando a moda tahitiana

Polinésia francesa: na ilha de Taiti, também muito para aproveitar!

Ponto Venus, as areias negras da Ilha de Tahiti

Ponto Vênus, as areias negras da Ilha de Tahiti

Quando perguntamos ao viajante quais são as Ilhas da Polinésia francesa que o faz sonhar, ele se lembra de Bora Bora, o cartão postal e seus bangalôs sobre as águas turquesa, de Moorea, com seus cinquenta tons de azul, de Rangiroa, a ilha sagrada, e de Huahiné, com seus segredos de “ilha-mulher”. voyagers_csg069_bounty_entering_matavai_bay_tahitiPoucos colocam a Ilha de Taiti nos seus roteiros, a não ser como trânsito de chegada ou as vezes de saída. Foi porém em Taiti, mais precisamente na Baia de Matavai, que chegaram os primeiros exploradores, Bougainville, Cook ou os famosos revoltosos do Bounty imortalizados pelo Marlon Brando. Foi a família da rainha de Pare -perto da atual Papeete – que fundou a dinastia dos Pomaré, conquistando uma parte da Polinésia, aceitando o cristianismo e construindo um estado moderno que um dos seus descendentes, Pomaré V, entregou para a França em 1880.

French Polynesian Lifestyle - Hero

Fazer a volta da ilha seguindo pela beira mar é ser surpreendido por uma sucessão de paisagens inesperadas, das praias de areia negra do Ponto Vênus até as ondas míticas de Teahupoo que podem chegar a 15 metros de altura, sede do Billabong, uma etapa do campeonato mundial de surfe . TeahupooTaiti tem também a sua lagoa e seus corais em Tahiti-Iti, lugares ideais para mergulho. E  se for olhar para o mar na Ponta dos Pescadores de manhã ou no final da tarde, pode ter a sorte de ver uma baleia e seu filhote. Passando de um lado da ilha para o outro, o viajante pode parar em Taharaa para aproveitar de um panorama deslumbrante cobrindo as duas partes do Taiti – Tahiti Nui e Tahiti Iki – e a ilha irmã de Moorea.

Islands - Hero

Taiti não é só azul, é também uma ilha verde onde existem algumas florestas primárias. A poucos quilômetros de Papeete, dominado pelo Monte Orohena, o vale do Fautaua oferece um espetáculo de barrancos cobertos de vegetação e de cachoeiras que parecem mergulhar nas matas. Percorridas por várias trilhas de diferentes níveis, o vale abriga vários pontos de interesses culturais ou históricos, DSCN1242seja alguns dos maiores “marae” (altares dos antigos deuses dos polinesianos) da região, ou o Forte de Fachoda onde as tropas francesas e seus aliados venceram em 1846 os últimos partidários da independência. Perto de uma cachoeira onde os taitianos gostam de tomar banho, uma estátua do escritor Pierre Loti lembra o fascínio que Taiti  provocou em muitos artistas franceses.

O mercado central de Papeete

Nas ruas da capital, Papeete, os cheiros de baunilha e as cores dos panos estampados do Mercado municipal são alguns dos imperdíveis. Mas para quem tem poucas horas, a prioridade será com certeza descobrir a pérola negra, com sua cor, seu tamanho, sua forma, seu lustro, e sua superfície, que será a melhor lembrança dessa estada em Taiti. roulottes em papeeteE a noite, para comemorar, as “roulottes” oferecem a melhor opção para encontrar os papeetianos. Para o viajante vindo do luxo de Bora Bora ou do requinte de Tetiaroa , a simplicidade e a convivialidade desses food-trucks agrupados nos estacionamentos da beira-mar são uma agradável maneira de descobrir a comida local e o autêntico jeito de viver de Taiti, a “Ilha Rainha”.

Jean-Philippe Pérol

lBlack lip oyster shell with black pearl. Studio shot isolated on white background.